Abrir menu principal

Never Here

filme de 2017 dirigido por Camille Thoman
Never Here
Cartaz
 Estados Unidos
2017 •  cor •  110 min 
Direção Camille Thoman
Produção Julian Cautherley
Radium Cheung
Bronwyn Cornelius
Erika Hampson
Corey Moosa
Gênero drama
suspense
Música James Lavino
Cinematografia Sebastian Winterø
Edição Jon Berry
Walter Fasano
Companhia(s) produtora(s) Before The Door Pictures
Wonderbar Productions
Distribuição Vertical Entertainment
Lançamento 18 de junho de 2017 (Los Angeles Film Festival)
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

Never Here anteriormente chamado de You Were Never Here,[1] é um filme de drama e suspense dos Estados Unidos lançado em 2017. O filme foi produzido ao longo de sete anos.[2]

SinopseEditar

Alguns eventos perturbadores levam uma artista a perder os limites entre o real e o imaginário após começar a fotografar estranhos que ela suspeita que a observa.

ElencoEditar

ProduçãoEditar

Em 14 de maio de 2014, anunciou-se que Mireille Enos foi lançada no papel principal da estreia do longa-metragem/ documentário de Camille Thoman.[3] Sam Shepard e Goran Višnjić foram posteriormente lançados.[4] A filmagem começou em 24 de outubro de 2014 e terminou em 23 de novembro de 2014 em Nova York.[5]

RecepçãoEditar

Ben Pearson, em sua crítica para o Slash Film, avaliou o longa com seis de dez estrelas escrevendo: "(Mireille Enos) se destaca por descrever a curiosidade [da personagem] ... À medida que os desejos e delírios de Miranda colidem para formar uma realidade incerta, Never Here fica cada vez mais desanimado. Eu não vou fingir que eu 'entendi' tudo o que este filme estava tentando dizer, mas se você estiver no mercado para um suspense atmosférico discreto que explora a identidade com a tensão ocasional, você poderia fazer pior."[6]

Kino McFarland, do Night Marish Conjurings disse que o longa "é um esforço para não ser ignorado. A cinematografia é habilidosa e a atuação, particularmente pela Enos, é perfeita. A história, no entanto, deixa um pouco a desejar. Porque o filme é tão pesado no simbolismo e arte, o enredo parece ser uma reflexão tardia às vezes. No entanto, definitivamente é um filme que requer uma repetição de visualização e algum pensamento antes de tudo ser compreendido."[7]

Michael Klug, do Horror Freak News escreveu: "Enos é tão fácil de assistir como atriz - porque há uma facilidade inerente no que ela faz na tela. (...) No desempenho, bem como no trabalho de filmagem - minha cena favorita encontra Miranda na sala de interrogatório da polícia. À medida que a câmera se fecha lentamente no rosto emocional de Enos, ela responde com "sim" e "não" e não muito mais. No que poderia ter sido um cena muito simples e uma cena agitada - oferece tensão e a chance de o Enos reagir. Lembrei-me da sequência sinfónica no brilhante filme de Nicole Kidman, Birth - onde não era nada além do personagem de Kidman - sem diálogo, apenas suas habilidades mentais na velocidade máxima. E como um todo, a atmosfera impressionante deNever Herelembrava o nascimento - que é um dos suspense/dramas mais subestimados do século XXI. Então tire essa comparação adorável como um elogio final."[8]

Referências

  1. «'You WereNever Here' Stalks MireilleEnos». Bloody Disgusting (em inglês). 1 novembro de 2016. Consultado em 22 de agosto de 2017 
  2. «Mireille enos new film never here took seven years to make» (em inglês). www.progmetalzone.com. Consultado em 24 de agosto de 2017. Arquivado do original em 24 de agosto de 2017 
  3. «Mireille Enos in 'You Were Never Here'». Variety (em inglês). Consultado em 22 de agosto de 2017 
  4. «You Were Never Here». James Lavino (em inglês). Consultado em 22 de agosto de 2017 
  5. «You Were Never Here». Backstage (em inglês). Consultado em 22 de agosto de 2017 
  6. Ben Pearson (22 de junho de 2017). «Never Here Review: An Art Project Turns Violent [LAFF]». Slash Film (em inglês). Consultado em 22 de agosto de 2017 
  7. Kino McFarland (23 de junho de 2017). «LA Film Festival Movie Review: NEVER HERE» (em inglês). www.nightmarishconjurings.com. Consultado em 22 de agosto de 2017 
  8. Michael Klug. «Never Here 2017 Review». Horror Freak News (em inglês). Consultado em 22 de agosto de 2017