Abrir menu principal

Red and Anarchist Skinheads

(Redirecionado de RASH)

Red and Anarchist Skinheads (RASH — em língua portuguesa, "skinheads comunistas e anarquistas") são skinheads ligados ao anarquismo ou ao comunismo. Se posicionam abertamente contra o fascismo, o neonazismo e todo tipo de preconceito como o racismo e a homofobia.[1] Alguns membros da RASH fundaram torcidas organizadas como as Ultras Contra o Racismo em Portugal, como uma forma de se posicionar contra o racismo e o neonazismo presente nas torcidas organizadas de futebol.

HistóriaEditar

Foi fundada em Nova York nos Estados Unidos em 1993,[1] e em Montreal e Quebeque em 1994. Apareceu pela primeira vez na França em Le Havre antes de se espalhar para as cidades de Marselha e Bordeaux e no resto do país. A R.A.S.H. é de um grupo relativamente recente do final dos anos 90 de redskins comunistas e skinhead da nova geração influenciados pelo anarquismo. Os skinheads estão comprometidos com a extrema-esquerda, ou mesmo o que os cientistas políticos chamam de ultra-esquerda (discurso revolucionário) ou grupos de autonômos, isto é, não vinculados a grandes partidos políticos. O termo "red", que remete para o comunismo, que literalmente significa "vermelho" e "redskins" pode parecer em desacordo com o "anarquista".

 
Símbolo do Red and Anarchist Skinheads (RASH)

O anarquismo é, estritamente falando, uma doutrina libertária socialista (baseado no ideal de liberdade), que tende a criar uma sociedade sem um estado ou propriedade privada (veja os escritos de Proudhon, Bakunin, Kropotkin...). O comunismo é outra doutrina socialista, construído principalmente por Karl Marx, que observou uma luta de classes que existe entre a burguesia, por um lado e do proletariado, por outro. Ele defende a tomada do poder pelo Partido Comunista em nome do proletariado, para estabelecer a aquisição por parte do proletariado, o único esquema considerados aptos a realizar as reformas que levariam a uma sociedade ideal, sem um estado ou propriedade privada. Em resumo, podemos dizer que os comunistas e anarquistas tendem para o mesmo ideal, mas estão divididos sobre como chegar lá.

Os RASHs são animados pela convicção de que os skinheads são um movimento juvenil verdadeiramente proletário e internacional. Composição do movimento skinhead é um complemento lógico à política ou sindical. Os RASHs franceses são próximos das seguintes organizações: a CNT (Confederação Nacional do Trabalho, sindicalista revolucionária), FA (Federação Anarquista), l'UA (União anarquista), l'OCL (Organização Comunista Libertária) e LCR (Liga Comunista Revolucionária, um partido trotskista), SCALP. Outro exemplo é a internacional Anarchist Black Cross (organização anarquista revolucionária) ou Internacional Socialismo (movimento trotskistas anglo-saxónica).

Os RASHs fazem campanhas e organização de concertos. Eles também atacam skinheads de extrema-direita (os boneheads) tentando expulsá-los das ruas. Sua luta atinge as principais causas da justiça e da luta global contra o capitalismo.

CaracterísticasEditar

Os R.A.S.H.s procuram resgatar e preservar os "aspectos positivos" da cultura skinhead clássica como:

  • O sentimento de orgulho de pertencer à classe operária (working class);
  • A identificação com o reggae, o ska e outros estilos de música negra;
  • A identificação com a rebeldia social do punk rock, através do streetpunk/oi! ;
  • A ligação com o futebol, esporte popular e de massas;
  • O hábito de beber cerveja como forma de sociabilidade e integração.

Os R.A.S.H.s se comprometem em:[1]

  • A reunir na R.A.S.H. skinheads anarquistas, socialistas e comunistas em geral, superando as diferenças políticas por ter que lutar contra o inimigo comum que são os "neo-nazistas".
  • Reconhecer o espírito de 69, e incluir rude boys, rude girls, mods e punks.

Os R.A.S.H.s apoiam:[1]

  • A luta contra todos os meios que destroem a cultura skinhead: mídia, organizações fascistas, etc.
  • Solidariedade com as principais vítimas de agressão nazista: os imigrantes, os homossexuais (gays e lésbicas), militantes anti-fascistas, etc.
  • Organização contra os inimigos da classe trabalhadora.
  • Organização contra a violência policial.

Referências

  1. a b c d «Skinhead, un poco de historia del origen de los skins, del Sharp, Rash, el Oi!,ska, etc». Consultado em 13 de abril de 2010. Arquivado do original em 23 de março de 2008 

Ligações externasEditar