Abrir menu principal

Ryan Leaf

jogador de futebol americano dos Estados Unidos

Ryan David Leaf (Montana, Estados Unidos, 15 de maio de 1976) é um jogador aposentado de futebol americano que atuou na posição de quarterback na National Football League (NFL) por quatro temporadas. Ele jogou pelo San Diego Chargers e pelo Dallas Cowboys entre 1998 e 2001, sendo que ele também passou um tempo com os times Tampa Bay Buccaneers e Seattle Seahawks.[1]

Ryan Leaf
No. 5, 16     
Quarterback
Informações pessoais
Data de nascimento: 15 de maio de 1976 (43 anos)
Local de nascimento: Great Falls, Montana
Colegial : Great Falls (MT) Russell
Altura: 6 ft 5 in (1 96 m) Peso: 235 lb (107 kg)
Informação da carreira
Faculdade: Washington State
Draft da NFL: 1998 / Rodada: 1 / Escolha: 2
Estreou em 1998 pelo San Diego Chargers
Jogou pela última vez em 2001 pelo Dallas Cowboys
História da carreira
 Como jogador:
*Jogou na offseason e/ou apenas membro do practice squad
Pontos altos na carreira e prêmios
  • TSN 1st team first All-American (1997)
  • 3º colocado na votação do Heisman Trophy (1997)
  • Pac-10 Offensive Player of the Year (1997)
Estatísticas de carreira na NFL até a temporada de 2001
Passes tentados     655
Passes completados     317
PCT     48,4%
TDINT     14–36
Jardas     3 666
QB Rating     50,0
Estatísticas no NFL.com

Leaf teve uma carreira de enorme sucesso na Universidade do Estado de Washington, chegando a ser finalista no prêmio Heisman. Analistas então, reconhecendo seu talento, afirmaram que ele era um favorito para ser selecionado entre os primeiros no draft da NFL de 1998. O Indianapolis Colts, dono da primeira escolha, optou por selecionar o também quarterback Peyton Manning. Os Chargers, que cinco semanas antes haviam, através de uma troca, saltado para a segunda escolha da primeira rodada, selecionaram Ryan. Na noite do draft, enquanto Manning foi para casa estudar o livro de jogadas (playbook), Leaf foi para Las Vegas comemorar. Esta atitude foi duramente criticada pela imprensa e por analistas.[2]

Mesmo com receio sobre seu comportamento, Ryan assinou um contrato de 4 anos valendo US$31,25 milhões de dólares, incluindo US$11,25 milhões garantidos (o maior contrato de um novato na história da NFL até então). Sua performance inicial foi promissora, com ele vencendo suas duas primeiras partidas como profissional. Contudo, na semana 3, em um jogo contra o Kansas City Chiefs, ele cometeu cinco turnovers (duas interceptações e três fumbles perdidos) na derrota do seu time. Nos três anos em que esteve em San Diego, Leaf venceu apenas quatro partidas. Ele foi então transferido para os Buccaneers, depois para o Cowboys e finalmente para o Seahawks. Depois ele não teve mais oportunidades na liga. No geral, Ryan Leaf não conseguiu atender as expectativas estelares criadas sobre ele. Performances ruins, mal comportamento (com a imprensa e com colegas de profissão) e contusões acabaram por aposenta-lo precocemente. Atualmente, ele é considerado um dos maiores busts ("furadas") da história do Draft da NFL.[3]

Após sua carreira na NFL, Leaf voltou para a Universidade de Washington State para conseguir seu diploma. Nos anos seguintes ele se envolveu com drogas, tornando-se viciado em analgésicos. Em 2010, ele foi condenado a dez anos de condicional e foi forçado a se submeter a tratamento. Dois anos mais tarde, se declarou culpado por roubo e posse de drogas em Montana. Ele voltou para a reabilitação e começou a cumprir sua pena em uma prisão estadual em dezembro de 2012. Em 2014, enquanto estava em liberdade provisória, Leaf foi sentenciado a mais cinco anos de prisão por ter roubado uma casa para tentar pegar drogas prescritas, violando sua condicional. Ele foi solto da prisão novamente em dezembro do mesmo ano.[4]

Referências

  1. "Ryan Leaf's life of lies a tragic part of fallen football hero". Página acessada em 10 de janeiro de 2015.
  2. King, Peter. «The Chairmen Peyton Manning and Ryan Leaf are the class of the NFL draft, but experts say one of them stands head and shoulder pads above the other». Sports Illustrated. Consultado em 5 de agosto de 2014 
  3. McCauley, Janie (26 de julho de 2002). «Leaf calls it quits». USA Today. Associated Press. Consultado em 9 de novembro de 2010. Cópia arquivada em 10 de janeiro de 2015 
  4. "Ryan Leaf released from prison in Montana". Página acessada em 10 de janeiro de 2015.