Abrir menu principal

Octávio Júlio Moreira Lima

Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde janeiro de 2015). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Octávio Júlio Moreira Lima
Nascimento 11 de agosto de 1926
Rio de Janeiro
Morte 23 de maio de 2011 (84 anos)
Cidadania Brasil
Progenitores Pai:Filipe Moreira Lima

Octávio Júlio Moreira Lima (Rio de Janeiro, 11 de agosto de 1926 - Idem, 23 de maio de 2011) foi um militar brasileiro.

BiografiaEditar

Octávio Júlio Moreira Lima era filho do general Filipe Moreira Lima e de Medéia de Morais. Ingressou na Escola de Aeronáutica do Campo dos Afonsos em 1943, tendo se formado aspirante-a-oficial em dezembro de 1945, ano em que fez o curso de formação de oficiais aviadores. Passou a segundo-tenente em agosto de 1946 e a primeiro-tenente em setembro de 1947. Foi instrutor da Escola de Aeronáutica, atual Academia da Força Aérea, de 1947 a 1950; nesse último ano, foi promovido ao posto de capitão. Em 1951, concluiu o Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais da Aeronáutica e de Tática Aérea. Em janeiro de 1957 alcançou o posto de major. Após fazer o curso de Estado-Maior, em 1962, foi promovido a tenente-coronel, em janeiro de 1963. No mesmo ano frequentou o Curso de Preparação de Instrutores da Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR) e, em 1965, o Curso Superior de Comando. Fez dois cursos na Air Command and Staff School da Air da Air University (USAF), nos Estados Unidos, em 1966, sendo promovido a coronel no ano seguinte. Atuou como instrutor da ECEMAR de março de 1967 a abril de 1968, assumindo a chefia do Estado-Maior da 4a Zona Aérea (atual Quarto Comando Aéreo Regional) em maio seguinte. Em dezembro de 1971, tornou-se chefe do Departamento de Ensino da ECEMAR e Oficial-de-Gabinete do Ministro da Aeronáutica (Assessor Parlamentar no Congresso Nacional), permanecendo nesta segunda função até outubro de 1972. Em março de 1980, foi promovido a major-brigadeiro-do-ar e, no mês seguinte, assumiu a chefia do Comando de Transporte Aéreo. Em julho de 1982, atingiu o mais alto posto do quadro de Oficiais-Aviadores da ativa da Aeronáutica ao ser promovido a tenente-brigadeiro-do-ar.

Foi ministro da Aeronáutica no governo Sarney, de 15 de março de 1985 a 15 de março de 1990. Durante seu período no ministério ocorreu a Noite Oficial dos Óvnis, em 19 de maio de 1986, episódio que ele declarou ser autêntico.

Foi diretor do Instituto Histórico-Cultural da Aeronáutica de 1992 a 19 de agosto de 2010, quando entregou a direção do instituto ao Ten Brig Ar Paulo Roberto Cardoso Vilarinho.[1][2] Faleceu vítima de insuficiência renal.[3]

Referências