Abrir menu principal

Wikipédia β

Nilo Azul

(Redirecionado de Rio Abay)

O Nilo Azul (em árabe: Al Bahr al Azraq) é um rio localizado na região nordeste da África, e possui aproximadamente 1370 km de comprimento. O rio sobe a uma altitude de cerca de 1830 m na região do lago Tana, no noroeste da Etiópia. O Nilo Azul possui uma usina produtora de irrigação e hidroeletricidade no Sudão.

Rio Nilo Azul
Nilo Azul perto de Bahar Dar
Comprimento entre 1.460 e 1.600 km
Nascente Lago Tana
Altitude da nascente 1.830 m
Foz Confluência com o Nilo Branco,
em Cartum, formando o
rio Nilo
País(es) Sudão
 Etiópia
Mapa do Nilo Azul (em castelhano)

Em alguns lugares na Etiópia – especialmente regiões mais altas – ele é chamado de Abbai. Essa porção do rio é considerada sagrada por muitos na Etiópia. Acredita-se que seja o Rio Ghion mencionado na Gênesis que flui do Jardim do Éden. A porção Abbai do Nilo Azul se origina no Lago Tana e flui por cerca de 30 km antes de precipitar-se em cataratas. O rio então corre pelo Noroeste da Etiópia por uma série de vales profundos e cânions em direção ao Sudão, ponto a partir do qual é somente chamado de Nilo Azul.

Embora haja vários córregos afluentes que vão para o Lago Tana, a fonte consagrada do rio é geralmente considerada que seja uma pequena nascente em Gish Abbai em uma altitude de aproximadamente 1800 metros. O Nilo Azul bem depois se une ao Nilo Branco em Cartum, Sudão e, como Nilo, flui através do Egito para o Mar Mediterrâneo. O Nilo Azul é assim chamado porque durante os períodos de cheia, sua corrente fica tão alta que muda de cor para algo quase preto. Na língua sudanesa local a palavra para “preto” é também usada para “azul”.

Exploração EuropeiaEditar

Acredita-se que o primeiro europeu a ver o Nilo Azul na sua nascente, na Etiópia, tenha sido o jesuíta espanhol Pedro Páez, que teria chegado à nascente do rio a 21 de Abril de 1613.1 Escreveu Páez: "A nascente do Nilo está situada na parte alta de um vale rodeado por montanhas...Grande foi a minha alegria por ver o que Ciro, Cambises, Alexandre o Grande e César tinham procurado em vão com tanta ansiedade. A água pura, límpida, agradável ao paladar, saía de duas bacias arredondadas". No entanto, o português João Bermudes, ordenado Patriarca da Etiópia, havia dado já antes a primeira descrição das cataratas Tis Issat, nas suas memórias (publicadas en 1565). Outros europeus que visitaram e viveram na Etiópia no século XV, como Pêro da Covilhã, podem ter visto o rio muito antes de Páez, embora nenhum tenha chegado à sua nascente. Também o missionário jesuíta português Jerónimo Lobo alcançou a nascente do Nilo Azul em 1629, seguido pelo escocês James Bruce em 1770.

NotasEditar

1. R. E. Cheesman, Geographical Journal, 71 (1928), pag. 361.

Ver tambémEditar

  Este artigo sobre hidrografia em geral é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.