Abrir menu principal

Octogesima Adveniens

Octogesima Adveniens é nome de uma Carta Apostólica datada de 14 de maio de 1971, escrita pelo Papa Paulo VI, é comemorativa dos 80 anos da Encíclica Rerum Novarum, trata sobretudo do compromisso sócio-político dos cristãos. Analisa as várias ideologias: as correntes socialistas (31), a marxista (32-34) e a liberal (35), que exigem um discernimento cristão (36). Aborda o renascimento das utopias com as suas virtualidades e os seus riscos (37). É um dos documentos básicos da Doutrina Social da Igreja.[1]

Brasão de armas do Papa Paulo VI

Esta Carta Apostólica publicada por ocasião do 80ª aniversário da encíclica Rerum Novarum, de Leão XIII, trata de ampliar o sentido da Doutrina Social da Igreja. Foi dirigida ao cardeal Maurício Roy, então presidente do Conselho dos Leigos e da Pontifícia Comissão "Justiça e Paz".[1]

Depois de uma extensa introdução o Papa Paulo VI aponta a intenção da carta de continuar e ampliar os ensinamentos em matéria de doutrina social apresentados por seus antecessores após a "Rerum Novarum". Reconhece a sensibilidade cada vez maior em busca de uma maior justiça, não só no meio das comunidades critãs, mas também no mundo inteiro. Considera que a principal causa dos problemas sociais é a desigualdade.[1]

Recorda o Papa que as situações das diversas comunidades católicas são tão diversas que não se podem dar linhas concretas de ação, mas que se há de discernir em cada lugar o que é melhor e atuar e por em prática as exigências evangélicas em cada contexto e ante cada problemática. Propõe iluminar os diversos problemas sociais que por sua complexidade e amplitude são especialmente preocupantes.[2]

Paulo VI reconhece que o crescimento e o progresso em diversos campos é causa de uma crescente aspiração à igualdade e à participação mais ativa. Isto fica patente na redação de novos códigos de direitos humanos e nos acordos internacionais que se tem pactuado. No entanto afirma também que ainda falta muito para que as leis estejam adequadas às necessidades daquela época..[2]

A sociedade política, segundo o Papa, tende cada vez mais para modelos democráticos, mas há de estar baseada em um projeto relacionado com a vocação humana e suas expressões na mesma sociedade sem impor nenhuma ideologia. Recorda que os católicos não podem aderir a ideologias opostas aos princípios do Evangelho, como o marxismo e o liberalismo ateu. Detém-se em examinar a evolução das ideologias, em especial do socialismo, do marxismo e da que chama de "ideologia liberal".

As ciências humanas, os Papa as apresenta no mesmo nível das idelogias, às quais faz um forte crítica pois, afirma que submetem a exame os conhecimentos que se tem sobre o homem, mas tanto os seus métodos como seus pressupostos não lhes permitem dar as respostas globais que pretendem oferecer. Conclui esta parte da carta mencionando a ambiguidade do progresso material.

EsquemaEditar

A Carta está subdividida em tópicos dispostos da seguinte forma:

Introdução

  • Apelo universal por mais justiça
  • A mensagem específica da Igreja
  • Amplidão das mudanças atuais

I. NOVOS PROBLEMAS SOCIAIS

  • A urbanização
  • Os cristãos na cidade
  • Os jovens
  • O lugar da mulher
  • Os trabalhadores
  • As vítimas das mudanças
  • As discriminações
  • Direito à emigração
  • Criar postos de trabalho
  • Os meios de comunicação social
  • O meio ambiente

II. ASPIRAÇÕES FUNDAMENTAIS E CORRENTES DE IDÉIAS

  • Vantagens e limitações dos reconhecimentos jurídicos
  • A sociedade política
  • Ideologias e liberdade humana
  • Os movimentos históricos
  • A atração das correntes socialistas
  • Evolução histórica do marxismo
  • A ideologia liberal
  • O discernimento cristão
  • O renascer das utopias
  • A interrogação das ciências sobre o homem
  • A ambigüidade do progresso

III. OS CRISTÃOS PERANTE ESTES NOVOS PROBLEMAS

  • Dinamismo da doutrina social da Igreja
  • Para uma maior justiça
  • Mudança de estruturas
  • Significado cristão da ação política
  • Compartilha das responsabilidades

IV. APELO À AÇÃO

  • Necessidade de se comprometer na ação
  • Pluralismo das opções

Referências

  1. a b c Octogesima Adveniens nºs. 1 a 7. Sítio oficial da Santa Sé - Vis. 23.jan.2013
  2. a b Os direitos sociais na Octogesima Adveniens Arquivado em 17 de outubro de 2015, no Wayback Machine. Artigo de Máriton Silva Lima. Vis.24.jan.2013

Ligações externasEditar