Palazzo Sacchetti

Palazzo Sacchetti é um palácio localizado no número 66 da Via Giulia, no rione Ponte de Roma[1].

Vista do palácio na Via Giulia.

História e descriçãoEditar

 
"Morte de Saul e Jónatas", de Francesco Salviati, no palácio.

A construção do palácio foi realizada com base num projeto de Antonio da Sangallo, que ali pretendia construir sua própria residência depois de adquirir, em 1542, o terreno e uma residência não terminada de propriedade do capítulo vaticano do papa Paulo III, a quem ele dedicou um brasão ainda hoje na fachada principal, apesar de bem erodido. A este palácio, Sangallo, que costumava chamá-lo de "palácio perfeito", dedicou seus últimos anos de vida, sobretudo ao projeto até 1545; quando morreu, no ano seguinte, passou a obra para seu filho, Orazio, e a construção foi levada até ao fim por Nanni di Baccio Bigio. Adquirido por Ricci de Montepulciano, que gastou grandes somas nas obras de ampliação e decoração do palácio, o edifício passou depois para a família Cevoli (ou Ceuli), da qual deriva o nome da vizinha Vicolo del Cefalo. Em 1608, o palácio foi adquirido pelo cardeal Ottavio Acquaviva d'Aragona, arcebispo de Nápoles, que, antes de 1612, ano de sua morte, determinou a construção de uma capela decorada em afrescos por Agostino Ciampelli. Em 1648, os Acquaviva venderam o palácio aos marqueses Sacchetti, de Florença, que mantiveram a propriedade integral até 2015, quando parte do edifício foi vendido. No local estão alguns dos ciclos de pinturas mais significativos do maneirismo, com obras de Francesco Salviati, a quem se deve os esplêndidos afrescos da "Sala de Audiências" (1553-1555), Pietro da Cortona e Jacopino del Conte.

PropriedadeEditar

 
Entrada posterior, no Lungotevere Sangallo, de frente para o Tibre.

Parte do palácio correspondente a todo o piso nobre, recebida em herança por Giovanna Zanuso, esposa do finado Giulio Sacchetti, foi vendida ao banqueiro Robert De Balkany em 2015 por 50 milhões de euros[2]. Depois da morte dele, a propriedade foi novamente vendida pela Sotheby's[3].

Referências

Ligações externasEditar