Abrir menu principal

Paper Mario: The Thousand-Year Door

Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde julho de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Paper Mario: The Thousand Year Door
Capa do jogo lançada na América do Norte.
Desenvolvedora(s) Intelligent Systems
Publicadora(s) Nintendo
Compositor(es) Yoshito Hirano
Yuka Tsujiyoko
Plataforma(s) Nintendo GameCube
Série Paper Mario
Data(s) de lançamento
Gênero(s) Role Playing Game
Modos de jogo Single-player
Paper Mario
Super Paper Mario

Paper Mario: The Thousand-Year Door (popularmente conhecido como Paper Mario 2) é um RPG e continuação do jogo Paper Mario. Foi desenvolvido pela Intelligent Systems e lançado em outubro de 2004 para o GameCube.

A história começa com um passeio da Princesa Peach com Toadsworth pela perigosa porém excitante cidade de Rogueport, onde muitas lendas de tesouros cercam o local. Acidentalmente Peach consegue de um vendedor um mapa mágico que mostrava a localização das Crystal Stars. Despertando a atenção dos X-Nauts (novos vilões), a princesa é raptada, mas tem tempo de enviar o mapa por correio para Mario.

Sua aventura começará aí, em busca de sua princesa, de decifrar o mapa da lendária porta milenar que guarda um tesouro misterioso, e de evitar que Bowser entre em seu caminho.

A Nintendo e a Inteligent Systems desenvolveram um mundo de papel no estilo 3D, com áreas de pseudo-2D, onde Mario e todos os personagens e texturas são finas folhas de papel, com algumas partes dos cenários sendo construídas por vibrantes e coloridos polígonos apenas. A arte, o design e o estilo gráfico de Paper Mario fazem todo o diferencial e um gráfico extremamente bom.

HistóriaEditar

O jogo inicia com uma pequena introdução, sobre uma antiga cidade litorânea muito próspera que fora atingida por um cataclismo e, consequentemente, afundou nas profundezas do subsolo. Muitos anos mais tarde, outra cidade, que recebeu o nome Rogueport, foi construída no mesmo local, e desde então fábulas sobre a fortuna escondida nas ruínas da antiga cidade —cuja localização seria atrás de uma porta milenar (The Thousand-Year Door) e para abri-la seria necessário o poder de sete cristais estrelares (Crystal Stars) surgiram.

Durante uma viagem por todo o seu reino, Princesa Peach acaba parando na negligenciada cidade de Rogueport, onde se depara com um misterioso vendedor que insistentemente a chama para ver suas mercadorias. Ao observar bem os itens ali expostos, Peach se interessa por uma pequena caixa, que somente pode ser aberta por uma pessoa de coração puro, e ali encontra um mapa mágico.

Mario é envolvido quando recebe uma carta da Princesa Peach, junto com o mapa e um pedido para que viajasse até Rogueport, onde se encontrariam e caçariam o tesouro da lenda juntos. Sem opção, pois teria que devolver o mapa para a princesa de qualquer jeito, Mario viaja até a cidade, porém ao chegar descobre que Peach desapareceu. Supondo que a mesma já saiu para procurar o tesouro sozinha, com a ajuda de Goombella (uma Goomba fêmea estudante que insiste ajudar Mario após este salvá-la de Lord Crump), Professor Frankly (ex-professor de faculdade da Goombella) e do mapa obtido, Mario vai atrás da The Thousand-Year Door.

Mais tarde é descoberto que a princesa foi raptada pelos X-Nauts, que acreditavam que a mesma estava na possessão do mapa mágico. Para poder resgatá-la e impedir que os X-Nauts atinjam o seu objetivo, Mario deve ir atrás das sete Crystal Stars (Cristais Estrelares) espalhadas em localizações secretas que são reveladas através do mapa mágico.

RecepçãoEditar

 Recepção
Resenha crítica
Publicação Nota
IGN 9,1/10[2]
GameSpot 9,2/10[3]
Nintendo Insider 8,6/10[4]
Pontuação global
Publicação Nota média
Metacritic 87/100[5]

O jogo teve recepção favorável dos críticos. Eurogamer diz que "nossas primeiras horas com Paper Mario 2 foram preenchidas com o tipo de magia e admiração que temos vindo a esperar de RPGs do Mario".[1] Nintento Insider diz que "Paper Mario 2, mesmo expandindo o conteúdo [de Paper Mario], retém tantas coisas [de Paper Mario] que quem amou o primeiro vai amar esse também, da mesma forma que quem odiou o primeiro vai odiar esse também".[4]

Referências

  1. a b Bramwell, Tom (20 de agosto de 2004). «Paper Mario 2: The Thousand Year Door». Eurogamer (em inglês). Consultado em 30 de julho de 2019 
  2. Schneider, Peer (12 de outubro de 2004). «Paper Mario 2: The Thousand-Year Door». IGN (em inglês). Consultado em 30 de julho de 2019 
  3. Kasavin, Greg (11 de outubro de 2004). «Paper Mario: The Thousand-Year Door Review». GameSpot (em inglês). Consultado em 30 de julho de 2019 
  4. a b «Paper Mario: The Thousand-Year Door Review». Nintendo Insider (em inglês). 2004. Consultado em 30 de julho de 2019. Arquivado do original em 29 de dezembro de 2004 
  5. «Paper Mario: The Thousand Year Door». Metacritic (em inglês). Consultado em 30 de julho de 2019 

Ligações externasEditar