Processo eletrólitico Betts

O processo electrolítico Betts é um processo industrial para a purificação de chumbo a partir de lingotes. O chumbo obtido a partir de seus minério é bastante impuro porque o chumbo é um bom dissolvente para muitos metais. Com frequência, estas impurezas são toleradas, mas o processo electrolítico Betts utiliza-se quando se requer chumbo de alta pureza, especialmente livre de bismuto.[1]

Descrição do processoEditar

O electrolito para este processo é uma mistura de fluorosilicato de chumbo (PbSiF6) e ácido hexafluorosilícico (H2SiF6) que opera a 45 °C . Os cátodos são folhas delgadas de chumbo puro e os ánodos são emitidos desde o chumbo impuro a purificar. Aplica-se um potencial de 0,5 volts. No ânodo, o chumbo dissolve-se na dissolução, ao igual que as impurezas de metais que são menos nobres que o chumbo. As impurezas que são mais nobres que o chumbo, tais como prata, ouro e bismuto, formam copos desde o ânodo à medida que se dissolve e se depositam no fundo da vasilha como "lodo anôdico." O chumbo deposita-se nas placas de chumbo metálico no cátodo, os metais menos nobres permanecem na solução. Devido ao alto custo da electrólise, este processo utiliza-se só quando se precisa chumbo de alta pureza. Caso contrário preferem-se os métodos pirometalurgicos, tais como o processo Parkes seguido pelo processo Betterton-Kroll.[2][3][4]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Charles A. Sutherland, Edward F. Milner, Robert C. Kerby, Herbert Teindl, Albert Melin Hermann M. Bolt "Lead" in Ullmann's Encyclopedia of Industrial Chemistry, 2005, Wiley-VCH, Weinheim. doi:10.1002/14356007.a15_193.pub2
  2. Samans, Carl H. Engineering Metals and their Alloys, 1949 MacMillan
  3. Ojebuoboh, Funsho K. (1992). «Bismuth—Production, properties, and applications». JOM. 44 (4): 46–49. Bibcode:1992JOM....44d..46O. doi:10.1007/BF03222821 
  4. Lead Refining by Electrolysis. [S.l.: s.n.] 

Ligações externasEditar