Paio Gonçalves

Paio Gonçalves em castelhano: Pelayo González (m. d. 959), conde em Deza, conde de Deza, foi um nobre, membro da mais alta nobreza galega do século X.

Relações familiaresEditar

Filho de Gonzalo Betótez, Conde de Deza e Teresa Eriz, filha do Conde Ero Fernandes,[1] era irmão do Conde Hermenegildo Gonçalves e Aragonta Gonçalves, esposa do Rei Ordonho II de Leão.[1] Casou com a sua prima Ermesinda Guterres, filha de Guterre Mendes, conde de Lugo, e Ilduara Eriz e irmã de São Rosendo de Celanova.[2] Os nomes dos filhos deste casamento são registados numa doação feita por um dos seus filhos, Froila, ao Mosteiro de Celanova em 973.[3] Mattoso menciona uma hipótese de A. Fernandes que sugere que Pelayo e Ermesinda foram também os pais de uma Elvira Pelaez que deu à luz Bermudo II no Rei Ordoño III de Leão. Esta suposta filha não aparece na documentação medieval, ao contrário dos oito filhos que estão documentados.[4]

Referências

  1. a b Torres Sevilla-Quiñones de León 1999, p. 292.
  2. a b c d e f g Sáez 1946, p. 42.
  3. Sáez 1946, p. 44.
  4. Mattoso 1981, p. 119.
  5. a b c d e f g Portela Silva & Pallares Méndez 1987, p. 20.
  6. García Álvarez 1960, p. 223, nota 87.
  7. Torres Sevilla-Quiñones de León 1999, p. 292, n. 1471.
  8. a b Sáez 1946, p. 43.

BibliografiaEditar

  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.