Roxozinho Está Deitado

"Roxozinho está deitado"[a] é uma canção de Natal tradicional portuguesa originária da freguesia de Carvoeiro no concelho de Mação.[1]

HistóriaEditar

"Roxozinho" é uma composição é de difícil datação. A letra tem origem erudita, surgindo já em 1889 numa publicação baiana chamada "Leituras Religiosas". Nesse jornal, o poema é atribuído a um(a) tal "C. A. da S.".[2] Ainda no final do século XIX, o compositor José P. Saavedra trabalhou na composição que aparece numa coletânea de cânticos de Natal manuscrita produzida entre 1875 e 1900.[3]

No século XX, em 1921, é publicada por Francisco Serrano na sua obra Romances e Canções Populares da Minha Terra, o resultado de uma recolha de canções tradicionais do concelho de Mação, no distrito de Santarém.[1] Partindo desta publicação, o compositor português Fernando Lopes-Graça escreveu um arranjo da melodia que incluiu na sua Segunda Cantata do Natal com o nome Visitação do Menino.[4]

Melodia e harmonizaçõesEditar

 

Das várias harmonizações que recebeu Roxozinho está deitado destacam-se:

LetraEditar

O tema da cantiga é a adoração do Menino. O versos "Já lá vem o sacerdote, / Já Vos estão a beijar" apontam que originalmente se cantaria durante o tradicional "beijar do Menino" durante a Missa do Galo.

Segue-se a letra tal como aparece no poema de "C. A. da S.", na recolha de Francisco Serrano e na versão de David Sequeira:

 
Vitral com Natividade na Igreja Matriz da Trofa.
C. A. da S.[2] Francisco Serrano[1] David Sequeira

Roxozinho está deitado
Em palhinhas, Deus Infante;
Ai! quem viu florir no prado
Botãozinho mais galante?

Ó meu Menino Jesus,
Nós Vos queremos adorar;
Já lá vem o sacerdote,
Já Vos estão a beijar!

Roxozinho que estás deitado
Em palhinhas, Deus Infante;
Ai! quem viu florir no prado
Botãozinho mais galante?

Nos cabelos finos de oiro
Gelo enreda a aragem fria;
A tal prenda qual tesoiro?
Vossos braços, ó Maria.

Roxozinho está deitado
Em palhinhas, Deus Infante,
Mas não há em fresca rosa
Botãozinho mais galante!

Reclinou-se a Mãe formosa,
Reclinou-se a Deus Infante;
Ai! quem viu em fresca rosa
Botãozinho mais galante?

Reclinou-se à Mãe formosa,
Reclinou-se Deus Infante;
Ai! quem viu em fresca rosa
Botãozinho mais galante?

Entrai, pastores, entrai,
Na lapinha de Belém;
Adorai o Deus Menino,
Que nasceu p'ra vosso bem!

Ó meu Menino Jesus,
Nós Vos vimos adorar;
Já lá vem o sacerdote,
Já Vos estão a beijar!

Ela, toda amor, ao seio
Com finezas mil O aninha.
Ele, todo um puro enleio,
Dá-lhe à face a facezinha.

Coro de anjos eu diviso,
Vem cantar a Deus Infante;
Ai! não tem no Paraíso
Botãozinho mais galante.

DiscografiaEditar

  • 1964Fernando Lopes-Graça Second Christmas Cantata. Coro da Academia de Amadores de Música. Decca / Valentim de Carvalho. Faixa 6: "Visitação do Menino".
  • 1979Fernando Lopes-Graça Segunda Cantata do Natal. Choral Phidellius. A Voz do Dono / Valentim de Carvalho. Faixa 6: "Visitação do Menino".
  • 1990Canções Tradicionais de Natal. Coro Audite Nova de Lisboa. Polygram. Faixa 7: "Entrai, pastores (Algarve)".
  • 2012Fernando Lopes-Graça Obra Coral a capella - Volume II. Lisboa Cantat. Numérica. Faixa 6: "Visitação do Menino".[4]

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

Notas e referências

Notas

  1. A mesma canção também é conhecida por muitos outros nomes como:
    • "Ó meu Menino Jesus"
    • "Ó meu Menino Jesus, nós Vos qu'remos adorar"
    • "Ó meu Menino Jesus, nós Vos queremos adorar"
    • "Reclinou-se a mãe formosa"
    • "Roxozinho"
    • "Roxozinho que estás deitado"
    • "Visitação do Menino"

Referências

  1. a b c Serrano, Francisco (1921). Romances e Canções Populares da Minha Terra 1 ed. Braga: Tip. a electricidade de A. Costa & Matos 
  2. a b da S., C. A. (29 de dezembro de 1889). «Ao Menino Jesus». Bahia. Leituras Religiosas (37) 
  3. a b José P. Saavedra; A. Collin (1875–1900). «Colectânea de cânticos de natal (música manuscrita)». Porbase: Base Nacional de Dados Bibliográficos. Consultado em 13 de agosto de 2015 
  4. a b c Paula de Castro; et al.; Miguel Azguime,. «Segunda Cantata do Natal». Centro de Investigação & Informação da Música Portuguesa. Consultado em 7 de agosto de 2015 
  5. a b Coro Santo Inácio. «Repertório». Consultado em 13 de agosto de 2015 
  6. «Recital de música Coral pelo Coro LNEC, da Associação de Trabalhadores do Laboratório Nacional de Engenharia Civil». Palácio Foz. Consultado em 13 de agosto de 2015