Nicomedes (filho de Cleômbroto)

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Nicomedes, veja Nicomedes.

Nicomedes foi um general de Esparta, filho de Cleômbroto,[1][2] filho de Anaxândrides II.[3]

Nicomedes (filho de Cleômbroto)
Regente de Esparta
Reinado 470 a.C. - 468 a.C., 459 a.C.458 a.C.
Antecessor(a) Plistarco
Sucessor(a) Plistóanex
Nascimento 519 a.C.
  Esparta
Morte Desconhecido (possivelmente 450 a.C.)
Dinastia Dinastia Euripôntida
Pai Cleômbroto (regente)
Mãe Theano
Irmão Pausânias (general)

Seu pai, Cleômbroto, foi regente em nome de Plistarco, seu sobrinho, após a morte de Leônidas I, irmão de Cleômbroto e pai de Plistarco. Analogamente, Nicomedes foi regente de Plistóanex,[1][4] filho de Pausânias,[1] irmão de Nicomedes.

Quando os atenienses estavam construindo as suas grandes muralhas,[1] no terceiro ano da 80a olimpíada,[5] os fócidos atacaram três cidades dórias, Boeum, Cytinum e Erineus,[1][2] que ficavam na base do Monte Parnaso,[2] e capturaram uma delas.[1]

Os lacedemônios, por serem dórios, enviaram uma tropa de mil e quinhentos soldados espartanos e dez mil de seus aliados.[1][2] Os fócios foram forçados a devolver a cidade (ou as cidades) que haviam tomado,[1][4] e fizeram a paz com os dórios,[4] mas, para voltar para Esparta, as tropas teriam que passar por regiões onde poderiam ser atacadas pelos atenienses.[1] Alguns atenienses queriam que as tropas espartanas, localizadas na Beócia, fossem a Atenas derrubar a democracia e as muralhas, mas os Atenas juntou uma tropa de mil e quatrocentos soldados, inclusive aliados argivos, e lutaram contra os espartanos.[1] Segundo Diodoro Sículo, as forças atenienses, com seus aliados de Argos e da Tessália, tinham cinquenta navios e 14.000 homens, e ocuparam os passes próximos do Monte Geraneia.[6]

Os lacedemônios, recebendo informação dos planos atenienses, tomaram a rota através de Tânagra, na Beócia; os atenienses e aliados avançaram até Tânagra e formaram a linha de batalha.[7]

Ocorreu então a batalha de Tânagra, uma vitória lacedemônia, porém com grandes perdas de ambos os lados.[8] Durante a batalha, os tessálios desertaram para o lado lacedemônio, e a batalha só terminou com a chegada da noite, com grandes perdas.[7] Os lacedemônios voltaram através de Mégara, cortando as árvores à frente deles.[8]

Referências

  1. a b c d e f g h i j Tucídides, História da Guerra do Peloponeso, Livro I, 107
  2. a b c d Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro XI, 79.5 [ael/fr][en]
  3. Pausânias (geógrafo), Descrição da Grécia, 3.3.9
  4. a b c Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro XI, 79.6 [ael/fr][en]
  5. No ano em que Bion era arconte de Atenas, e Publius Servilius Structus e Lucius Aebutius Albas eram cônsules romanos, de acordo com Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro XI, 79.1 [ael/fr][en]
  6. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro XI, 80.1 [ael/fr][en]
  7. a b Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro XI, 80.2 [ael/fr][en]
  8. a b Tucídides, História da Guerra do Peloponeso, Livro I, 108

Árvore genealógica baseada em Heródoto, Pausânias, Tucídides e Diodoro Sículo:

Anaxândrides II
Leônidas I
Cleômbroto (regente)
Plistarco
Pausânias (general)
Nicomedes
Plistóanex