Abrir menu principal

Por Amor (telenovela)

telenovela da Globo
Por Amor
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero drama
romance
Duração 60 minutos
Criador(es) Manoel Carlos
País de origem Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es) Ricardo Waddington
Roberto Naar
Câmera Multicâmera
Roteirista(s) Letícia Dornelles
Maria Carolina
Vinícius Vianna
Elenco
Tema de abertura "Falando de Amor", Quarteto em Cy e MPB4
Exibição
Emissora de televisão original Rede Globo
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 13 de outubro de 1997 – 23 de maio de 1998
N.º de episódios 190

Por Amor é uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo no horário das oito, de 13 de outubro de 1997 a 23 de maio de 1998, em 190 capítulos,[1] substituindo A Indomada e sendo substituída por Torre de Babel.[2] Foi a 55ª "novela das oito" exibida pela emissora. Escrita por Manoel Carlos, com colaboração de Maria Carolina, Vinícius Vianna e Letícia Dornelles, dirigida por Roberto Naar, Alexandre Avancini, Ary Coslov e Edson Spinello, direção geral de Roberto Naar e Ricardo Waddington, e direção de núcleo de Paulo Ubiratan, diretor que faleceu durante a novela.[2]

Contou com as participações de Regina Duarte, Antonio Fagundes, Gabriela Duarte, Fábio Assunção, Susana Vieira, Vivianne Pasmanter, Carolina Ferraz e Eduardo Moscovis.[1]

ProduçãoEditar

"O que você seria capaz de fazer por amor?" era o mote da campanha publicitária para o lançamento da novela.[2]

Pela segunda vez, Regina Duarte vivia uma Helena de Manoel Carlos – a primeira fora em História de Amor (1995). Para a atriz, inclusive, Por Amor teria sido História de Amor 2, por conta da abordagem da relação mãe e filha. A terceira Helena da atriz viria depois, em Páginas da Vida (2006). O nome, utilizado pelo autor em quase todas as suas novelas desde Baila Comigo (1981), tornou-se uma marca de estilo e dá unidade à sua obra, criando um laço entre as fortes e encantadoras "heroínas de classe média", como costuma caracterizar suas Helenas. Somente em Sol de Verão (1982) o autor não incluiu uma Helena em sua história.

Manoel Carlos conta que escreveu a sinopse de Por Amor em 1983, mas que, envolvido com outros projetos, adiou a trama. Para essa história, o autor se inspirou no único amor que acredita ser absolutamente inquestionável: o materno.[3]

O autor conta que se baseou em pessoas e dramas pessoais comuns para escrever as tramas e os personagens de Por Amor. Orestes (Paulo José), por exemplo, nasceu de uma conversa com um amigo seu. Os dois concluíram que toda família tem um alcoólatra, um ex-alcoólatra ou um alcoólatra em potencial.

O diretor Paulo Ubiratan morreu no decorrer da novela, em 28 de março de 1998. Ricardo Waddington, que já dirigia a trama, assumiu a direção-geral de Por Amor.[4]

ExibiçãoEditar

Foi reexibida no Vale a Pena Ver de Novo entre 1.º de julho de 2002 e 10 de janeiro de 2003 substituindo História de Amor e sendo substituída por O Cravo e a Rosa. Durante a exibição desta reprise, o capítulo 133 que seria exibido em 1 de janeiro de 2003, não foi ao ar devido à transmissão da cerimônia de posse do presidente eleito Lula. Sendo assim, a reprise que fecharia com 140 capítulos, terminou com 139.[5]

Foi exibida pelo Canal Viva, de 19 de maio de 2010 a 8 de fevereiro de 2011, sendo substituída por O Rei do Gado, às 16h30, em 190 capítulos. Junto com Quatro por Quatro, foram as primeiras novelas a serem exibidas no canal.

Foi reexibida no Vídeo Show dentro do quadro Novelão entre 10 e 21 de dezembro de 2012 compactada em 10 capítulos. Teve outra exibição, entre 9 e 13 de fevereiro de 2015, em 5 capítulos, com narração de Gabriela Duarte.[6]

Foi reprisada pelo Canal Viva pela segunda vez de 8 de maio a 15 de dezembro de 2017, substituindo Pai Herói e sendo substituída por O Fim do Mundo, às 23:30. A reprise se deu em comemoração aos vinte anos de sua estreia, tendo sido a primeira novela a ser reapresentada pela segunda vez no canal.[7][8]

Voltou a ser reexibida no Vale a Pena Ver de Novo em 29 de abril de 2019, substituindo Cordel Encantado.[9][10] A novela não foi exibida nos dias 18 de junho de 2019, devido à transmissão do jogo entre Brasil e Itália pela fase de grupos da Copa do Mundo de Futebol Feminino e 28 de junho de 2019, por conta da cobertura das quartas de final da Copa América de 2019 entre Venezuela e Argentina.[11][12]

Em 16 de julho, o Ministério da Justiça interveio e mudou sua classificação indicativa de livre para não recomendada para menores de 12 anos por apresentar violência, drogas lícitas e conteúdo sexual.[13]

Exibição internacionalEditar

Por Amor já foi exportada para mais de 60 países, sendo considerada uma das produções mais bem-sucedidas da emissora no mercado internacional.[14] Foi eleita pelo jornal espanhol 20 minutos uma das melhores telenovelas brasileiras de todos os tempos.[15]

EnredoEditar

Helena é mais do que mãe: é a verdadeira amiga da filha Maria Eduarda, e faz de tudo para que ela aceite e ajude o pai alcoólatra, Orestes, de quem é separada. Mas Eduarda só tem olhos para o seu grande amor, Marcelo. O rapaz sofre com a perseguição da ex-namorada, Laura, inconformada por haver sido trocada por Eduarda. Ela é cruel, invejosa, egoísta e desequilibrada, fará de tudo para destruir a vida do casal e dará o golpe da barriga para se vingar de Marcelo.

A mãe de Marcelo, Branca Letícia, também não gostou da escolha do filho, pois não simpatiza com Helena, que é simples demais para ela. Branca é uma mulher de personalidade forte, que adora manipular a vida alheia. Ela é dominadora, esnobe e muito arrogante. Tem adoração pelo filho Marcelo, mas vive criticando os outros dois por não terem ambição na vida: a moderna e bela jovem Milena e o super tímido e atrapalhado Leonardo.

Milena tem um romance com o piloto de helicóptero Fernando, mas Branca faz de tudo para separá-los, considerando que o rapaz não é do alcance social de sua família. Com a ajuda de Fausto, funcionário da empresa de helicóptero onde Fernando trabalha, ela consegue armar para que o piloto seja preso com drogas. Porém, Fernando é solto algum tempo depois.

Branca controla até a vida da amiga Isabel, que tem um caso com Atílio, um homem que está à procura de um grande amor. Branca, na verdade, é apaixonada por Atílio há muito tempo, mas nunca conseguiu se expressar e nem confessa ser apaixonada. Ela fica transtornada ao descobrir que ele apaixonou-se por Helena, mãe de Eduarda. Ela se revolta e se culpa muito por jamais ter conseguido ter coragem de se declarar por mais de 20 anos. Após um breve romance, e para o desgosto de Branca e Isabel, Helena e Atílio se casam, numa linda cerimônia.

Mãe e filha engravidam na mesma época e dão à luz no mesmo dia, hora e hospital, sob os cuidados do jovem médico César, um eterno apaixonado por Eduarda. O filho de Helena nasce grande e saudável, mesmo ela tendo mais de 40 anos de idade. Eduarda, com menos de 25 anos, tem sérias complicações no parto e seu filho morre horas depois de uma morte súbita. Para complicar a situação da moça, ela nunca mais poderá ser mãe, pois teve que retirar o útero por conta das diversas hemorragias que sofreu.

Desesperada em evitar esse duro golpe para a filha, Helena mostra que amor de mãe vai além de qualquer sacrifício e ela troca sua felicidade pela da filha e decide trocar os bebês, implorando a ajuda de César. Ela diz para o médico: "Vamos trocar os bebês!". Embora relutante com a ideia, César acaba por ceder e consente a troca, culpa que ele vai carregar por toda a trama. Tanto Helena quanto César fazem a troca com um único intuito: o amor. Assim sendo, Eduarda cria o meio-irmão pensando ser seu próprio filho, enquanto Atílio sofre por pensar que seu filho com Helena morreu ao nascer. César é a única pessoa que sabe desse segredo, o qual concordou pelo mesmo objetivo que Helena: evitar o sofrimento de Eduarda. Quem mais padece, contudo, é Helena, que é obrigada a tratar o filho como neto e ainda vê o seu relacionamento com Atílio desmoronar, apesar do grande amor que os une. Ela escreve todos os acontecimentos de sua vida em um diário e é nele que está a revelação do grande segredo que Helena carrega consigo. E é acidentalmente lendo-o que Eduarda, chocada, descobre toda a verdade ao final da trama.

No final, Branca vive sozinha abandonada pela família. Laura pede para voar em um helicóptero pilotado por Nando, enteado de Orestes, e a aeronave sofre um acidente, caindo no mar. O piloto sobrevive, mas Laura não é encontrada, ficando subentendida a sua possível morte. Nando vai parar no hospital com ferimentos leves, mas termina feliz com Milena. Marcelo e Eduarda ficam juntos e pretendem adotar uma menina. Atílio decide ir embora, depois de descobrir a verdade sobre Helena e Eduarda. Na cena final, Marcelinho caminha junto com Eduarda e Marcelo, e depois corre para Helena e Atílio, reconciliados, sugerindo que o menino será criado pelos pais verdadeiros.

ElencoEditar

Ator/Atriz Personagem
Regina Duarte Helena Viana[1][16]
Gabriela Duarte Maria Eduarda Viana[1][17]
Antonio Fagundes Atílio Novelli[1]
Fábio Assunção Marcelo de Barros Motta[1]
Susana Vieira Branca Letícia de Barros Motta[1]
Vivianne Pasmanter Laura Trajano[1][18]
Carolina Ferraz Milena de Barros Motta[1][19][20]
Eduardo Moscovis Nando[1][20]
Murilo Benício Leonardo de Barros Motta (Léo)[1]
Carlos Eduardo Dolabella Arnaldo Motta[1]
Cássia Kis Isabel[1]
Paulo José Orestes[1]
Regina Braga Lídia[1]
Vera Holtz Sirléia[1]
Marco Ricca Nestor[1]
Carolina Dieckmann Catarina (Caty)[1]
Ângelo Paes Leme Rodrigo[1]
Maria Zilda Bethlem Flávia[1]
Odilon Wagner Rafael[1]
Ângela Vieira Virgínia[1]
Marcelo Serrado César[1]
Flávia Bonato Anita[1]
Beto Nasci Alex[1]
Maria Ceiça Márcia[1]
Paulo César Grande Wilson[1]
Ricardo Macchi Genésio[1]
Elizângela Magnólia[1]
Tonico Pereira Oscar[1]
Françoise Forton Margarida Saboya Trajano (Meg)[1]
Ricardo Petraglia Manoel Trajano (Trajano)[1]
Eloísa Mafalda Leonor[1]
Umberto Magnani Antenor[1]
Beatriz Lyra Mafalda[1]
Júlia Almeida Natália[1]
Clara Garcia Simone[1]
Pablo Padilla Marcinho[1]
Jorge Coutinho José[1]
Maria Alves Maria[1]
Castro Gonzaga Dr. Juvenal Moretti[1]
Paulo Figueiredo Jayme[1]
Henri Pagnoncelli Franco[1]
Chaguinha Narciso[1]
Lucy Mafra Santa[1]
José Carlos Sanches Fausto[1]
Edson Silva Fonseca[1]
Beth Lamas Marisa[1]
Juliana Aguiar Denise[1]
Giovanna Gold Kátia[1]
Cláudia Mauro Lisa[1]
Karina Perez Rose[1]
Babi Xavier Aninha[1]
Mônica Martelli Paula[1]
Rosane Gofman Tadinha[1]
Guilherme Corrêa Zito[1]
Stella Maria Rodrigues Zilá[1]
Ingrid Guimarães Teresa[1]
Edyr de Castro Elvira[1]
Lucy Freitas Saudade[1]
Charle Myara Romeu[1]
Cláudia Paiva Camila[1]
Cecília Dassi Sandrinha[1]
Larissa Queiroz Juliana[1]
Alessandra Aguiar Cecília[1]

Participações especiaisEditar

Ator Personagem
Otávio Augusto Pedro[1]
Norma Geraldy Dona Filomena[1]
Caco Ciocler Flavinho[1]
Marly Bueno Antonieta[1]
Paulo Carvalho Walter[1]
Alexandra Richter Amiga de Meg[1]
Carla Fioroni Noêmia[1]
Lady Francisco Madame Consuelo[1]
Carlos Zara Juiz[1]
Lina Fróes Ivete[1]
Carmem Verônica Amiga de Meg[1]
Cleyde Blota Juíza[1]
Chica Xavier Chica[1]
Edwin Luisi Dr. Alceu[1]
Eduardo Lago Alfredo[1]
Eduardo Martini Patinho[carece de fontes?]
Graziela di Laurentis Renata[1]
Guilherme Leme Diretor do comercial com Caty[1]
Henrique César Dr. Murilo[1]
Ilva Niño Dalva[1]
John Herbert Durval[1]
Jorge Cherques Lourenço[1]
Kito Junqueira Olavo[1]
Marcos Paulo Empresário[1]
Mônica Carvalho Sílvia[carece de fontes?]
Mônica Fraga Sílvia[1]
Orã Figueiredo Oliveira[1]
Tânia Scher Mônica[1]
Othon Bastos Advogado de Nando[1]
Totia Meirelles Dona de rede de motéis[1]
Nica Bonfim Faxineira que depõe a favor de Nando
Norton Nascimento Padre[1]
Roberto Frota Paquerador de Sirléia[1]
Sebastião Vasconcelos Padre do casamento de Eduarda e Marcelo[1]
Serafim Gonzalez Padre[1]
Roberto Costa Amigo que encontra Atílio em Veneza[1]
Patrícia Salgado Marli[1]
Sandra Hansen Vera[1]
Leonardo Lemos Nestorzinho[1]
Alexandre Salcedo Ângelo[1]

MúsicaEditar

NacionalEditar

Por Amor - Nacional
Trilha sonora de vários intérpretes
Lançamento 1997
Gênero(s) MPB
Formato(s)
Gravadora(s) Som Livre
Produção Alberto Rosenblit

Capa: Ricardo Macchi

A trilha nacional alcançou estrondoso sucesso com mais de meio milhão de cópias vendidas.[21] Além disso, o álbum impulsionou as canções "Palpite", "Só Você", "Fora da Lei" e "Per Amore" entre os mais executados pelas rádios em 1997.[22]

N.º TítuloMúsicaPersonagem Duração
1. "Só Você"  Fábio JúniorNando 03:53
2. "Sempre Há Saída"  Luiz CarlosGenésio 03:55
3. "Nem um Dia"  DjavanMarcelo e Eduarda 04:17
4. "Palpite"  Vanessa RangelMilena 03:50
5. "Enquanto Espero"  João BoscoBranca 04:17
6. "Abrazame Así"  Roberto CarlosLéo 04:40
7. "Fora da Lei"  Ed MottaCati 04:47
8. "Paralelas"  Elba RamalhoCésar 03:38
9. "Falando de Amor"  Quarteto em Cy e MPB4Abertura 03:21
10. "Per Amore"  Zizi PossiHelena e Atílio 04:21
11. "Bandeira"  Zeca BaleiroIsabel e Arnaldo 03:24
12. "Preconceito"  Maria BethâniaWilson e Marcia 02:16
13. "Às Vezes Nunca"  Verônica SabinoLaura 04:05
14. "Mudança dos Ventos"  Nana CaymmiSirléia e Nestor 02:32

InternacionalEditar

Por Amor - Internacional
Trilha sonora de vários intérpretes
Lançamento 1998
Gênero(s)
Formato(s)
Gravadora(s) Som Livre
Produção Alberto Rosenblit

Capa: Eduardo Moscovis

N.º TítuloMúsicaPersonagem Duração
1. "So Help Me Girl"  Gary BarlowNando 04:24
2. "Stay With Me"  Jocelyn EnriquezLaura 03:45
3. "Mi Dios y Mi Cruz"  Donato & EstefanoPedro e Sirléia 04:44
4. "More Than This"  10.000 ManiacsMilena 04:02
5. "L'Amore Vero"  Erminio SinniAtílio 04:23
6. "Dindi"  El Debarge & Art PortFlávia 04:57
7. "Paint My Love"  Michael Learns To RockWilson e Márcia 03:46
8. "How Could an Angel Break My Heart"  Toni BraxtonEduarda e Marcelo 04:18
9. "Aicha"  GilbertMeg 03:47
10. "I'm Not Giving You Up"  Evelyn FoxIsabel 03:47
11. "Hold On"  AlexiaCati e Léo 03:45
12. "As Long As You Love Me"  Backstreet BoysRodrigo e Cati 03:38
13. "Se Eu Fosse Um Dia Esse Teu Olhar (Si Fuesse Un Dia Tu Mirar)"  Pedro AbrunhosaRafael e Alex 05:32
14. "Thinking of You"  Different BeatGenésio e Magnólia 03:29

Repercussão públicaEditar

Maria EduardaEditar

A personagem Eduarda (Gabriela Duarte) não agradou aos telespectadores no início da novela. Mediante isso, eles começaram a fazer campanhas contra a personagem, pedindo até a sua morte em um site na Internet.[23] Em entrevista, a atriz afirmou que essas campanhas não a atingiam pessoalmente, visto que envolvia apenas sua personagem na novela, considerando assim uma polêmica saudável.[24]

TemáticasEditar

A cena da troca de bebês feita por Helena (Regina Duarte) e César (Marcelo Serrado) chegou a causar polêmicas e mal-estar entre os médicos. Eles afirmavam que a troca era caso de polícia, e que César representava um médico ilícito e antiético, um mau exemplo para os profissionais.[25] O destino do bebê Marcelinho mobilizou o público na época de exibição. Foram feitas várias enquetes, debates e até bolões sobre qual seria o destino da criança trocada na maternidade pela protagonista Helena (Regina Duarte).[26] Uma das cenas mais lembradas da novela é a de Maria Eduarda (Gabriela Duarte) atirando a antagonista Laura (Vivianne Pasmanter) na piscina, de cadeira de rodas. A sequência foi exibida no capítulo 4, no ar em 16 de outubro de 1997.[27]

Outro momento inesquecível da trama foi a famosa troca dos bebês, realizada pela protagonista Helena (Regina Duarte), no capítulo 52, exibido em 11 de dezembro de 1997.[28] Outro momento de destaque foi a briga entre a vilã Branca (Susana Vieira) e a executiva Isabel (Cássia Kis Magro), no capítulo 128, no ar em 10 de março de 1998.[29] Em 22 de maio de 1998 houve a cena em que Maria Eduarda e Atílio (Antônio Fagundes) finalmente descobrem a troca dos bebês, mobilizando o país.[30]

AudiênciaEditar

Exibição originalEditar

O primeiro capítulo de Por Amor teve uma média de 48 pontos de Ibope.[31] O penúltimo capítulo, em 21 de maio de 1998, registrou 58 pontos, com picos de 63, enquanto o último capítulo teve média de 57 pontos.[32] A trama teve uma média final de 43 pontos, que apesar de não ter sido considerado um grande sucesso esteve dentro da expectativa.[33][34]

ReprisesEditar

Primeira reprise

A média final da reprise no Vale a Pena Ver de Novo em 2002 foi de 21 pontos.[35] O último capítulo, exibido em 10 de janeiro de 2003, registrou 36 pontos de média, superando a novela das oito da época, Esperança.[36]

Segunda reprise

A segunda reapresentação estreou com 19 pontos de média, o melhor resultado do Vale a Pena Ver de Novo em dez anos, desde a primeira reprise de Senhora do Destino em 2009, que marcou 20.[37] Além disso, representou um aumento de 6 pontos em relação à reprise anterior, Cordel Encantado, que estreou com 13,7 pontos.[37] No primeiro mês a novela obteve o melhor desempenho da faixa dos últimos oito anos, com médias na casa dos 16 e 17 pontos, índices estes não vistos desde a segunda reprise de Mulheres de Areia (2011) e, nos quatro meses seguintes, acumulou o melhor resultado em dez anos desde a primeira reprise de Senhora do Destino (2009).[38] Em 4 de julho, registrou 21 pontos, sua maior audiência do dia.[39] Em 19 de agosto, registrou 22 pontos.[40] A partir de sua reta final entre a segunda quinzena de agosto e o mês de setembro, os índices aumentaram surpreendentemente, passando a oscilar entre 18 e 20 pontos, alavancando a média das atrações seguintes e apresentando o melhor resultado dos ultimos dois anos nas tardes da globo.[41]

Prêmios e indicaçõesEditar

Troféu APCA (1997)[42]

Prêmio Contigo! (1998)[43]

Troféu Imprensa[44]

  • Melhor novela

Prêmio Extra de Televisão

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z aa ab ac ad ae af ag ah ai aj ak al am an ao ap aq ar as at au av aw ax ay az ba bb bc bd be bf bg bh bi bj bk bl bm bn bo bp bq br bs bt bu bv bw bx by bz ca cb cc cd ce cf cg ch ci cj ck cl cm cn co cp cq cr cs ct cu cv cw cx cy «Por Amor». Teledramaturgia. Arquivado do original em 1 de maio de 2019 
  2. a b c Redação Memória Globo (2010). «Memória Globo - Por Amor». Rede Globo. Globo.com. Consultado em 29 de janeiro de 2018 
  3. «Novela latina». Folha de São Paulo. 12 de outubro de 1997. Consultado em 9 de maio de 2017 
  4. «Paulo Ubiratan é enterrado em SP». Folha de São Paulo. 30 de março de 1998. Consultado em 9 de maio de 2017 
  5. «Programação da TV em 01/01/2003». 1 de janeiro de 2003. Consultado em 25 de março de 2015 
  6. «Reprises do Novelão do Video Show». 25 de Fevereiro de 2018 
  7. Nilson Xavier (22 de fevereiro de 2017). «Canal Viva confirma mais uma reprise: "Por Amor" volta em maio». Uol. Consultado em 26 de março de 2017 
  8. «"Por Amor" vai ao ar a partir do dia 8 de maio». Canal Viva. 22 de fevereiro de 2017. Consultado em 7 de maio de 2017 
  9. Mauricio Stycer (14 de março de 2019). «"Por Amor", de Manoel Carlos, volta em abril no Vale a Pena Ver de Novo». UOL. Consultado em 15 de março de 2019 
  10. Diogo Cavalcante (14 de março de 2019). «Com "Por Amor", Globo quebra jejum de 10 anos sem Manoel Carlos à tarde». Na Telinha. Consultado em 15 de março de 2019 
  11. Redação (18 de junho de 2019). «Futebol ao vivo na TV tem Copa América e Copa do Mundo; saiba como assistir». Notícias da TV. Consultado em 18 de junho de 2019 
  12. Goal.com (28 de junho de 2019). «Venezuela x Argentina: Horário, local, onde assistir e prováveis escalações». Yahoo Esportes. Consultado em 28 de junho de 2019 
  13. Gabriel Vaquer (16 de julho de 2019). «Por violência e conteúdo sexual, Ministério da Justiça reclassifica Por Amor». Observatório da Televisão. Consultado em 17 de julho de 2019 
  14. «As 10 novelas brasileiras mais vendidas no exterior». Abril. 29 de outubro de 2016. Consultado em 5 de julho de 2018 
  15. 20minutos.es. «Mejor Telenovela Brasileña». Listas - 20Minutos (em espanhol) 
  16. Redação Noveleiros (19 de julho de 2008). «As Helenas de Manoel Carlos». clicRBS. Consultado em 26 de março de 2017 
  17. Scarpa, Guilherme (28 de junho de 2010). «Gabriela Duarte rejeita rótulo de chata e diz que é legal». Terra. Consultado em 26 de março de 2017 
  18. Dantas, Luiza (26 de outubro de 1997). «Viviane Pasmanter foge dos padrões na novela "Por Amor"». Consultado em 26 de março de 2017. Arquivado do original em 28 de fevereiro de 2011 
  19. Sabino, Mario (3 de dezembro de 1997). «A beleza que levanta o ibope». Veja. Consultado em 26 de março de 2017 
  20. a b «Química de novela». Zero Hora. 1 de março de 2009. Consultado em 26 de março de 2017 
  21. «Em boa fase». Veja. 11 de fevereiro de 1998. Consultado em 25 de junho de 2013. Arquivado do original em 25 de junho de 2013 
  22. «As músicas mais tocadas em 1997». Mofolandia. Consultado em 16 de dezembro de 2015. Arquivado do original em 10 de fevereiro de 2012 
  23. «Em 1997, noveleiros pediram morte de personagem em campanha pioneira na web». Notícias da tv. 21 de fevereiro de 2016. Consultado em 18 de novembro de 2017 
  24. «Gabriela evita morte de Eduarda». Folha de São Paulo. 12 de abril de 1998. Consultado em 18 de novembro de 2017 
  25. «Amor 'atropela' ética em novela». Notícias da tv. 14 de dezembro de 1997. Consultado em 18 de novembro de 2017 
  26. «Disque Marcelinho: E o bebê vai para». Folha de São Paulo. 15 de março de 1998. Consultado em 20 de março de 2018 
  27. «Primeira semana: Eduarda bate em Laura e a joga na piscina». Canal Viva. 8 de maio de 2017. Consultado em 31 de janeiro de 2018 
  28. «20 anos depois, troca dos bebês de Por Amor mobiliza noveleiros outra vez; relembre». RD1. 6 de julho de 2017. Consultado em 31 de janeiro de 2018 
  29. «Briga protagonizada por Susana Vieira e Cassia Kis em 'Por Amor' está aberta para não-assinantes no Viva Play». 4 de outubro de 2017. Consultado em 20 de março de 2018 
  30. «Há 19 anos, terminava Por Amor, uma das mais queridas novelas de Manoel Carlos». BOL. 22 de maio de 2017. Consultado em 31 de janeiro de 2018 
  31. Mariana Scalzo (15 de outubro de 1997). «'Por Amor' tenta conquistar com clichês». Folha de S.Paulo. Consultado em 25 de março de 2015 
  32. «Os bastidores de Por Amor; trama de Manoel Carlos completa 20 anos». TV História. 14 de outubro de 2017. Consultado em 18 de fevereiro de 2018 
  33. «"Por Amor" volta a ser exibida na TV; relembre altos e baixos da novela». iG. 8 de maio de 2017. Consultado em 13 de maio de 2017 
  34. «Rede Globo reage à "guerra da baixaria'». Folha de S.Paulo. 14 de março de 1998. Consultado em 18 de novembro de 2017 
  35. «Anjo Mau bate recorde no 'Vale a Pena». Observatório da TV. 9 de setembro de 2003. Consultado em 18 de fevereiro de 2018 
  36. «Esperança já é o 2.º pior ibope das oito». Folha de S.Paulo. 11 de janeiro de 2003. Consultado em 18 de fevereiro de 2018 
  37. a b «Por Amor tem melhor estreia do Vale a Pena Ver de Novo em dez anos». Observatório da Televisão. 30 de abril de 2019. Consultado em 30 de abril de 2019 
  38. «"Por Amor" bate recorde dos últimos oito anos no "Vale a Pena Ver de Novo"». Gente - IG. 23 de maio de 2019. Consultado em 26 de maio de 2019 
  39. «Em dia frio e chuvoso, Globo cresce e todas as novelas batem recorde». Notícias da TV. 5 de julho de 2019. Consultado em 8 de julho de 2019 
  40. «Com tiro de mocinha, A Dona do Pedaço supera ibope das duas antecessoras». Notícias da TV. Consultado em 20 de agosto de 2019 
  41. «No Vale a Pena Ver de Novo, Por Amor tem audiência de novela das seis na Globo». Notícias da TV. Consultado em 5 de setembro de 2019 
  42. Redação APCA (2010). «Os Melhores da APCA: Premiados de 1997». Associação Paulista de Críticos de Arte. Consultado em 14 de maio de 2019. Arquivado do original em 17 de julho de 2012 
  43. «3.º Prêmio Contigo! - Vencedores». Contigo!. Redação Contigo! Online. 1998. Consultado em 14 de maio de 2019. Arquivado do original em 11 de abril de 2009 
  44. «1997 - Troféu Imprensa». Memória Globo. 2010. Consultado em 14 de maio de 2019 

Ligações externasEditar