Pristimantis ashaninka

Anuro do gênero Pristimantis

Pristimantis ashaninka é uma espécie de anuro da família Craugastoridae. É encontrada na Floresta de Proteção Pui Pui, no centro do Peru. Possui de 23 a 26 milímetros de comprimento, e é caracterizado por conter pequenos tubérculos cônicos na pele, dando uma aparência espinhosa, e por não ter membrana timpânica. A espécie foi descrita em 2017 após análises morfológicas e genéticas e foi nomeada Pristimantis ashaninka em homenagem ao povo indígena Asháninka, que vive nas regiões próximas à floresta de proteção. A espécie foi catalogada pela União Internacional para a Conservação da Natureza como espécie pouco preocupante. Ainda não se possui informações sobre seu comportamento e/ou reprodução, mas supõe-se que os girinos tenham desenvolvimento direto, devido isso ser uma característica comum do género.[1]

Como ler uma infocaixa de taxonomiaPristimantis ashaninka
Vista lateral de uma fêmea
Vista lateral de uma fêmea
Estado de conservação
Espécie pouco preocupante
Pouco preocupante (IUCN 3.1)
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Amphibia
Ordem: Anura
Família: Craugastoridae
Subfamília: Ceuthomantinae
Género: Pristimantis
Espécie: P. ashaninka
Nome binomial
Pristimantis ashaninka
Lehr & Moravec, 2017
Distribuição geográfica
Em vermelho, localização da Floresta de Proteção Pui Pui
Em vermelho, localização da Floresta de Proteção Pui Pui

TaxonomiaEditar

A espécie foi descrita pelos herpetólogos Edgar Lehr e Jiří Moravec no dia 12 de janeiro de 2017 pela revista científica ZooKeys.[2] Pela semelhança com outras espécies e de análises genéticas, foi possível identificar que a espécie pertencia ao género Pristimantis. Depois disso, foram feitos exames para se identificar a espécie, como análises morfológicas, de ADN e comparativas com outras espécies, e a partir dos dados obtidos foi possível se descobrir que se tratava de uma nova espécie. Então a espécie foi nomeada Pristimantis ashaninka em homenagem ao povo indígena Asháninka, que vive nas regiões peruanas de Huánuco, Junín, Pasco e Ucayali.[3]

Distribuição e conservaçãoEditar

 
Vista de floresta montanhosa, na Floresta de Proteção Pui-Pui, onde a espécie é encontrada.

A espécie atualmente só é encontrada em um único local, no nordeste da Floresta de Proteção Pui Pui, a 18 quilômetros da cidade de Satipo, no Peru.[4] O local possui um vale por onde passa o Rio Bravo, com altitudes entre 1 700 e 1 800 metros e tendo em volta do vale encostas montanhosas cobertas por florestas primárias com quinze a vinte metros de altura, onde bromélias, samambaias e musgos são abundantes. A temperatura varia entre os 6 e 15°C, sendo caracterizado por um clima frio e húmido.[5] É comum encontrar no local várias espécies de anfíbios e répteis, sendo várias que foram descritas recentemente, como a rã-de-borracha-de-attenborough (Pristimantis attenboroughi).[6] A espécie foi analisada pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) como espécie pouco preocupante devido a não existir nenhuma ameaça significante ao seu habitat, que atualmente se encontra preservado, e pela probabilidade de possuir uma área de distribuição maior.[7] Com a descoberta da espécie, são contabilizadas 130 espécies no género Pristimantis no Peru.[8]

DescriçãoEditar

Vista dorsal
Vista ventral

Mede entre 23,1 a 26,7 milímetros. Sua cabeça é ligeiramente mais estreita que o corpo, com este mais longo e mais largo. Não possui crista neural, e seu focinho é moderadamente longo, sendo subacumulado quando visto por cima e arredondado quando de lado. A distância entre o olho e narina é 77% do diâmetro do olho, tendo a narina numa protuberância estreita, direcionadas para o dorso e para a lateral. O canthus rostralis é razoavelmente longo, sendo arredondado quando visto de lado e ligeiramente côncavo quando visto por cima. Possui vários tubérculos, inclusive em cima das pálpebras. A dobra supratimpânica é pequena e clara, estendendo até a pálpebra, e não possui membrana timpânica. Sua coana é pequena e oval.[3]

O dorso possui uma grande mancha marrom-avermelhado em formato de ampulheta, com as bordas arredondadas marrom creme na lateral. Possui duas marcas escuras marrom-acinzentadas na região sacral, delimitando a região da ampulheta. A parte superior das pernas dianteiras são marrom-creme, e as traseiras são marrom-avermelhadas, com exceção dos discos, que são marrom-creme. A garganta, o papo, as patas e a barriga são acinzentados e a íris é cor de bronze, com pequenas manchas pretas.[3]

Não há diferenças expressivas entre os machos e as fêmeas, obedecendo os padrões de cores da espécie. Já os filhotes e indivíduos jovens possuem algumas diferenças, com os tubérculos mais evidentes, e com a pele na parte dorsal mais escura, com a cor da garganta variando do preto ao cinza.[3]

A espécie é diferenciada das outras do género por possuir tubérculos sobre a pele do dorso, dando a aparência de ser espinhosa, pela ausência da membrana timpânica e pelos pontos pontos pretos na íris. Das espécies mais parecidas se destacam a Pristimantis lirellus, Pristimantis martiae e Pristimantis rhabdocnemus, mas também se difere destes por ser maior.[3]

Referências

  1. Uetanabaro, Masao (2008). Guia de Campo de Anuros do Pantanal e Planaltos do Entorno. Campo Grande, MS: UFMS. p. 53. ISBN 978-85-7613-135-9 
  2. «Pristimantis ashaninka Lehr and Moravec, 2017» (em inglês). American Museum of Natural History. Consultado em 15 de março de 2017. Cópia arquivada em 16 de Março de 2017 
  3. a b c d e LEHR, Edgar; MORAVEC, Jiří. «A new species of Pristimantis (Amphibia, Anura, Craugastoridae) from a montane forest of the Pui Pui Protected Forest in central Peru (Región Junín)» (em inglês). ZooKeys. Consultado em 14 de março de 2017. Cópia arquivada em 14 de Março de 2017 
  4. «Pristimantis ashaninka Ashaninka Rubber Frog; Rana cutin ashaninka» (em inglês). Amphibiaweb. Consultado em 25 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 16 de Março de 2017 
  5. «Pui Pui» (em espanhol). SERNANP. Consultado em 15 de março de 2017. Cópia arquivada em 16 de Março de 2017 
  6. «A new species of terrestrial-breeding frog (Amphibia, Craugastoridae, Pristimantis) from high elevations of the Pui Pui Protected Forest in central Peru» (em inglês). ZooKeys. Consultado em 15 de março de 2017. Cópia arquivada em 16 de Março de 2017 
  7. «Pristimantis ashaninka (Asháninka Rubber Frog)» (em inglês). IUCN Red List. Consultado em 19 de julho de 2018. Cópia arquivada em 19 de Julho de 2018 
  8. «Pristimantis in Peru» (em inglês). Amphibiaweb. Consultado em 20 de março de 2017. Cópia arquivada em 20 de Março de 2017 

Ver tambémEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Categoria no Commons
  Diretório no Wikispecies