Abrir menu principal
Foguete Pegasus no solo.

O foguete Pegasus é um veículo propulsor espacial com asas, desenvolvido pela Orbital Sciences Corporation (Orbital). É composto de três estágios principais, preenchidos com propelente sólido para proporcionar maior empuxo. O veículo é lançado a partir de outra aeronave a aproximadamende 40.000 pés (12.000 m) de altitude. O Pegasus é capaz de descarregar pequenas cargas de combustível em órbitas de baixa altitude; o custo de seu lançamento custa aproximadamente 30 milhões de dólares, dependendo dos serviços adicionais.

Programa PegasusEditar

Os três motores sólidos Orion do Pegasus foram desenvolvidos pela Hercules Aerospace (atualmente Alliant Techsystems) especificamente para o lançador Pegasus. Adicionalmente, a montagem das asas e cauda, além da aerodinâmica da carga foi desenvolvida. A maior parte do Pegasus foi desenhada por uma equipe de design liderada pelo Dr. Antonio Elias. A asa foi criada por Burt Rutan.

  • Massa: 18,500 kg (Pegasus), 23,130 kg (Pegasus XL)
  • Comprimento: 16,9 m (Pegasus), 17.6 m (Pegasus XL)
  • Diâmetro: 1,27m
  • Envergadura da asa: 6,7m
  • Carga: 443 kg (1,18m de diâmetro, 2,13m de comprimento)

Um dos projetos internos da Orbital, a Orbcomm comunicações e os satélites de observação OrbView, além de um satélite derivado da Orbcomm (a plataforma “Microstar”) serviram de garantia aos clientes e investimento financeiro adicional. Logo após o desenvolvimento iniciou-se, rígidas regras governamentais e militares foram instituídas, já que o Scout foi indicado para ser eliminado e o ônibus espacial não estava oferecendo preços de voos e freqüência de uso esperados.

O primeiro voo bem-sucedido do Pegasus foi no dia 5 de Abril de 1990. Inicialmente, um B-52 Stratofortress pertencente à NASA, serviu de transportador. Em 1994, a Orbital passou a utilizar um avião de passageiros, o L-1011 da Lockheed.

Um Pegasus XL, apresentado em 1994, com estágios mais comprimos permitiu um aumento do transporte da carga. No Pegasus XL, o primeiro e segundo estágios foram alongados para o Orion 50SXL e o Orion 50XL, respectivamente. Os demais estágios permaneceram sem alterações; e as operações de Voo são similares. A asa foi levemente reforçada para lidar com maior peso. O Pegasus padrão foi descontinuado; o Pegasus XL ainda é produzido. Até 25 de Abril de 2006, o Pegasus já havia voado em 38 missões (em ambas combinações), dessas, 35 foram consideradas como lançamentos bem sucedidos..

Por seu trabalho durante o desenvolvimento do foguete, a equipe do Pegasus liderada pelo Dr. Antonio Elias, foi premiada em 1991 com a Medalha Nacional de Tecnologia pelo presidente dos Estados Unidos George Bush.

  Este artigo sobre foguetes é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.