Abrir menu principal
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2017). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes está sujeito a remoção.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde fevereiro de 2017).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Detalhe do fruto, ainda verde e pequeno, da pitangatuba.
Fruto maduro de Pitangatuba ou Pitangão.
Comparação entre os tamanhos da Pitanga (Eugenia uniflora) e da Pitangatuba (Eugenia neonitida).

A pitangatuba, cujo nome sistemático é Eugenia neonitida ou Eugenia selloi, é um arbusto do gênero Eugenia e da família Myrtacea, nativo e endêmico do litoral do estado do Rio de Janeiro e Espirito Santo. Pode atingir 2,5 metros de altura, porém seu crescimento é lento.

Seu fruto lembra uma pitanga, mas de colocação amarela e tamanho muito maior (motivo pelo qual também é conhecida pelo sinônimo de Pitangão), é de sabor doce e agradável e em nada lembra ao da pitanga, sendo altamente atrativo à avifauna e se prestando para o consumo humano in natura ou em doces e bebidas.

Não possui aplicação comercial porque é sensivel e rapidamente perecível. Devido a sua distribuição natural bastante restrita, a pitangatuba encontra-se ameaçada, uma vez que sua região de ocorrência é bastante povoada e degradada. A planta também é sensível a transplantes, necessitando manejo cuidadoso, pois demora a se recuperar.

Não existem relatos de reprodução assexuada (estaquia, alporquia ou enxertia) bem sucedida, porém novas mudas podem ser obtidas por método de reprodução sexuada (via sementes).

Embora sua semente tenha alto poder germinativo, esta pode levar até 6 meses para germinar, o que dificulta o cultivo desta planta e torna suas mudas valiosas, em especial as de maior porte.