Abrir menu principal

Qalyub (em árabe egípcio: قليوب  pronunciado [ʔælˈjuːb]; em copta: ⲕⲁⲗⲓⲱⲡⲥ)[1] é uma cidade que contém um distrito rural e urbano.[2] Ela está localizada na província de Caliubia, no Egito, situada na parte norte da área metropolitana do Cairo, no início do Delta do Nilo. Em 1986, a cidade tinha uma população de 84 mil e 413 habitantes, que cresceu para 106 mil e 804 habitantes em 2006, um crescimento considerado acima da média.[3]

Qalyub
قليوب
Vista de Qalyub
Coordenadas 30° 11' 59" N 31° 12' 19" E
País Egito
Província Caliubia
Área  
População  
  Cidade (2006) 106804
Fuso horário +2 (UTC)

Visão geralEditar

Qalyub é o centro comercial de uma significativa região agrícola, e alguns registros indicam que a cidade possui um mercado de fazendeiros, regularmente, por quase mil anos.[4]

A população de Qalyub muitas vezes provaram ser autoconfiantes como em 1905, quando construíram seu próprio hospital de quinhentos leitos sem ajuda do Estado.[5] Anos mais tarde, a comunidade recebeu dinheiro da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) para o desenvolvimento do hospital e da escola, no entanto, como em muitas aldeias rurais, o Ministério de Assuntos Sociais irritou os moradores por não fazer o suficiente para eles.[5] Em 1982, o Programa de Serviço de Aldeias Básicas (BVS), sob os auspícios da USAID, tinha vinte e cinco projetos de água previstos para a cidade.[6]

Em 13 de fevereiro de 2005, a cidade foi o palco de uma significativa manifestação política sobre os benefícios e a privatização da Empresa de fiação Qalyub.[7] No ano seguinte, a cidade sofreu uma colisão ferroviária que matou cinquenta e oito pessoas.[8]

Tuk-tuks, carros pequenos, com placas emitidas pelo governo, podem ser vistos na moderna Qalyub, já que o distrito tem visto um aumento maior que a média no crescimento da população.[3]

OutrosEditar

Qalyub orthonairovirus é um vírus membro da ordem Bunyavirales que infectam vertebrados e recebeu o nome da cidade.[9]

Referências

  1. «كتاب لغتنا القبطية المصرية (اللغة القبطية) - أ. بولين تودري». st-takla.org. Cópia arquivada em 15 de junho de 2018 
  2. Law, Gwillim (23 de novembro de 1999). Administrative Subdivisions of Countries: A Comprehensive World Reference, 1900 Through 1998. [S.l.]: McFarland. ISBN 978-0-7864-6097-7. Consultado em 19 de outubro de 2016 
  3. a b Sims, David (2012). Understanding Cairo: The Logic of a City Out of Control. [S.l.]: Oxford University Press. ISBN 9789774165535. Consultado em 22 de novembro de 2016 
  4. Hopkins, Nicholas S.; Westergaard, Kirsten (1998). Directions of Change in Rural Egypt. [S.l.]: American Univ in Cairo Press. ISBN 9789774244834. Consultado em 22 de novembro de 2016 
  5. a b Sullivan, Denis Joseph (1994). Private Voluntary Organizations in Egypt: Islamic Development, Private Initiative, and State Control. [S.l.: s.n.] ISBN 9780813012902. Consultado em 22 de novembro de 2016 
  6. «Egypt: The Basic Village Services Program» (PDF). USAID (em inglês). Consultado em 19 de outubro de 2016. Cópia arquivada (PDF) em 19 de outubro de 2016 
  7. Sowers, Jeannie (5 de janeiro de 2012). The Journey to Tahrir: Revolution, Protest, and Social Change in Egypt. [S.l.]: Verso Books. ISBN 9781844678754 
  8. El Gundy, Zeinab; Abdel-Baky, Mohamed (15 de janeiro de 2013). «Deadly train accidents in Egypt: A Timeline (1992 - 2012)» (em inglês). ahram online. Consultado em 22 de novembro de 2016. Cópia arquivada em 7 de novembro de 2016 
  9. Mahy, Brian W.J. (26 de fevereiro de 2009). The Dictionary of Virology. [S.l.]: Academic Press. p. 392. ISBN 9780080920368. Consultado em 21 de novembro de 2016