Operação Anubis

A Operação Anubis (em castelhano: Operación Anubis) ou a Batalha pela Catalunha[1] foi uma operação de grande envergadura levada a cabo pela polícia espanhola para impedir a realização do Referendo sobre a independência da Catalunha em 2017 em 1 de outubro de 2017. [2][3]

Operação Anubis
País Catalunha Catalunha, Espanha Espanha
Ocorreu a partir de 20 de setembro de 2017
Participantes na Operação EspanhaPolícia Nacional e Guarda Civil

A operação foi iniciada em 20 de setembro de 2017 e nela foram envolvidos contingentes da Polícia Nacional e da Guarda Civil, enviados de diversas partes da Espanha para a Catalunha. Estas forças policiais encerraram assembleias de voto, confiscaram boletins e urnas de voto, impediram os eleitores de entrar nos locais de votação, ocuparam o centro de telecomunicações e tecnologia da informação do governo catalão (impedindo o sufrágio a distância e a contagem dos votos do plebiscito). Durante a sua atuação no terreno, prenderam 14 funcionários catalães, implicados na implementação do referendo, além de fazerem cargas policiais e usaram gases lacrimógenos contra a população, causando centenas de feridos. [4][5] No período posterior a dívida pública chegou a 98% do pib.[6]

Referências

  1. "No digo que esta sea una batalla entre buenos y malos, pero es una en la que posiblemente perdamos todos"
  2. E. Arroyo. «La 'operación Anubis' desmonta el referéndum independentista en 20 horas» (em espanhol). El Español. Consultado em 4 de outubro de 2017 
  3. AUTOR. «Catalonia referendum: Spain steps up raids to halt vote» (em inglês). BBC News. Consultado em 4 de outubro de 2017 
  4. «Cop de l'Estat a la Generalitat» (em catalão). El Punt Avui. Consultado em 21 de setembro de 2017 
  5. Aleix Moldes e Núria Martínez. «Qui són els 14 detinguts?» (em catalão). Ara.cat. Consultado em 21 de setembro de 2017 
  6. Deuda de las Administraciones Públicas según el Protocolo de Déficit Excesivo. Avance mensual (septiembre de 2018)

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar