Sanduíche-iche

meme de internet brasileiro
(Redirecionado de Ruth Lemos)

Sanduíche-iche é um meme da Internet surgido no Brasil a partir de uma entrevista da nutricionista Ruth Lemos à TV Globo Nordeste em 2004. Nela, Lemos gagueja, dizendo a palavra "sanduíche-iche". O vídeo se tornou viral em 2005 através de comunidades no Orkut e foi exibido no Pânico na TV. Lemos inicialmente não gostou da repercussão, mas, aproveitando a visibilidade, candidatou-se a deputada estadual. É considerado um dos primeiros memes do Brasil.

Sanduíche, feito no Brasil

OrigemEditar

  Vídeos externos
  Entrevista original

Em 26 de agosto de 2004,[1] a nutricionista Ruth Lemos deu uma entrevista ao vivo ao Bom Dia PE, da TV Globo Nordeste, sobre os hábitos alimentares das crianças. Enquanto falava, ela gaguejou e disse, entre outras frases gaguejadas, "Eles precisam saber-ber que até o sanduíche-iche pode ter um valor nutritivo-tivo [...]". Lemos não é gaga; o atraso no retorno de som, ou delay, fez com que ela repetisse "porque achava que não escutava".[2][3] Ela nunca havia utilizado o ponto de ouvido.[4] Apesar disso, e rindo durante a entrevista devido à situação, ela conseguiu finalizar, "transformando-se em um involuntário personagem cômico", segundo a Folha de S.Paulo.[3] No segundo bloco do programa, quando ela voltou ao ar, falou normalmente.[1]

PopularidadeEditar

[...] alguém — e ninguém sabe quem — resolveu gravar a cena em seu computador e enviar por e-mail para um amigo, que deve ter enviado para outros amigos e assim deu início a uma das mais impressionantes correntes de divulgação que a web brasileira já viu [...]

Fred Figueirôa, ao Pernambuco.com.[1]

Inicialmente, a entrevista ficou esquecida,[1] mas se tornou popular a partir de 2005. O vídeo viralizou no YouTube, uma nova plataforma à época.[2] Até 23 de março de 2005, existiam 48 comunidades dedicadas à nutricionista no Orkut. Foram criadas charges eletrônicas e um site dedicado ao episódio recebeu 175 mil visitantes.[4] O Yahoo! mostrou que "Ruth Lemos" foi o terceiro assunto de maior destaque na primeira semana de março de 2005, tendo um aumento de 586% na procura do termo.[1] Lemos também se tornou emoticon do MSN Messenger[1] e foi alvo de paródias musicais.[1][4] Além disso, a entrevista foi exibida no Pânico na TV.[1][4]

Em 8 de abril, a assessoria de imprensa da agência de publicidade da Intelig Telecom declarou que Lemos seria a garota-propaganda da empresa. No comercial, ela é entrevistada e fala sobre as ofertas de DDD da operadora, gaguejando: "É preciso saber-saber, que para fazer um DDD-DD você precisa sair da rotina-ina-ina e usar o 23-23 [...]".[5] Em junho de 2008, foi criado o perfil falso @ruth_lemos no Twitter, que postava frases cômicas imitando a suposta gagueira de Lemos.[6] Em 2011, o meme fez parte de uma campanha da Kuat.[7]

Resposta e após o memeEditar

Lemos soube da repercussão quando sua colega ligou-lhe, avisando que a entrevista tinha sido exibida no Pânico, o que ela achou "nada agradável".[1] Inicialmente, ela disse em entrevista ao site Globo Online em março de 2005 que conversou com advogados na tentativa de "frear a mania".[4] Anos mais tarde, no entanto, ela deu respostas mais positivas e disse que não esperava essa resposta do público: "Eu fiquei muito surpresa porque não esperava de jeito nenhum, sou uma pessoa discreta e de repente foi uma exposição muito grande. Você fica sem entender muito".[2] Ela só assistiu à entrevista no Programa do Jô; ela explicou: "Não é nem que eu tinha vergonha, mas eu achava que aquilo não havia sido bom para mim. Então, por que assistir?"[3]

Lemos tentou aproveitar a fama para lançar uma candidatura a deputada estadual por Pernambuco em 2006, mas não se elegeu, tendo recebido 1 160 votos. No horário eleitoral gratuito, ela ficou "firme e seríssima", contrastando a ideia da entrevistada gaga da Internet. Ela acredita que o meme a prejudicou: "Aquilo só causa preconceito, porque me coloca numa situação de alguém limitado, sem potencial, sem formação. Como eu ia tirar partido? Se provocou alguma coisa, foi prejuízo". Ela disse que conseguiu "cada um dos votos no corpo-a-corpo, de porta-em-porta, falando com as pessoas", e que sua "fama repentina" não lhe ajudou.[8] À Folha de S.Paulo, ela disse que não sabia se o vídeo a prejudicou ou ajudou pois, "ao mesmo tempo em que me tornou conhecida, me ridicularizava um pouco."[3] Ao Extra, ela disse: "Eu tive mais de mil votos e, isso, pra uma pessoa que não era da mídia e não tinha recursos, é muita coisa. Mas pela repercussão do caso, eu deveria ter tido muito mais votos, né? Eu teria sido eleita se o vídeo tivesse uma conotação positiva".[9]

Em entrevistas de 2014 e 2015, ela disse que ainda é abordada nas ruas devido ao meme.[3][9] Já foi presidente da Associação Pernambucana de Nutrição[8] e membro do Conselho Federal de Nutricionistas por duas gestões seguidas e, segundo publicação do Ego em 2016, é professora, trabalha em um hospital e é representante no Conselho de Segurança Alimentar.[2]

LegadoEditar

Sanduíche-iche é considerado um dos primeiros memes do Brasil[2] e, segundo o UOL, "um dos virais mais antigos da internet brasileira".[10] Em 25 de novembro de 2007, Hiro Kozaka, do blog Videorama, disse à Folha de S.Paulo que Sanduíche-iche era um clássico do YouTube.[11] Em outra matéria, o mesmo jornal declarou: "Talvez ninguém tenha se tornado celebridade tão rápida e amplamente no Brasil, graças a um meme, quanto a nutricionista Ruth Lemos".[3] O meme foi colocado em diversas listas, como a de "Grandes gafes da TV" da Veja São Paulo,[12] de "alguns dos melhores memes brasileiros" do R10,[13] de vídeos clássicos do YouTube do MundoBit,[14] de "vídeos do YouTube mais amados" da 33Giga,[15] de "mais famosos memes da rede" da GZH,[16] de "10 vídeos do YouTube que se tornaram fenômenos nacionais" da NSC Total,[17] de "7 clássicos da internet" de Pernambuco da PorAqui,[18] dos "7 maiores clássicos das reportagens que viraram memes" da MegaCurioso,[19] bem como na lista dos "25 memes que formaram o caráter da internet brasileira" do mesmo site,[20] de "10 vídeos de sucesso" do YouTube da Exame,[21] de "webcelebridades nacionais que caíram no esquecimento" da O Povo,[22] dos "20 virais mais amados do YouTube" da Super,[23] dos "maiores memes da história da Internet" do TechTudo[24] e na lista dos "melhores memes da história do Brasil" da Metrópoles.[25] O meme é citado no livro Os 198 Maiores Memes Brasileiros que Você Respeita, de Kleyson Barbosa.[6]

Referências

  1. a b c d e f g h i «Nutricionista pernambucana vira piada nacional na web e resolve falar, pela primeira vez, sobre o assunto». Pernambuco.com. Arquivado do original em 25 de março de 2005 
  2. a b c d e Sanches, Danilo (1 de setembro de 2016). «Por onde anda Ruth Lemos, do vídeo 'Sanduíche-iche'?». Ego. Consultado em 24 de abril de 2021 
  3. a b c d e f «Até hoje sou abraçada na rua, diz nutricionista do 'sanduíche-iche'». Folha de S.Paulo. Consultado em 24 de abril de 2021 
  4. a b c d e «Ruth Lemos, a nutricionista que virou mania na internet». Globo Online. Cópia arquivada em 24 de abril de 2021 . Esta publicação é uma cópia do original, que está inativo. Ver também o áudio da entrevista na íntegra.
  5. «Mulher do "sanduíche-íche" vira garota-propaganda». UOL Notícias. 8 de abril de 2005. Consultado em 24 de abril de 2021 
  6. a b Barbosa, Kleyson (15 de junho de 2017). Os 198 Maiores Memes Brasileiros que Você Respeita. São Paulo: Editora Abril. p. 164. ISBN 9788555791970 
  7. «Casa cria karaokê e game na internet para Kuat». Promoview. 5 de outubro de 2011. Consultado em 24 de abril de 2021 
  8. a b «Sanduíche-íche prejudicou campanha de Ruth Lemos». Perfil News. Consultado em 24 de abril de 2021 
  9. a b «Ruth Lemos, do 'sanduiche-iche', ainda é reconhecida nas ruas». Extra Online. 14 de setembro de 2014. Consultado em 24 de abril de 2021 
  10. «Nutricionista do sanduíche-íche». UOL TV e Famosos. Consultado em 25 de abril de 2021 
  11. «Brasileiros erram ao mirar o YouTube». Folha de S.Paulo. 25 de novembro de 2007. Consultado em 24 de abril de 2021 
  12. «Grandes gafes da TV». Veja São Paulo. Consultado em 24 de abril de 2021 
  13. «Confira alguns dos melhores memes brasileiros». Portal R10. Consultado em 24 de abril de 2021 
  14. «YouTube faz 10 anos: veja vídeos clássicos do site no Brasil e no mundo». MundoBit. 14 de fevereiro de 2015. Consultado em 24 de abril de 2021 
  15. «Relembre os vídeos do YouTube mais amados da internet». 33Giga. Consultado em 24 de abril de 2021 
  16. «Relembre 10 dos mais famosos memes da rede». GZH. 29 de maio de 2015. Consultado em 24 de abril de 2021. (pede subscrição (ajuda)) 
  17. «Veja 10 vídeos do YouTube que se tornaram fenômenos nacionais». NSC Total. Consultado em 24 de abril de 2021 
  18. «Memes pernambucanos: relembre 7 clássicos da internet made in Pernambuco». PorAqui. Consultado em 24 de abril de 2021 
  19. «Os 7 maiores clássicos das reportagens que viraram memes». MegaCurioso. 21 de outubro de 2015. Consultado em 24 de abril de 2021 
  20. «25 memes que formaram o caráter da internet brasileira». MegaCurioso. 9 de abril de 2019. Consultado em 24 de abril de 2021 
  21. «YouTube faz 10 anos; relembre 10 vídeos de sucesso». Exame. 18 de fevereiro de 2015. Consultado em 24 de abril de 2021 
  22. «Lista reúne webcelebridades nacionais que caíram no esquecimento». O Povo. Consultado em 24 de abril de 2021 
  23. «Os 20 virais mais amados do YouTube (CONTEÚDO EXTRA)». Super. Consultado em 24 de abril de 2021 
  24. «Os maiores memes da história da Internet - Parte 3». TechTudo. Consultado em 24 de abril de 2021 
  25. «Os melhores memes da história do Brasil». Metrópoles. 15 de fevereiro de 2019. Consultado em 24 de abril de 2021 

Leitura adicionalEditar

Ligações externasEditar