Abrir menu principal

Públio Cornélio Cosso (tribuno consular em 408 a.C.)

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Públio Cornélio Cosso.
Públio Cornélio Cosso
Tribuno consular da República Romana
Tribunato 408 a.C.

Públio Cornélio Cosso (em latim: Publius Cornelius Cossus) foi um político da gente Cornélia nos primeiros anos da República Romana eleito tribuno consular em 408 a.C..

Primeiro tribunato (408 a.C.)Editar

Em 408 a.C., foi eleito tribuno consular com Caio Júlio Julo e Caio Servílio Estruto Aala[1].

Os équos e os volscos, depois de guarnecerem a cidade de Verrugine e arrasar o território à volta, enviaram um exército para combater os romanos até Anzio (em latim: Antium), a mais ativa cidade na organização da campanha.

Depois de longas discussões, com pareceres contrários de Caio Júlio e Públio Cornélio, finalmente Roma chegou à conclusão de que seria necessário nomear um ditador para combater Anzio.

Dizem que Júlio e Cornélio não gostaram da decisão; o tema foi discutido acaloradamente: os patrícios mais autoritários, depois lamentaram em vão que os tribunos militares não subjugaram a autoridade do Senado.
 
Lívio, Ab Urbe Condita IV, 4, 55[2].

Assim, o terceiro tribuno, Caio Servílio, nomeou ditador Públio Cornélio Rutilo Cosso que, por sua vez, nomeou o próprio Caio Servílio como mestre da cavalaria (magister equitum). O exército romano derrotou facilmente o exército inimigo[3].

O exército romano derrotou facilmente o inimigo[1].

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b Lívio, Ab Urbe Condita IV, 4, 56.
  2. Lívio, Ab Urbe Condita IV, 4, 55
  3. Lívio, Ab Urbe Condita IV, 4, 57

BibliografiaEditar

  • T. Robert S., Broughton (1951). The Magistrates of the Roman Republic. Volume I, 509 B.C. - 100 B.C. (em inglês). I, número XV. Nova Iorque: The American Philological Association. 578 páginas