Abrir menu principal
Rádio Guarathan
{{{alt}}}
Logo da rádio
Rádio Guarathan AM S/A
País  Brasil
Frequência(s) 860 khz AM
Sede Santa Maria, RS
Slogan Guarathan Esporte e Notícias o Nome da informação
Fundação 23 de abril de 1960
Extinção 10 de outubro de 2018
Afiliações Rede Guaíba SAT
Idioma Língua portuguesa
Prefixo ZYK 288
Cobertura 50 municípios
Página oficial www.guarathan.com.br

A Rádio Guarathan foi uma estação de rádio brasileira com sede em Santa Maria, RS. A sede da rádio situava-se no Calçadão Salvador Isaia, no Centro da Cidade, distrito da Sede. Operava na frequência 860 khz AM.

HistóriaEditar

A rádio foi fundada em 23 de abril de 1960 na frequência de 860 khz AM a 10 kw de potência. Atualmente a rádio conta com 23 funcionários.

A primeira instalação comercial da Rádio Guarathan, se deu no prédio localizado na Rua Venâncio Aires, esquina com André Marques, anos depois foi demolido e construído no local o prédio da Previdência Social.

Para constituir o primeiro quadro de funcionários foram contratados os seguintes locutores: Cláudio Segala, Adélia Suze, Claudio Zappe, Quintino Oliveira, Henrique Horn Filho, Ibirá Ceccin, Ribas Hamaister, Pedro Martins e Léo Copstein. Também foram empossados os três primeiros Diretores: José Salamoni; Ney Remedi de Souza e João Soares Moreira. No início a Rádio Guarathan funcionava com prefixo ZYU 85, frequência de 1350 kHz e potência de 1 KW[1].

Na década de 1960 o programa que marcou época foi “O Clube do Sereno” e “O Clube das 14”. Sendo O Clube do Sereno, um programa noturno da época que alcançou o maior índice de audiência entre os ouvintes santamarienses e principalmente aqueles que gostavam da vida noturna e da música de seresta, o ouvinte participava ao vivo do programa. O Clube das 14, tocava as melhores músicas que faziam sucesso no momento, o ouvinte participava ao vivo do programa oferecendo músicas. Além de programas musicais a emissora possuía uma programação informativa e esportiva, não tinha uma programação segmentada, procurava atingir ouvintes de todas as classes sociais. Era identificada pelo slogan “Rádio de todas as frentes e de todas as classes”. As propagandas inseridas na programação da emissora eram todas lidas ao vivo pelo locutor do horário, não havia propaganda gravada. Anos mais tarde os comerciais eram gravados em discos pequenos de alumínio[2].

Em 1962, foi criada a ABERT (Associação brasileira de emissoras de rádio e televisão) e a AGERT (Associação gaúcha de emissoras de rádio e televisão). Ambas foram criadas num momento de crise, especialmente quando se desenhava no país a ameaça de estatização das comunicações radiofônicas. Atuou nas discussões de horários políticos, espaço de A Voz do Brasil, distribuição de frequências, disciplina da pirataria e outros impasses que estavam ligados ao meio radiofônico. Também neste mesmo ano foi fundado o Sindicato dos trabalhadores em empresas de radiodifusão e televisão do Rio Grande do Sul[3].

No ano de 1969, a Rádio Guarathan após anos de audiência comprovada através de seus ouvintes, passou por várias crises financeiras, com funcionários na justiça do trabalho, dívida com a Previdência Social e transferências feitas e não regularizadas no Ministério das Comunicações. No mesmo ano foi adquirida pelo empresário Jaime Medeiros Pinto, que passou a ser o Diretor Presidente da Rádio Guarathan, contratou da Rádio Repórter de Ijuí o Jornalista Luiz Carlos Cozer para comandar a emissora e juntos resolverem os impasses.

Em janeiro de 1972, Jaime Medeiros Pinto, dividiu integralmente as ações vendendo-as à Claudio Zappe que foi contratado da Rádio Imembuí para também administrar a emissora e Luiz Carlos Cozer comprou as ações do Dr. Guilherme Groismann. A situação jurídica ficou resolvida em 1974, quando o então Presidente Ernesto Geisel renovou o canal de concessão por dez anos. A situação financeira se resolveu com o parcelamento da dívida da Previdência Social junto ao Ministério das Comunicações e teve o aceite do Ministro Júlio Barata. A Direção da Rádio Guarathan quitou sua dívida em cem prestações durante oito anos e quatro meses, sem atraso sequer em uma das parcelas.

Ficou registrado no Ministério das Comunicações a nova composição diretora da Rádio Guarathan: Diretor Presidente Claudio Zappe, Diretor Comercial Luiz Carlos Cozer e Diretor Superintendente Jaime Medeiros Pinto.

Em 1972, mais precisamente às 16 horas do dia 12 de dezembro, a emissora passou por uma situação trágica: todas as instalações foram destruídas por uma incêndio que atingiu a discoteca, estúdios, móveis e demais setores, a causa apurada foi um curto circuito. Mais de 80% do patrimônio da emissora foi queimado. Restou apenas o escritório da empresa. Vários telegramas e mensagens de solidariedade foram enviados a emissora, no qual destaca-se o da AGERT, em 29 de dezembro de 1972, que num ato de compreensão daquela situação perdoou a dívida da emissora junta aquela associação. A Rádio Imembuí através de sua direção se solidarizou com a Guarathan, emprestando seu estúdio para que a rádio não ficasse fora do ar até se reconstituir desse impasse.

A partir de então, a Rádio Guarathan cuidou de reconstruir o seu patrimônio e de prosseguir na luta. O ânimo não arrefeceu e o trabalho com bons resultados incentivou a novas conquistas. Primeira conquista foi a autorização do DENTEL (Departamento Nacional de Telecomunicações) para o funcionamento 24 horas por dia. Desta forma ganhou um novo slogan “A namorada da cidade”.

Na década de 70, a programação que a emissora oferecia aos ouvintes 24 horas por dia era dinâmica, versátil e atrativa. Destacava-se “O Jornal da manhã” das 7 às 8 horas, com informações atualizadas no momento do fato e o “Show da Tarde” das 14 às 16 horas com músicas para todos os gostos e a participação ao vivo do ouvinte. Na área esportiva, desataca-se a transmissão da decisão do mundial inter-clubes em 1976 entre Cruzeiro Esporte Clube e Bayern de Munique da Alemanha, disputado em Belo Horizonte. Foi a única emissora do interior do Rio Grande do Sul a realizar este trabalho. As gravações de comerciais nesta época eram feitas com gravador de rolo, dando mais qualidade aos comerciais[4].

Em 24 de janeiro de 1980, a Rádio Guarathan recebia o transmissor de 10 KW, que lhe deu excepcional alcance em todo Estado do Rio Grande do Sul. Além deste equipamento, a emissora instalou um gerador próprio, a qual permitia a permanência no ar, mesmo na falta de energia elétrica. Estava já a emissora instalada em novo sistema irradiante. Seu novo transmissor bem como sua torre, ficaram instalados em uma área de 2,5 hectares, a alguns quilômetros do Centro da Cidade, no bairro Boi Morto.

Na década de 1980 a Rádio Guarathan, inova sua programação, dando ênfase à programas noticiosos, não descartando os programas musicais que caracterizaram a emissora nos anos 60 e 70, desta forma queriam proporcionar ao ouvinte uma programação agradável e variada. Programas que se destacaram nesta fase da emissora foram: “Olho Vivo”, apresentado das 7 horas às 9 horas, com notícias sempre atualizadas, informações no momento do fato e entrevistas ao vivo sobre política, economia, educação e lazer. Programa “Mensageiro”, das 12 horas e 50 minutos às 14 horas, música gaúcha, participação ao vivo do ouvinte e a Hora dos Avisos, quadro do programa onde lia-se os comunicados em geral. Programa “Panorama”, das 20:30min. às 21:00h., informações abrangendo os campeonatos de várias modalidades do esporte amador santamariense. Nesta época os comerciais eram gravados em cartuchos montados dentro da emissora e tocados no ar através de uma cartucheira, as músicas eram tocadas em discos de vinil, rolo ou fitas.

Na comemoração do jubileu de prata da Rádio Guarathan, foram enviadas várias mensagens de congratulações pelos 25 anos de serviço radiofônico prestados a comunidade santamariense e região central do Rio Grande do Sul. Destaca-se a seguinte felicitação:

  • “Homenagem do Governo do Estado do Rio Grande do Sul à Rádio Guarathan pela passagem de seu 25º aniversário. Santa Maria, 23 de abril de 1985. Jair Soares – Governador do Estado”.

Neste período a Rádio Guarathan esteve à frente da Relider, Rede Liderança de emissoras, porque foi a precursora desta iniciativa de congregar empresas de radiodifusão para estabelecer um plano conjunto de atividades, embora mantendo cada uma sua individualidade comercial e empresarial, respeitando suas peculiaridades e a situação sócio econômica e geografia em que se situam. Os fundadores da Relider foram os Diretores da Rádio Guarathan Luiz Carlos Cozer, Jaime Medeiros Pinto e Claudio Zappe. As emissoras que faziam parte desta Rede eram: Rádio Guarathan de Santa Maria, Sociedade Rádio Integração de Restinga Seca, Rádio Osório de Osório, Rádio São Luiz de São Luiz Gonzaga, Rádio Sideral de Getúlio Vargas, Rádio RCC (FM) de Santana do Livramento e Rádio RCC (FM) de Rio Grande. Devido a divergência ideológica administrativa ouve dissolução de sociedade e a Relider encerrou seus trabalhos no ano de 1995. A partir deste momento o Diretor comercial da Rádio Guarathan, Luiz Carlos Cozer, vende suas ações da Sociedade Rádio Integração e compra as ações do seu sócio majoritário Cláudio Zappe e torna-se o atual Diretor Presidente da emissora.

Neste propósito de crescimento, a Rádio Guarathan iniciou no ano de 1980 o plano de conquista de um canal de frequência modulada em Santa Maria, eis que acreditava ser o rumo natural da ampliação de suas atividades empresariais, e mais que isso, ser importante dar à Santa Maria uma emissora em FM que seja de um grupo empresarial local, e cuja direção seja voltada para atividade de radiodifusão.

A luta pelo canal em FM durou nove anos, sendo concretizada no dia 27 de abril de 1989. A emissora tinha como razão social o nome de Rádio Guarathan FM, frequência 99.5 MHZ, 1 KW de potência, 12 horas no ar e segmentada em nativismo. Seus Diretores na data de fundação eram Luiz Carlos Cozer e Claudio Zappe, este último diretor atual.

Após a criação do canal em FM, a Rádio Guarathan AM passa a ter sua programação segmentada em jornalismo e esporte, sendo identificada pelo slogan “Guarathan Esporte e Notícias o Nome da informação”. Primeiramente, as instalações da FM ficavam no mesmo prédio da Guarathan, Galeria do Comércio, 1336 1º e 3º andares, no Calçadão Salvador Isaia. Nesta fase a Rádio Guarathan passa ter sua programação voltada para a informação. Sua programação a partir da década de 1990 até os dias atuais dá exclusividade em 80% dos programas para o segmento jornalístico e esportivo.

Os programas que se destacam no novo segmento da emissora foram: “Olho Vivo”, desde sua criação é o programa de maior audiência da Guarathan, começa às 6 horas e 30 minutos e termina às 9 horas e 30 minutos, enfatiza as principais notícias locais, nacionais e internacionais, tem vários quadros dentro do programa, incluindo debates e participação ao vivo dos entrevistados. As notícias são sempre atualizadas via Internet.

Na área esportiva a Rádio Guarathan fez parceria com a Rádio Guaíbasat, entrando em cadeia via satélite nas transmissões esportivas, correspondentes noticiosos e com alguns programas de interesse para comunidade, destacamos o “Medicina e Saúde”, que vai ao ar todos os sábados das 7 horas às 10 horas, especificamente segmentado na área da saúde humana. A direção da emissora procurando acompanhar a evolução tecnológica, informatizou toda rádio desde a técnica de som, gravadora e departamento comercial.

ExtinçãoEditar

Segundo o portal da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, a Guarathan possui uma dívida de quase R$ 1,7 milhões.[5] Em fevereiro de 2018, os operadores técnicos da rádio fizeram greve devido à falta de pagamento da segunda parcela do 13º salário de 2017 e FGTS. Em 10 de outubro de 2018, pelo período da manhã, os funcionários não conseguiram entrar na rádio, que havia sido cadeada pelo proprietário. Depois de mais de 58 anos no ar, a Guarathan foi fechada e foi declarada falência. Ao longo dos últimos anos, a emissora enfrentava dificuldades financeiras e ações trabalhistas na justiça. [6][7]

ApresentadoresEditar

  • Renato Oliveira: Programa Olho Vivo.
  • Valmir Lima: Programa Dimensão.
  • Miguel Gomes: Programa Mesa Redonda dos Esportes e Realidade Debates.
  • Marcia Denardin: Realidade e Realidade Debates
  • Renato Oliveira: Programa Paralelo 860 e Programa Mesa Redonda dos Esportes (esse último junto com Miguel Gomes).
  • Dinarte Lopes: Programa Hora 'H' Notícia e Programa Show de Bandas.
  • Saulo Felin: Programa Il Nostri Italiani

Referências

  1. Arquivo da Rádio Guarathan, 1960.
  2. Arquivo da Rádio Guarathan,1965.
  3. TAVARES, Reynaldo C. 1999. Histórias que o rádio não contou. Do galena ao digital, desvendando a radiodifusão no Brasil e no mundo. 2ª ed. São Paulo: Harbra.
  4. Arquivo da Rádio Guarathan,1970.
  5. Pereira, Claudemir (12 de fevereiro de 2018). «IMPRENSA. Operadores da Rádio Guarathan realizam paralisação de 24 horas e programação sai do ar». Claudemir Pereira. Consultado em 20 de novembro de 2018 
  6. https://tudoradio.com/noticias/ver/20452-radio-guarathan-amanhece-de-portas-fechadas-em-santa-maria
  7. https://www.correiodopovo.com.br/Noticias/Cidades/2018/10/663430/Proprietario-de-radio-de-Santa-Maria-fecha-emissora-sem-avisar-funcionarios

Referências GeraisEditar

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre Rádio é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.