Neuroblasto

Um neuroblasto é uma célula embrionária precursora do neurônio. Todavia, não está presente apenas no embrião; é importante também para a neurogênese adulta.

Sua origem está relacionada à diferenciação das células do tubo neural e à camada ventricular. Após o fechamento do tubo neural, suas células se diferenciam em neuroblastos, que formarão a matéria cinzenta. Na camada marginal, as fibras emergentes dos neuroblastos, mielinizadas, formam a substância branca.[1] A camada ventricular contém precursores com alta capacidade de proliferação que se dividem de modo assimétrico e se diferenciam em neuroblastos. Uma vez formados, os neuroblastos iniciam um processo de migração que os levará a ocupar seu lugar definitivo, onde se diferenciarão e assumirão as características dos diversos tipos de neurônios.[2]

Os neuroblastos passam por diferentes processos antes de atingirem a forma de neurônio: em primeiro momento, eles são circulares e apolares. Porém, com mais diferenciações, tornam-se bipolares, com um axônio e um dendrito primitivos surgindo diametralmente opostos. Por fim, após mais processos celulares, o neuroblasto torna-se multipolar e, após desenvolver-se mais, diferencia-se finalmente em um neurônio.

a) cabeça do camundongo mostrando o trajeto do dos neuroblastos recém-formados migrando a partir da Zona Subventricular (ZSV) até o Bulbo Olfatório. (b) Visão mostrando anatomia cerebral com os neuroblastos migrando do ventrículo lateral até o bulbo olfatório, onde populações de interneurônios maduros são geradas. (c) Esquema baseado em microscopia eletrônica mostrando a citoarquitetura da (ZSV). (d) Esquema mostrando migração dos neuroblastos. (e) Neuroblastos migrantes entram no bulbo olfatório emigram radialmente dando origem a granulos ou células perigranulares.

Migração dos NeuroblastosEditar

Seja na neurogênese embriônica ou na fase adulta da vida a migração dos neuroblastos é essencial. No embrião, devido às drásticas mudanças da arquitetura cerebral que são intrínsecas ao desenvolvimento; no adulto, (pelo menos no sistema olfatório) detectam-se migrações à longíssimas distâncias (de 3 a 5 mm no cérebro de um camundongo adulto) - da zona subventricular (ZSV) até o bulbo olfatório[3].

Referências

  1. SADLER, Thomas W; LANGMAN, Jan (2006). Langman's medical embryology. Estados Unidos: Philadelphia : Lippincott Williams & Wilkins. pp. 436 – 443 
  2. Treccani Dizionario di Medicina (2010). Glioblasto. Neuroblasto
  3. (Lois et al., 1996; Lois and Alvarez- Buylla, 1994)

4. Cellular Migration And Formation of Neuronal Connections (2013). Rubenstein, J. ; Pasko, R.

5. https://embryology.med.unsw.edu.au/embryology/index.php/Neural_System_Development (acessado em 07/2017)

Ver tambémEditar

  Este artigo sobre Biologia celular é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.