Pecos Bill

Pecos Bill é um cowboy fictício em histórias ambientadas durante a expansão americana para o sudoeste do Texas, Novo México, Sul da Califórnia e Arizona. Essas narrativas provavelmente foram inventadas como contos em um livro de Edward S. O'Reilly no início do século XX e são consideradas um exemplo de fakelore (falso folclore). Pecos Bill foi uma adição tardia à ideia de "grande homem" de personagens, como Paul Bunyan ou John Henry.

Em uma de suas aventuras, Pecos Bill conseguiu laçar um tornado.

As histórias sobre Pecos Bill o mostram como exemplo de coragem, humor, força e habilidade, como a que conta que ele montou e domou um ciclone. Também foi usado como explicação de fenômenos naturais como o uivo dos coiotes para a Lua. Ele teria sido criado por uma coiote fêmea. Seu cavalo é o Widowmaker, e sua namorada era Slue-Foot Sue. Para impressionar sua amada, Pecos Bill atirou em todas as estrelas do céu, menos uma que ficou conhecida como Lone Star, a estrela solitária.

As primeiras histórias conhecidas foram publicadas em 1917 por Edward O'Reilly para The Century Magazine e reunidas e reimpressas em 1923 no livro Saga of Pecos Bill (1923). O'Reilly alegou que eles faziam parte de uma tradição oral de contos contada por cowboys durante a expansão para o oeste e assentamento do sudoeste, incluindo Texas, Novo México e Arizona. Mas o folclorista americano Richard M. Dorson descobriu que O'Reilly inventou as histórias como "folclore"[1] e que escritores posteriores ou emprestaram contos de O'Reilly ou acrescentaram mais aventuras de sua própria invenção ao ciclo.[2]

Wild Bill Pecos na capa de The Westerner #39 (agosto de 1951), arte de Syd Shores

CinemaEditar

Em Melody Time de 1948, a obra foi adaptada para o cinema por Walt Disney. O segmento do filme chamado Pecos Bill começa com Roy Rogers e seus amigos cantando "Blue Shadows on the Trail". Depois duas crianças perguntam ao mocinho porque os coiotes uivam para a Lua. Em resposta, Roy Rogers fala e canta sobre Pecos Bill e seus companheiros. Em 1995, no filme da Disney Tall Tale, Pecos Bill foi interpretado por Patrick Swayze. Nesta ocasião, ele era apaixonado por Jane Calamidade.

Histórias em quadrinhosEditar

Edward "Tex" O'Reilly foi co-autor de uma tira de jornal com o cartunista Jack A. Warren, também conhecido como Alonzo Vincent Warren, entre 1929 e 1938. Quando O'Reilly morreu em 1938, Warren começou uma nova tira intitulada Pecos Pete. A tira foi publicada originalmente publicado no The Sun e foi posteriormente sindicalizada.

Em 1948, a editora Patches Publications lançou a revista em quadrinhos The Westerner Comics, tendo como personagem principal, Wild Bill Pecos, a revista foi publicada até 1951.[3] Em 1949, na Itália, surge pela Mondadori, uma série estrelada por Pecos Bill de Guido Martina (roteiros) e Raffaele Paparella (desenhos).[4]

Referências

  1. Dorson, Richard M. (1977). American Folklore. Chicago: University of Chicago Press. p. 4. ISBN 0-226-15859-4.
  2. Pecos Bill (American Southwest)
  3. House Of Collectibles, Robert M Overstreet. Comic Book-17ed. [S.l.]: Random House Information Group, 1987. 411 p. 9780876377468
  4. Franco Fossati, I grandi eroi del fumetto, Gramese, 1990, 178–179 p.