Abrir menu principal

Planeta Cachinhos Dourados

Comparativo de tamanho dos exoplanetas Kepler-20e e Kepler-20f com a Terra e Vênus.

Um planeta Cachinhos Dourados (do inglês Goldilocks planet) é uma gíria para um hipotético exoplaneta localizado na zona habitável de uma estrela; geralmente o termo é usado especificamente para planetas semelhantes ao tamanho da Terra (ou seja, análogo à Terra).[1][2] O nome vem da história de Cachinhos Dourados e os Três Ursos no qual uma menina seleciona a partir de um conjunto de três artigos, ignorando os demais extremos (grande ou pequeno, quente ou frio, etc), e escolhendo o do meio, que passa a ser a resposta "correta". Analogamente, seguindo este princípio, um planeta Cachinhos Dourados seria aquele que não iria encontrar nem muito perto nem longe demais de sua estrela para excluir a vida como a conhecemos.

CaracterísticasEditar

Os planeta Cachinhos Dourados são de interesse fundamental para os pesquisadores, seja na busca por vida (inteligente ou não) ou como hipotéticos futuros lar da raça humana. A equação de Drake, que estima a probabilidade de vida inteligente não-terrestre, incorporando um fator (ne), que representa a média de planetas capazes de sustentar a vida em um sistema solar planetário. A descoberta de planetas extrassolares Cachinhos Dourados ajudaria a refinar as estimativas desta figura. Estimativas muito baixas contribuem para a hipótese da Terra rara, que afirma que uma série de condições e eventos muito improváveis ​​levou ao surgimento da vida na Terra. As estimativas mais elevadas iria reforçar o princípio da mediocridade de Copérnico, onde um grande número de planetas Cachinhos Dourados implicaria que a Terra não é particularmente excepcional.

Encontrar planetas Cachinhos Dourados do tamanho da Terra é uma parte fundamental da missão Kepler, que usa um telescópio espacial, lançado no dia 7 de março de 2009, para estudar e compilar as características dos planetas que estão em zona habitável.[3] As últimas estimativas de astrônomos realizados com dados de observações do telescópio Kepler, predizem a existência de mais de 40 bilhões de planetas Cachinhos Dourados na Via Láctea (dos quais 11 bilhões orbitando estrela semelhantes ao Sol). Estes números implicaria que o análogo à Terra mais próxima poderia está a apenas 12 anos-luz do Sistema Solar.[4][5]

Exemplos potenciaisEditar

Embora o planeta extrassolar 70 Virginis b foi inicialmente apelidado de "Cachinhos Dourados" porque inicialmente acreditava-se que ele estava na zona habitável da estrela, atualmente este planeta é considerado demasiadamente quente para ter chance de abrigar vida e não é, portanto, um planetas Cachinhos Dourados.[6]

Gliese 581 g tem sido durante anos um dos mais fortes candidatos a planetas Cachinhos Dourados. No entanto, a sua existência tem sido questionado.[7][8]

Atualmente, o exoplaneta confirmado com maior similaridade com a Terra é Kepler-438b, que orbita uma anã vermelha e tem um índice de similaridade (IST) de 0,88 (em comparação aos 0,78 de Vênus). Existem vários candidatos a planeta com pontuação maior, com destaque para KOI-4878.01, com uma similaridade de 98% e ainda pendente de confirmação.[9] Em janeiro de 2015, havia três exoplanetas detectados com IST mais de 90% (nenhum deles confirmado) e 8 com IST acima dos 85% (só confirmou Kepler-438b e Kepler-296e).[10]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Muir, Hazel (25 de abril de 2007). «'Goldilocks' planet may be just right for life». New Scientist. Consultado em 2 de abril de 2009 
  2. «The Goldilocks Planet». BBC Radio 4. 31 de agosto de 2005. Consultado em 2 de abril de 2009 
  3. David Koch; Alan Gould (Março de 2009). «Overview of the Kepler Mission». NASA. Consultado em 2 de abril de 2009 
  4. Overbye, Dennis (4 de novembro de 2013). «Far-Off Planets Like the Earth Dot the Galaxy». New York Times. Consultado em 5 de novembro de 2013 
  5. Petigura, Eric A.; Howard, Andrew W.; Marcy, Geoffrey W. (31 de outubro de 2013). «Prevalence of Earth-size planets orbiting Sun-like stars». Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America. Bibcode:2013PNAS..11019273P. arXiv:1311.6806 . doi:10.1073/pnas.1319909110. Consultado em 5 de novembro de 2013 
  6. «70 Virginis b». Extrasolar Planet Guide. Extrasolar.net. Consultado em 2 de abril de 2009. Arquivado do original em 26 de abril de 2009 
  7. Kerr, Richard A. (12 de outubro de 2010). «Recently Discovered Habitable World May Not Exist». Science Now. AAAS. Consultado em 12 de outubro de 2010 
  8. Mullen, Leslie (12 de outubro de 2010). «Doubt Cast on Existence of Habitable Alien World». Astrobiology Magazine. Consultado em 12 de outubro de 2010 
  9. «NASA Exoplanet Archive». NASA Exoplanet Science Institute (em inglês). NASA. 22 de dezembro de 2014. Consultado em 2 de setembro de 2014 
  10. «Título ainda não informado (favor adicionar)». phl.upr.edu 

Ligações externasEditar