Roberto Frangella

Roberto Frangella (nascido em Buenos Aires, 6 de outubro de 1942) é um escultor, arquiteto e pintor argentino. Ele é conhecida por experiências de auto-construção assistida. Suas obras foram expostas no Centro Cultural Recoleta, no Centro Cultural Borges, no Museu Nacional de Belas Artes, no Museu Sivori, Fundação Joan Miró, em Barcelona, ​​entre outros. Graduou-se em arquitetura pela Universidade de Buenos Aires e forma junto de William Dergarabedian desde 1983 o estúdio Dergarabedian Frangella Arquitectos.

ObraEditar

Por ocasião de sua exposição intitulada Mostra Cartonera, Frangella disse:

"Com meus objetos reciclados quero dizer, como uma metáfora, que o caminho é ser capaz de ver com outros olhos, beber em suas mãos e através da ilusão transformá-lo em algo mais. Bem como recipientes descartáveis ​​pode se tornar uma escultura, mantendo-se recipientes descartáveis, para que possamos reconstruir um país com a esperança de justiça e igualdade..."

Em outra ocasião, Frangella definiu seu trabalho de outra maneira:

"Meu trabalho. Trabalhando com materiais recicláveis, embalagens e tudo todos os dias. Eu acredito em uma efêmera arte / valor tão acordado no outro. É melhor suportar o pensamento de outras pessoas que nos seguem, deixar obras duradouras. Este modo de trabalhar bem para mim sobre isso, a menos que eu tenho e demonstra que a arte não é por causa do mármore, mas pelo que nos sentimos homens / Desenho e pintura são a notação musical. Minha música é composta de notas, registros e medidas, sons reflexivos dentro de cada espírito, ouvir com os ouvidos da alma e em absoluto silêncio. Assim como um rumor da paz vai nos dizer que nós podemos participar nesta terra maravilhosa."[1]

Suas obras estão em exposição permanente em:

Em 2003, apresentou um projeto de Memorial para o World Trade Center, em Nova York.[3]

Referências

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar