Abrir menu principal
Como ler uma infocaixa de taxonomiaPau-cravo
Taxocaixa sem imagem
Estado de conservação
Espécie vulnerável
Vulnerável
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Laurales
Família: Lauraceae
Género: Dicypellium
Espécie: D. caryophyllaceum
Nome binomial
Dicypellium caryophyllaceum
(Mart.) Nees, 1833
Sinónimos
Persea caryophyllacea Mart., basion.

Pau-cravo (Dicypellium caryophyllaceum) é uma designação, dada no Brasil, a uma árvore encontrada na Amazônia. Possui flores e frutos aromáticos e pode atingir até 20 metros de altura.[1] Outros nomes populares: cravo-do-maranhão, imira-ataia, licari-cani.

Esta espécie encontra-se ameaçada de extinção,[2][3] É encontrada na Amazônia brasileira, mas também na peruana e equatoriana.[1] No entanto, a Lista de espécies da Flora do Brasil 2010 do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, oficialmente adotada perante organizações internacionais, a classifica como endêmica do Pará e Maranhão.[4] A União Internacional para a Conservação da Natureza e de Recursos Naturais (em inglês: IUCN) também descreve o Pau-cravo como nativa exclusivamente do Brasil, mais precisamente da Amazônia nos estados de Maranhão, Pará e Amazonas, e refere que os dados, de 1998, justificando sua inclusão na categoria de espécies vulneráveis, estão desatualizados. A IUCN refere que no passado existia desde o Maranhão para todo o norte, mas foi sobre-explorada para retirada de seu óleo essencial.

Durante o período colonial da história do Brasil, era uma das drogas do sertão,[1] fato que motivou sua inclusão na primeira edição da Pharmacopeia Brasileira (1929).

Os últimos exemplares na Amazônia brasileira foram encontrados em 2008, onde será feito um dos canais de derivação da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, e no município de Juruti, onde foram localizados 189 unidades - a maior quantidade desde o século XVIII, segundo pesquisa do Museu Emílio Goeldi.[1]

Referências

  1. a b c d Globo Amazônia. (25 de dezembro de 2010). Obras de Belo Monte devem passar em área com árvore em extinção, diz estudo Arquivado em 28 de dezembro de 2010, no Wayback Machine., acesso em 27 de dezembro de 2010
  2. Biota Brasil. Dicypellium caryophulatum (pau-cravo), acesso em 11 de janeiro de 2011
  3. Pedralli, G. 1998. Dicypellium caryophyllaceum. In: IUCN 2010. IUCN Red List of Threatened Species. Version 2010.4., acesso em 23 de abril de 2011
  4. Lista de espécies da Flora do Brasil 2010 'Dicypellium caryophyllaceum'[ligação inativa], acesso em 23 de abril de 2011