Pierre Mignard, O Jovem

arquiteto francês

Pierre Mignard, O Jovem (ou Pierre II Mignard, ou Pierre Mignard II, cognominado o cavaleiro Mignard) (* Avignon, 20 de Fevereiro de 1640 - Avignon, 1725) foi arquiteto e pintor francês, filho de Nicolas Mignard e neto de Pierre Mignard, O Velho. Em 1671, tornou-se membro da Academia Real de Arquitetura. Um de seus projeitos mais notáveis foi a Abadia de Montmajour[1], onde ele construir, em 1703, um novo edifício para a Congregação de São Mauro.

Pierre Mignard, O Jovem
Mademoiselle Marie de Lorraine,
Duquesa de Guise (1615-1688)
Nascimento 20 de fevereiro de 1640
Avignon
Morte 1725 (85 anos)
Avignon
Nacionalidade francês
Ocupação Pintor, arquiteto, cartógrafo e engenheiro civil francês

BiografiaEditar

Sua terra natal era um reino dividido entre o papado e o rei. Após ter estudado no colégio dos jesuítas, ele acompanha em 1658 o seu tio e homônimo Pierre Mignard, O Romano, que viaja de Roma a Paris, e durante alguns meses permanece na casa de seu irmão. Em Paris, Pierre obtém rapidamente autorização para ser o pintor oficial da rainha (1662), depois ajuda o seu pai, que Luís XIV trouxe de Avignon para a capital, para decorar dois pequenos apartamentos do rei no Palácio das Tulherias. É ele quem termina este importante ciclo de pinturas com a temática de Apolo depois da morte de seu pai em 1668. No ano seguinte, ele é enviado por Colbert para levantar os planos e desenhos das antiguidades de Provence. Após completar este trabalho, Colbert o envia para a Itália para uma viagem de estudos de vários meses em companhia de seu próprio filho, o marquês de Seignelay, e do matemático e arquiteto francês François Blondel. Em 31 de Dezembro de 1671 retorna a Paris e torna-se um dos seis primeiros fundadores da Academia Real de Arquitetura.

Por razões desconhecidas, Mignard abandona Paris durante a primavera de 1679 e volta a se instalar em Avignon, onde se dedica à sua dupla habilidade como pintor e arquiteto. Nesse período, construiu mansões particulares, monumentos públicos, e muitos edifícios religiosos. O seu estilo tornou-se referência, e a sua experiência acabou se tornando arte. Construiu inúmeras mansões grandes e majestosas, muitas das quais existem até os dias de hoje. Sua arquitetura refinada era apreciada até pelos seus contemporâneos famosos e religiosos, que o consideravam um gênio criador. Coroado de glória por títulos prestigiosos como "Arquiteto do Rei" ou "Cavaleiro de Cristo", ele foi reproduzido e imitado por artistas, principalmente pelo seu afilhado Pierre Thiebault[2], o arquiteto Jean-Baptiste Franque[3] ou o pintor Joseph Péru[4][5].

Em 26 de Março de 1683 foi incumbido pelo vice-legado François Nicolini para checar o baixo nível da águas da fonte de Vaucluse.

Pierre Mignard II era tio do pintor, impressor e gravador francês Paul Mignard (1639-1691)[6]

Desenhos e pinturas principaisEditar

Links ExternosEditar

ReferênciasEditar

  1. A Abadia São Pedro de Montmajur foi fundada no ano 948, e se localiza numa ilha a cinco quilômetros ao norte de Arles.
  2. Pierre Thiebault Bergé (1661 - 1693)
  3. Jean-Baptiste Franque (Villeneuve-lès-Avignon, 1 de Fevereiro de 1683 - Avignon, 26 de Março de 1758) foi um arquiteto francês.
  4. Joseph Peru (1721-1800).
  5. Pierre II Mignard (1640-1725) : architecte au temps de Louis XIV par Lauriane Justamond.
  6. Paul Mignard (1639-1691).