O Filho Eterno

Disambig grey.svg Nota: Se procura pelo filme de 2016, veja O Filho Eterno (filme).

O Filho Eterno é um livro de Cristóvão Tezza publicado originalmente em 2007.

O Filho Eterno
Autor(es) Cristóvão Tezza
Idioma português
País  Brasil
Assunto Síndrome de Down
Editora Editora Record
Lançamento 2007
Páginas 224

Conta a história de um pai e seu filho com síndrome de Down, seus aprendizados e dificuldades.

PrêmiosEditar

EdiçõesEditar

Edição brasileira

  • O Filho Eterno, Rio de Janeiro, RJ: Editora Record, 2007.

Edição portuguesa

  • O Filho Eterno, Lisboa: Gradiva Publicações, 2008.

Traduções

  • Tradução italiana por Maria Baiocchi, Bambino Per Sempre, Milano: Sperling & Kupfer, 2008.
  • Tradução catalã por Josep Domènech Ponsatí, El Fill Etern, Barcelona: Club Editor, 2009.
  • Tradução francesa por Sébastien Roy, Le Fils Du Printemps, Paris: Editeur Métailié, 2009.
  • Tradução neerlandesa por Arie Pos, Eeuwig Kind, Amsterdam: Contact, 2009.
  • Tradução inglesa por Alison Entrekin, The Eternal Son, Carlton North, VIC: Scribe Publications, 2010.
  • Tradução espanhola por María Teresa Atrián Pineda, El Hijo Eterno, Ciudad de México: Editorial Elephas, 2012.
  • Tradução macedónia, Vecniot sin
  • Tradução norueguesa: Den evige sønn. Tradução de Grete Skevik. Editora Solum, Oslo, Noruega;
  • Tradução croata: Vjecni Sin. Tradução de Tanja Tarbuk. Editora Knjizara Ljevak, Zagreg, Croácia;
  • Tradução dinamarquesa: Den evige søn. Tradução de Tine Lykke Prado. Editora Forlaget Vandkunsten, Copenhague, Dinamarca;
  • Tradução chinesa: Eterno Felipe, People's Literature Publishing House, Pequim, China;
  • Tradução eslovena: Vecni sin. Tradução e Posfácio de Katja Zakrajše. Editora Založba Modrijan, Liubliana, Eslovênia;
  • Tradução mexicana: El hijo eterno. Tradução de María Teresa Atrián Pineda. Editorial Elephas, Cidade do México, México.

[3]

AdaptaçõesEditar

 Ver artigo principal: O Filho Eterno (filme)

Foi adaptado como peça teatral por Bruno Lara Resende. A apresentação por Cia Atores de Laura, com direção de Daniel Herz, e com o ator Charles Fricks foi eleito por O Globo como uma das melhores peças de 2011.[4] Também foi adaptação para um filme, com o mesmo nome, lançamento 2016.

Ligações externasEditar

Referências

  1. http://www.cristovaotezza.com.br/p_biografia.htm
  2. Folha Online (1 dezembro 2008). «Cristovão Tezza e Tatiana Levy levam Prêmio São Paulo de Literatura». Folha de S.Paulo. Consultado em 6 abril 2013 
  3. «||| Cristovão Tezza |||». www.cristovaotezza.com.br. Consultado em 10 de maio de 2021 
  4. Barbara Heliodora, Luiz Felipe Reis, e Tânia Brandão (28 dezembro 2011). «As melhores peças de 2011». O Globo. Consultado em 8 maio 2013 
  Este artigo sobre um livro é um esboço relacionado ao Projeto Literatura. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.