Abrir menu principal
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde fevereiro de 2012).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde fevereiro de 2012). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Alçado Sudeste
Alçado Noroeste

A Quinta de Cantim é uma quinta localizada na freguesia de Reguenga, concelho de Santo Tirso, Portugal. O desenho ecléctico deste palacete é atribuído ao arquitecto José Marques da Silva.[1] Este é um edifício nobre, antiga morada do Visconde de Cantim é classificado como imóvel de interesse público desde 1990.[2] A porta de entrada é coroada pelo brasão da família, bem como o hall principal da casa, com o brasão de armas Carneiro.[3]

DescriçãoEditar

A actual Quinta de Cantim, foi edificada como quinta de Recreio do Visconde de Cantim nos finais do século XIX.

A Quinta é composta pela união respectiva dos casais, da casa de Cantim com o casa do Outeiro. O Outeiro perdeu-se da toponimica da terra, mas o lugar da Quinta de Cantim permanece um Outeiro. A casa do Outeiro conhce-se como fundador Duarte Carneiro Rangel.[4]

Nesta período a lógica da propriedade se inverte na chegada à casa para a nova estrada, para a chegada do carro, construída pelo Visconde de Cantim, pela Viscondessa do Bom Sucesso e pela Srª Dona Maria Amélia da Glória Francisca Ruas.[5] Dessa forma é construído um muro de azulejos neo-mouriscos, um portão com um escudo de armas, em ferro forjado, e uma alameda de magnolias até ao palacete.

O corpo mais antigo cria um U a nascente, entre o corpo da casa, cavaleiriças e eira, o pátio em si deve datar do redesenhar da casa, porque a eira tem reminiscenias de ter sido uma casa, por ter janelas, e pela escala destas. Entretanto o terreiro que se cria é um rectângulo áureo. A lógica de divisão dos diversos jardins foi feita por pequenos muros e percursos debaixo de ramada, poi toda a propriedade murada, contem uma ramada a volta, e pontuada nas esquinas por mirantes. O Palacete foi edificado no ano de 1902, criando um plateau de jardins em cima, com um terraço sobranceiro aos jardins de buxo e laranjal.[6]

Referências

  1. «Arq. José Torres». Universidade do Porto. Fims.up.pt 
  2. «www.cm-stirso.pt/». Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico 
  3. Lamy, A. Sousa - Monografia de Refojos - 1997 Visconde de Cantim
  4. Livro dos Foros de Santa Maria da Reguenga
  5. Jornal 1º de Janeiro de 1904 - Construção das Estradas do Concelho de Stº Tirso
  6. Macedo, Eduardo da Costa, A defesa do tutor e cabeça de casal no inventário por óbito do Visconde de Cantim, 1911

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre Património de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.