Odão de Sully

Odão ou Eudo de Sully (em latim: Odo de Soliaco; em francês: Odon de Sully; m. 1208) foi bispo de Paris entre 1198 e 1208. Politicamente, Odo entrou em conflito com o rei Filipe Augusto quando ele tentou repudiar sua esposa.[1] Era irmão de Henrique de Sully, arcebispo de Bourges. O pai deles, também chamado Eudo de Sully, era filho de Guilherme de Blois, senhor de Sully[2]. É considerado o primeiro a enfatizar a importância da elevação da hóstia durante a missa[3] e, em 1175, proibiu a comunhão para crianças.[4]

Seu predecessor, Maurício de Sully, apesar do nome, não era um parente próximo.

BibliografiaEditar

  • Os decretos de Odo estão no volume 22 de "Sacrorum conciliorum nova et amplissima collectio", de Mansi (53 vols., Graz : Akademische Druck- u. Verlangsanstalt, 1961). Mais recentemente, Odette Pontal produziu uma edição crítica destes estatutos em "Les statuts synodaux Français du XIIIe siècle. Tome 1: Les Statuts de Paris et le synodal de l'ouest." Paris: Bibliothèque Nationale, 1971.
  • Cheney, C. R., English Synodalia, London, Oxford University Press, 1968. Uma discussão sobre o impacto destes estatutos na Inglaterra.

Referências

  1.   "Paris" na edição de 1913 da Enciclopédia Católica (em inglês). Em domínio público.
  2. Cawley, Charles, Central France, Medieval Lands database, Foundation for Medieval Genealogy , Predefinição:Self-published inline[carece de fonte melhor]
  3.   "The Elevation" na edição de 1913 da Enciclopédia Católica (em inglês). Em domínio público.
  4. Schaff, Philip (1997). «XIV § 112». History of the Christian Church. The Sacramental System. Oak Harbor, WA: Logos Research Systems, Inc. 

Ligações externasEditar