Onkalo é um repositório de combustível nuclear irradiado e pode ser chamado também de depósito geológico profundo. Seu objetivo é eliminar o resíduo nuclear, sendo este o primeiro repositório do mundo.[1] Está atualmente em construção na Usina Nuclear de Olkiluoto, no município de Eurajoki, costa oeste da Finlândia. Foi baseado no método KBS-3 de enterramento de resíduos nucleares da Suécia.

Esquema do repositório nuclear

HistóriaEditar

A Lei de Energia Nuclear finlandesa[2] determinou em 1994 que todos os resíduos nucleares produzidos na Finlândia deveriam ser eliminados no próprio país. Olkiluoto foi escolhido no ano 2000 para ser o depósito geológico profundo. A instalação, que recebeu o nome de Onkalo (que significa "pequena caverna" ou "cavidade"),[3] está sendo construída em uma rocha de granito, a cerca de cinco quilômetros das usinas. O município de Eurajoki emitiu uma licença de costrução em 2003 e a escavação começou em 2004.[4]

ConstruçãoEditar

 
Vista do túnel

Os planos de construção da instalação estão divididos em quatro fases:

  • Fase 1 (2004-09): Esta fase é focada na escavação do túnel de acesso ao repositório, ele é feito em forma de uma espiral descendente até uma profundidade de 420 metros.[5]
  • Fase 2 (2009-11): Continuação da escavação até a profundidade final de 520 metros. As características da rocha foram estudadas a fim de se adaptar ao layout do repositório.
  • Fase 3: A construção do repositório, que está prevista para começar por volta de 2015.
  • Fase 4: O encapsulamento e sepultamento de áreas cheias de combustível irradiado, está projetada para começar por volta de 2020.

Uma vez em funcionamento, o processo de eliminação envolve colocar doze conjuntos de combustíveis em um recipiente de aço e em uma cápsula de cobre. Cada cápsula seria então colocada em seu próprio buraco no repositório e embalada com argila bentonítica. O custo estimado do projeto é de cerca de € 818 milhões, que inclui a construção, encapsulamento e os custos operacionais. O Fundo de Gestão de resíduos nucleares economizou cerca de € 1,4 bilhões em encargos com a eletricidade gerada.[6]

O repositório Onkalo é esperado para ser grande o suficiente para aceitar latas de combustível irradiado para cerca de cem anos, ou seja até por volta de 2120.[7] Neste ponto, o encapsulamento final e sepultamento ocorrerá e então o túnel de acesso será fechado e selado.

DocumentárioEditar

O diretor dinamarquês Michael Madsen co-escreveu e dirigiu o documentário Into Eternity, onde a fase inicial de construção é mostrada enquanto especialistas e gestores do projeto são entrevistados. A ênfase dada foi na dificuldade de se colocar avisos sobre o perigo no local, bem como esse perigo pode afetar as gerações futuras ou se resguardar de sua curiosidade em escavar o local novamente.[8]

Referências

  1. http://news.bbc.co.uk/2/hi/science/nature/4948378.stm
  2. «Nuclear Energy Act (990/1987) (in English)» (PDF). Finlex 
  3. Räisänen, Alpo (2010). «Onkamo and other place names». Helsinki: Society for the Study of Finnish. Virittäjä. 4/2010 (114). Consultado em 22 de abril de 2011. Arquivado do original em 24 de julho de 2011 
  4. Finnish Energy Industries, "Nuclear Waste Management in Finland"; accessed 2 October 2009; http://www.energia.fi/en/publications/nuclear%20waste.pdf Arquivado em 26 de janeiro de 2012, no Wayback Machine.
  5. Finland's nuclear waste bunker built to last at least 100,000 years, http://edition.cnn.com/2010/WORLD/europe/11/12/finland.nuclear.waste/
  6. "Nuclear Power in Finland." World Nuclear Association. February 2008. http://www.world-nuclear.org/info/inf76.html
  7. «Into Eternity». Intoeternitythemovie.com. Consultado em 15 de maio de 2011. Arquivado do original em 22 de maio de 2013 
  8. Edan Corkill (15 de janeiro de 2012). «Danger! Nuclear waste! Keep out — forever!». Japan Times 

Ligações externasEditar