Abrir menu principal

Macaca mulatta

(Redirecionado de Rhesus)
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde outubro de 2013). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)


Como ler uma infocaixa de taxonomiaMacaco-rhesus
Macaca mulatta in Guiyang.jpg
Estado de conservação
Espécie pouco preocupante
Pouco preocupante (IUCN 3.1) [1]
Classificação científica
Reino: Animalia
Superfilo: Deuterostomia
Filo: Chordata
Superclasse: Tetrapoda
Classe: Mammalia
Ordem: Primates
Superfamília: Cercopithecoidea
Família: Cercopithecidae
Subfamília: Cercopithecinae
Tribo: Papionini
Género: Macaca
Espécie: M. mulatta
Nome binomial
Macaca mulatta
(Zimmermann, 1780)
Distribuição geográfica
Mapa de distribuição do Rhesus
Mapa de distribuição do Rhesus

O macaco-rhesus (Macaca mulatta) é um primata da família Cercopithecidae que habita as florestas temperadas da Índia, China e Afeganistão.[carece de fontes?]

É um animal de cor geralmente castanho-avermelhada, quase alaranjada com a face rosada e com muitos pelos nas regiões das sobrancelhas. Mede entre 38 e 76 cm e a cauda possui cerca de 61 centímetros. Pesa aproximadamente 13 kg. O Rhesus é omnívoro, alimentando-se de vegetais e pequenos animais. A gestação dura cerca de 146 a 180 dias e resulta num único filhote. Assim que o filhote nasce, ele é extremamente dependente dos cuidados maternos e nunca fica sozinho no seu ninho. À medida que cresce, a mãe deixa de transportá-lo. É um animal muito ativo durante o dia. Vive em grupos de aproximadamente 24 indivíduos de ambos os sexos e diferentes idades. É um bom nadador. Chega a viver 30 anos em cativeiro.[carece de fontes?]

É extensivamente estudado e usado em experiências laboratoriais. O fator Rh do sangue foi demonstrado primeiramente em Rhesus. Recentemente, um estudo mostrou que, em certas condições, o macaco Rhesus pode agir com autoconsciência e até se reconhecer em frente a um espelho.[2]

Referências

  1. Timmins, R. J., Richardson, M., Chhangani, A., Yongcheng, L. ({{{ano}}}). Macaca mulatta (em Inglês). IUCN 2015. Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da IUCN de 2015 . .
  2. «Pela primeira vez, macacos se reconhecem no espelho». Revista Galileu. Consultado em 20 de outubro de 2013 


  Este artigo sobre Macacos do Velho Mundo ou Hominoidea, integrado ao WikiProjeto Primatas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.