Abrir menu principal

Na literatura islandesa, uma ríma (plural: rímur, literalmente, "uma rima") é um poema épico escrito em qualquer um dos chamados rímnahættir ("metros de rima"). São poemas rimados em verso aliterativo, que consistem de dois a quatro versos por estrofe. Existem centenas desses metros, contando as variações, mas podem ser agrupados em cerca de dez famílias. O plural rímur é usado tanto como um plural normal quanto como é também usado para trabalhos maiores com mais de uma ríma como um todo. Assim, Ólafs ríma Haraldssonar é um poema épico sobre Ólafr Haraldsson de uma única ríma. Já Núma rímur é um épico sobre Numa Pompílio composto de várias rímur.

BibliografiaEditar

  • Stefan Einarsson, A history of Icelandic literature, Nova Iorque 1957.
  • Peter Hallberg, Den fornisländska poesien, Verdandis skriftserie 20, 2ª ed, Estocolmo 1965.
  • Finnur Jónsson, Den oldnorske og oldislandske litteraturs historie, del 3, Copenhaga 1902.

Colecções de Ríma

  • Ólafur Halldórsson (utg.), Kollsbók, Handritastofnun Íslands, 36, Reiquiavique 1968. (Contém a colecção mais antiga da Islândia de rímur entre cerca de 1480-1490.)
  • Finnur Jónsson, Fernir forníslenskir rímnaflokkar, Copenhaga 1896.
  • Finnur Jónsson, Rímnasafn – Samling af de ældste islandske rimer, (2 volumes), Copenhaga 1905 – 1922.
  Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.