Abrir menu principal
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde julho de 2017). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Python
Python5-missile001
Tipo Míssil Ar-ar
Local de origem  Israel
Histórico de produção
Criador Rafael Advanced Defense Systems
Custo unitário Shafrir-1: US$20,000
Período de
produção
  • Shafrir series: 1961–1983
  • Python series: 1978–presente
Especificações
Peso 103.6 kg
Comprimento 3.1 metros
Diâmetro 160 Milímetros
Ogiva 11 kg
Detonador Proximidade
Motor Foguete monoestágio de propelente sólido
Envergadura 640 mm
Propelente Sólido
Velocidade Mach 4
Sistema de
orientação
IR + Sistema Eletro-Ótico
Plataforma de
lançamento
Aviões:

CASA C-101 Aviojet
F-4E Kurnass 2000
F-5E/F Tiger-II
McDonnell Douglas F-15 Eagle
General Dynamics F-16 Fighting Falcon[1]
Dassault Mirage III
Dassault Mirage 5
Dassault Mirage 2000
IAI Nesher/Dagger/Finger
IAI Kfir
BAE Sea Harrier
HAL Tejas
Saab JAS 39 Gripen[2]
Sukhoi Su-30MKI[carece de fontes?]
Su-25KM Scorpion[3]

O Rafael Python é um Míssil ar-ar construido pela fabricante de armas israelita Rafael Advanced Defense Systems. Originalmente começando com o Shafrir, o míssil Shafrir-1 foi desenvolvido em 1959, seguido pelo Shafrir-2 em 1970. Posteriormente, os mísseis receberam o nome ocidental de "Python" para fins de exportação, começando com o Python-3 em 1978. Desde então, desenvolveu-se e evoluiu para o Python-4, Python-5, Derby, e, também, o SPYDER. Atualmente, os mísseis estão em serviço nas forças armadas de mais de quinze países em todo o mundo.

Índice

VariantesEditar

Shafrir-1Editar

O Shafrir-1 foi desenvolvido em 1959-1964 para cumprir o requisitos da IAF de um míssil ar-ar doméstico.

O Shafrir-1 foi destinado a ser usado em jatos Mirage de construção francesa. O primeiro teste ocorreu na França em 1963. No entanto, o desempenho do míssil foi tão fraco que eles começaram a trabalhar imediatamente em uma versão melhorada, o Shafrir-2. [4]

  • Comprimento: 250 cm (2.5 m)
  • Diâmetro: 14 cm
  • Peso: 65 kg
  • Orientação: IR
  • Ogiva: 11 kg
  • Alcance: 5 km
  • Velocidade: ???

Shafrir-2Editar

O Shafrir-2 foi creditado com 89 mortes na Guerra do Yom Kippur em 1973.

  • Comprimento: 250 cm (2.5 m)
  • Diâmetro: 15 cm
  • Peso: 93 kg
  • Orientação: IR
  • Ogiva: 11 kg
  • Alcance: 5 km
  • Velocidade: ???

Python-3Editar

  • Comprimento: 295 cm
  • Diâmetro: 16 cm
  • Peso: 120 kg
  • Orientação: IR
  • Ogiva: 11 kg, fusível de proximidade ativo
  • Alcance: 15 km
  • Velocidade: Mach 3.5

Python-4Editar

  • Comprimento: 300 cm
  • Diâmetro: 16 cm
  • Peso: 120 kg
  • Orientação: IR
  • Ogiva: 11 kg
  • Alcance: 15 km
  • Velocidade: Mach 3.5 ou mais

Python-5Editar

  • Comprimento: 310 cm
  • Diâmetro: 16 cm
  • Peso: 105 kg
  • Orientação: Sistema Eletro-Ótico
  • Ogiva: 11 kg
  • Alcance: >20 km
  • Velocidade: Mach 4

OperadoresEditar

Operadores atuaisEditar

  •   Argentina – Shafrir-2 (350 misseis, entregues em 1981[5]) e Python-4.[6][necessário esclarecer]
  •   Bolívia – Python-3.[7]
  •   Brasil – Python-3 (400 misseis, entregues em 2001), Python-4 e Derby (200 misseis cada, todos entregues em 2011).[5]
  •   Chile – Shafrir-2 (50 misseis, entregues em 1978), Python-3 (120 misseis, entregues em 1997), Python-4 (280 misseis, entregues em 2011) e Derby (60 misseis, entregues em 2003).[5]
  •   China – Python-3 (3000 misseis, entregues em 1991–2000, designação local PiLi-8 (PL-8)).
  •   Colômbia – Shafrir-2 (80 misseis, entregues em 1989), Python-3/4 (75 misseis cada, todos entregues em 2005), Python-5 (100 misseis, entregues em 2011) e Derby (40 misseis, entregues em 2010).[5]
  •   Equador – Shafrir-2 (75 misseis, entregues em 1984), Python-3/Python-4 (60 misseis, entregues 1996), Python-5 (50 misseis, entregues em 2001) e Derby (60 misseis, entregues em 2003).[5]
  •   El Salvador – Shafrir.[8][necessário esclarecer]
  •   Honduras – Shafrir-2 (100 misseis, entregues em 1978).[5]
  •   Índia – Python-4 and Python-5 (100 misseis, entregues em 2007) e Derby.[5]
  •   Israel – Shafrir-1/2, Python-4 e Python-5, (usuário primário, designação local Zephyr).
  •   Roménia – Python-3.
  •   Singapura – Python-4 (600 misseis, entregues em 2004).[5]
  •   África do Sul – Python-3 (Designação local V3S Snake, entregues em 1989 e aposentados em Abril de 2008), Derby (Designação local R-Darter ou V4).[9]
  •   República da China (Taiwan) – Shafrir-2 (450 misseis, entregues em 1977).[5]
  •   Tailândia – Python-4 (400–500 misseis, entregues em 1990).[5]
  •   Venezuela – Python-4 (54 misseis, entregues em 2004).[5]

Referências

  1. Airframe Details for F-16 #87-1672. F-16.net. Retrieved on 2013-07-17.
  2. Gripen for Brazil – The Fighter Arquivado em 31 de março de 2013, no Wayback Machine.. Saabgroup.com. Retrieved on 2013-07-17.
  3. Fighter SU-25KM (Scorpion). Geo-army.ge (2010-06-28). Retrieved on 2013-07-17.
  4. Shafrir 1 Arquivado em 22 de setembro de 2008, no Wayback Machine., www.Israeli-Weapons.com.
  5. a b c d e f g h i j k «SIPRI arms transfer database». Stockholm International Peace Research Institute. Information generated on 3 April 2014. Consultado em 3 de abril de 2014  Verifique data em: |data= (ajuda)
  6. International Institute for Strategic Studies (2010). The Military Balance 2010. Reino Unido: Taylor and Francis. p. 66. ISBN 9781857435573 
  7. International Institute for Strategic Studies (2010). The Military Balance 2010. Reino Unido: Taylor and Francis. p. 72. ISBN 9781857435573 
  8. International Institute for Strategic Studies (2010). The Military Balance 2010. Reino Unido: Taylor and Francis. p. 82. ISBN 9781857435573 
  9. «V3S Snake (Rafael Python 3)». South African Air Force. Consultado em 20 de março de 2012 
  Este artigo sobre mísseis é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.