Abrir menu principal
Ribeira do Almargem
Ribeira da Tira de Baixo
Vale do Almargem.jpg

Vale da Ribeira do Almargem com a ponte ferroviária vista a partir da Ria Formosa

Localização
País
Hidrografia
Tipo
Nascente
Afluente
principal
ribeira da Gafa, ribeira de Carriços, barranco do Vale Formoso
Foz
Ria Formosa, junto a Cabanas de Tavira
Ponte ferroviária da Ribeira do Almargem. Construída no início do século XX e reforçada continuamente.

TrajectoEditar

Troço da Ribeira para sul da ponte ferroviária e vista das salinas instaladas para sul da linha férrea.

A Ribeira do Almargem é formada na confluência das ribeira de Carriços e da ribeira de Gafa, junto à Mata Nacional de Conceição. O seu curso principal nasce a cerca de 400 m de altitude, perto da povoação da Borracheira localizada na zona serrana do concelho de Tavira. Denominado inicialmente por ribeira da Tira de Baixo, une-se ao Barranco do Vale de Murta dando origem à ribeira de Carriços. Apesar do seu curso principal percorrer cerca de 25 km, a Ribeira do Almargem tem um desenvolvimento aproximado de 6 km. A ribeira desagua no extremo Este da Ria Formosa, entre as povoações de Cabanas e Tavira.[1]

HistóriaEditar

Delimita historicamente as freguesias da Conceição de Tavira da de Santa Maria de Tavira.

O cartógrafo e engenheiro militar José Sande de Vasconcelos cartografou o vale da Ribeira em 1774[2].

Existe uma ponte antiga classificada sobre esta ribeira, supõe-se desde o tempo romano. João Baptista da Silva Lopes refere-a em 1841[3] e há documentação que refere a sua existência no século XV[4].

PontesEditar

Existem quatro pontes sobre esta ribeira no seu trajecto junto à foz, elas são, no sentido da foz:

TopónimoEditar

Almargem provém do termo árabe almarj[5][6], que significa prado ou campo de pastagem.


ReferênciasEditar

  1. «Ribeira do Almargem». portugalpontoporponto.blogspot.pt. Consultado em 15 de setembro de 2017 
  2. «Mappa das terras dªAlmargem, [entre 1773 e 1774] - Biblioteca Nacional Digital». purl.pt. Consultado em 17 de outubro de 2017 
  3. «Monumentos». Consultado em 29 de novembro de 2017 
  4. Anica, Arnaldo Casimiro (2001). Tavira e o seu Termo (Volume 2). [S.l.]: Câmara Municipal de Tavira 
  5. Alves, Adalberto (14 de fevereiro de 2014). Dicionário de Arabismos da Língua Portuguesa. [S.l.]: INCM. ISBN 9789722721790 
  6. «As influências do Árabe na Língua Portuguesa e locais portugueses com nomes árabes | VortexMag». VortexMag. 16 de dezembro de 2017