Pastorícia

ramo da agricultura que trata da criação de gado, a pecuária, ou seja, a criação, manutenção e utilização de animais

A pastorícia é um ramo da agricultura que trata da criação de gado, a pecuária, ou seja, a criação, manutenção e utilização de animais como camelos, cabras, vacas, iaques, lhamas e ovelhas. Pode ter uma característica móvel, em que os rebanhos são conduzidos em busca de pastos e água.

A pastorícia pode ser encontrada, em numerosas variações, por todo o mundo. A composição dos rebanhos, as práticas de administração, organização social e todos os outros aspectos da pastorícia variam entre regiões e grupos sociais. Diversas práticas tradicionais também tiveram de ser adaptadas devido às circunstâncias variáveis do mundo moderno. Os ranchos dos Estados Unidos e as sheep stations e cattle stations da Austrália são vistas como variações modernas.

Benefícios da atividade pastoríciaEditar

A atividade pastorícia possui uma grande relevância enquanto ferramenta de gestão de paisagem devido aos enormes e múltiplos benefícios que proporciona[1], nomeadamente os seguintes serviços dos ecossistemas:

  • Sequestro de carbono;
  • Proteção do ciclo hidrológico;
  • Proteção de reservas freáticas;
  • Conservação da biodiversidade;
  • Cultura pastoril;
  • Segurança alimentar;
  • Redução do risco de calamidades;
  • Redução da pobreza;
  • Integridade dos ecossistemas;
  • Adaptação às alterações climáticas.

Valorização da cultura pastorilEditar

A cultura pastoril é ainda bastante valorizada pela sociedade, facto comprovado pela existência de numerosos lugares e eventos culturais relacionados com a pastorícia e a transumância, tais como museus, feiras de gado, festas da transumância, assim como através da publicação de monografias e realização de seminários especializados, etc.

Em Portugal existem vários museus e espaços museológicos dedicados à pastorícia e cultura pastoril:

Museus e espaços museológicos de Portugal - Pastorícia e cultura pastoril[2]
Museu Localização Relevância do acervo para a cultura pastoril
Núcleo Museológico da Pastorícia – Salgueiro Salgueiro, Fundão Possui instrumentos musicais e utilitários produzidos através de arte pastoril; Entrevistas com pastores com as suas memórias, as suas práticas e percursos de transumância, exposição fotográfica;.
Museu do Pastor Cativelos, Gouveia Reconstituição da cabana do pastor da Serra da Estrela. Exposição de diferentes utensílios relacionados com o pastoreio e com o fabrico do queijo.
Museu Etnográfico do Rancho "Os Pastores de São Romão" São Romão, Seia Acervo diversificado: utensílios de uso doméstico, instrumentos de trabalho, relativos a diversas artes e ofícios; alfaias agrícolas e pastoris/laticínios
Centro Cultural Raiano Idanha-a-Nova Recolhas locais que caracterizam a cultura da região: agricultura; olaria; pastorícia; espaço doméstico; faiança; mobiliário
Museu de Aldeia da Ponte Aldeia da Ponte, Sabugal Objetos de cariz etnográfico que reproduzem algumas atividades que caracterizam a região: do pão ao linho, da agricultura à pastorícia, entre outros.
Museu de Tecelagem dos Meios Meios, Guarda Materiais ligados à temática da pastorícia, transumância e aproveitamento da lã de ovelha.
Casa do Mundo Rural de Prados Prados, Celorico da Beira Núcleo museológico recria a casa e a vida familiar, a par com o trabalho no campo e o pastoreio
Núcleo Museológico e Etnográfico do Rancho Folclórico da Casa do Povo de Nespereira Nespereira, Gouveia Acervo representativo das profissões características da freguesia (canteiro, carpinteiro, pastor, queijeira, alfaiate, etc.)

Ver tambémEditar

Referências

  1. McGahey, D., Davies, J., Hagelberg, N., and Ouedraogo, R., 2014. Pastoralism and the Green Economy – a natural nexus? Nairobi: IUCN and UNEP. x + 58p
  2. Roteiro dos Museus da Região Centro

BibliografiaEditar

  • Alvard, M. S. and L. Kuznar (2001). Deferred harvest: the transition from hunting to animal husbandry. American Antiquity 103(2): 295-311.
  • Fagan, B. (1999) "Drought Follows the Plow", adapted from Floods, Famines and Emperors: Basic Books
  • Fratkin, E. (1997) Pastoralism: Governance & Development Issues. Annual Review of Anthropology, 26
  • Hardin, G. (1968) The Tragedy of the Commons. Science, 162, 1243–1248
  • Hole, F. (1996). "The context of caprine domestication in the Zagros region'". in The Origins and Spread of Agriculture and Pastoralism in Eurasia. D. R. Harris (ed.). London, University College of London: 263-281.
  • Ingold, T. (2000). The Perception of the Environment. London: Routledge.
  • Kipuri, N. & Ridgewell, A. (2008) A Double Bind: The Exclusion of Pastoralist Women in the East and Horn of Africa, London, Minority Rights Group
  • Lees, S & Bates, D. (1974) The Origins of Specialized Nomadic Pastorlaism: A Systematic Model. American Antiquity, 39, 2.
  • Levy, T. E. (1983). Emergence of specialized pastoralism in the Levant. World Archaeology 15(1): 15-37.
  • Markakis, J. (2004) Pastoralism on the Margin, London, Minority Rights Group
  • Monbiot, G. (1994) The Tragedy of Enclosure. The Scientific American
  • Pyne, Stephen J. (1997) Vestal Fire: An Environmental History, Told through Fire, of Europe and Europe's Encounter with the World. Seattle and London: University of Washington Press. ISBN 0-295-97596-2
  • Saltini Antonio, Storia delle scienze agrarie, 4 vols, Bologna 1984-89, ISBN 88-206-2412-5, ISBN 88-206-2413-3, ISBN 88-206-2414-1, ISBN 88-206-2414-X
  • Smith, A. B. (1992). Pastoralism in Africa. London, Hurst & Company.
  • Wilson, K.B. (1992) Rethinking Pastoral Ecological Impact in East Africa. Journal of Tropical Ecology, 8, 4