Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2009). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Pedro de Médici (desambiguação).


Pedro de Médici
Retrato de Pedro de Médici por Agnolo Bronzino.
Consorte Alfonsina Orsini
Nascimento 15 de fevereiro de 1471
  Florença
Morte 28 de dezembro de 1503 (32 anos)
  Garigliano
Filho(s) Lourenço II de Médici, Clarice de Médici
Pai Lourenço de Médici
Mãe Clarice Orsini

Pedro de Médici (em italiano Piero de' Medici), (Florença, 15 de fevereiro de 1471Garigliano, 28 de dezembro de 1503)[1], o Desafortunado, foi um dos senhores de Florença desde 1492 até ao fim dos seus dias.

Índice

BiografiaEditar

Pedro era o filho mais velho de Lourenço de Médici, o Magnífico, e de Clarice Orsini. Nascido na cidade de Florença, foi criado com o seu irmão mais novo, João, que mais tarde viria a tornar-se no Papa Leão X, e com o primo, Júlio, que se tornaria no Papa Clemente VII.[1]

Apesar da especial educação preparatória dada por seu pai, que o deveria ter preparado para ser o líder da família Médici e governador de facto do Estado de Florença, Pedro sempre manifestou um carácter débil, arrogante e indisciplinado mostrando não ser o homem certo para o cargo que o esperava em 1492.[2]

Dois anos depois de assumir o seu novo cargo (1494), Carlos VIII de França entra na Itália comandando um exército com o intuito de requerer o trono de Nápoles, para além de reforçar o apoio a Ludovico Sforza, que actuava como regente do sobrinho, Gian Galeazzo Sforza, então duque de Milão.

Carlos VIII, entretanto, decidira tomar a Toscana para assegurar as vias de ligação comercial com Milão. Pedro tentou reunir uma resistência contra os franceses, não sendo bem sucedido, dado que a população de Florença, estava submetida à influência do padre dominicano, fervoroso e radical, Girolamo Savonarola.

Sem muitas mais saídas, Pedro acabou por acatar todos as exigências de Carlos VIII, desistindo de lutar contra a força que ocupava Florença. Contrariamente ao esperado, o povo de Florença revolta-se contra a família Médici, cujos membros acabam por fugir da cidade, deixando o seu palácio a saque. Toda a família Médici foi formalmente exilada de Florença sendo, então, instituída a República. O evento marcou o fim do domínio da família Médici sobre Florença até à eleição de João de Médici como Papa Leão X.

Pedro e a sua família fugiram para Veneza com a ajuda do diplomara francês Philippe de Commines, um servente de Carlos VIII. Em 1503, enquanto os franceses e os espanhóis continuavam a sua batalha em Itália pelo Reino de Nápoles, Pedro, tomou o partido dos franceses. Pedro afogou-se no Rio Garigliano enquanto tentava fugir no rescaldo da Batalha de Garigliano, que os franceses perderam.

Casamento e filhosEditar

Em 1486, o tio de Pedro, Bernardo Rucellai, negociou o seu casamento com Alfonsina Orsini, uma nobre da Toscana. Bernardo tomou o lugar do sobrinho no casamento por procuração. Pedro e Alfonsina conheceram-se em 1488. Ela era filha de Roberto Orsini, Conde de Tagliacozzo e de Caterina Sanseverino. Eles tiveram dois filhos:

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b Tomas, Natalie R. (5 de julho de 2017). The Medici Women: Gender and Power in Renaissance Florence (em inglês). [S.l.]: Taylor & Francis. ISBN 9781351885836 
  2. Strathern, Paul (31 de outubro de 2011). Death in Florence: the Medici, Savonarola and the Battle for the Soul of the Renaissance City (em inglês). [S.l.]: Random House. ISBN 9781446477618 
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.