Prédio do Arquivo Público Municipal de Feira de Santana

Bem tombado pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia na cidade de Feira de Santana

Prédio do Arquivo Público Municipal é um edifício construído no ano de 1917, no início do século XX localizado na área central de Feira de Santana, município no interior do estado da Bahia.[1][2][3]

Prédio do Arquivo Público Municipal de Feira de Santana
Prédio do Arquivo Público Municipal de Feira de Santana
Prédio do Arquivo Público Municipal de Feira de Santana em 2020.
Construção 1917
Inauguração 1918
Proprietário inicial Governo do Estado da Bahia
Função inicial escola
Proprietário atual Governo do Estado da Bahia
Função atual arquivo público
Património nacional
Classificação Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia
Geografia
País  Brasil
Cidade Feira de Santana, BA
Av. Senhor dos Passos, Centro (Feira de Santana)
Coordenadas 12° 15' 16" S 38° 57' 56" O

História editar

O prédio é considerado o edifício público mais antigo de Feira de Santana, no interior da Bahia, construído com o intuito de abrigar uma instituição educacional.[1] A escola batizada de Escola João Florêncio, foi idealizada e executada pelo então intendente do município, Agostinho Fróes da Motta, no início do século XX, no ano de 1917.[3][4][5]

Por décadas, o prédio ocupou a Escola João Florêncio até a sua desativação.[6] Após a desocupação da escola do prédio, o espaço ocioso passou por uma série de reformas para abrigar o arquivo público municipal de Feira de Santana.[1] Em 27 de dezembro de 1987, após o decreto da lei 1077 promulgada pelo então prefeito José Falcão da Silva (PDS), permitiu que o prédio recebesse o arquivo municipal.[7]

O acervo é composto por mais de mil livros históricos, além de mais de vinte mil documentos de diversos assuntos que abrangem a memória histórica, geográfica, administrativa, técnica, legislativa e jurídica do município.[7] Além disse o arquivo guarda jornais, revistas, pôsteres dentre outros materiais de cunho histórico do município.[3]

O arquivo recebe visitantes, estudantes, além de receber uma série de pesquisadores de diversas áreas do conhecimento em busca de documentos.[7][8]

Estrutura editar

O Arquivo Público Municipal tem um piso único e foi construído em alinhamento estreito com a rua.[1] Foi construído em estilo eclético comum a outras edificações de Feira de Santana da época.[9] Possui um portal ao centro, com duas janelas à esquerda e duas à direita.[1]

Tombamento editar

No ano de 1994, o prédio passou pelo processo de tombamento histórico junto ao Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC), órgão estadual do governo baiano que visa conversar a memória do estado.[1][10] Segundo o órgão, além de sua importância histórica pela arquitetura do início do século XX, o prédio foi o primeiro prédio público educacional do município e atualmente possui uma função de ser o edifício que guarda o arquivo da cidade.[1]

Ver também editar

Referências

  1. a b c d e f g «Prédio do Arquivo Público Municipal». Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia. Consultado em 24 de julho de 2021 
  2. «Feira de Santana (BA) | Cidades e Estados | IBGE». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 24 de julho de 2021 
  3. a b c «Prédio do Arquivo Público Municipal de Feira de Santana completa 100 anos de construído». Jornal Grande Bahia (JGB). 26 de fevereiro de 2017. Consultado em 24 de julho de 2021 
  4. Reis, Wagner (2012). «Agostinho Fróes da. Motta: trajetórias e conquistas de um "homem de cor" em Feira de Santana (1856-1922)» (PDF). Universidade Estadual de Feira de Santana. Consultado em 24 de julho de 2021 
  5. Oliveira, Monique (2016). «Inquisição e cristãos-novos no Rio de Janeiro: o caso da família Azeredo (c. 1701-c. 1720)» (PDF). Universidade Federal Fluminense. Consultado em 24 de julho de 2021 
  6. Simas, Adilson (3 de novembro de 2019). «Feira de Santana em história: A cidade em outubro de 1948 | Por Adilson Simas». Jornal Grande Bahia (JGB). Consultado em 24 de julho de 2021 
  7. a b c «Guardião da história da administração municipal, Arquivo Público de Feira de Santana completa 30 anos». Jornal Grande Bahia (JGB). 22 de janeiro de 2018. Consultado em 24 de julho de 2021 
  8. Oliveira, Ana (31 de janeiro de 2008). «Feira de Santana em tempos de modernidade: olhares, imagens e práticas do cotidiano. (1950-1960)» (PDF). Universidade Federal de Pernambuco. Consultado em 24 de julho de 2021 
  9. Lima, Rebeca Laise Santos (4 de fevereiro de 2019). «Memória e Espaço Escolar: os 100 anos da escola Maria Quitéria». Anais dos Seminários de Iniciação Científica (22). ISSN 2595-0339. doi:10.13102/semic.v0i22.3936. Consultado em 24 de julho de 2021 
  10. «Institucional». Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia. Consultado em 24 de julho de 2021