São Beuno

São Beuno (em latim: Bonus;[1] m. 640), algumas vezes anglicizado como Bono, foi um abade galês do século VII, confessor, e santo. Baring-Gould atribui a data de falecimento de São Beuno, como sendo 21 de abril de 640,[1] fazendo desta seu dia festivo tradicional. No atual calendário litúrgico católico do País de Gales,[2] ele é comemorado em 20 de abril, o dia 21 foi designado por São Anselmo.

São Beuno
Igreja de São Beuno (à esquerda) e a capela (à direita)
em Clynnog, em Gwynedd
Abade
Nascimento Reino de Powys, País de Gales 
Fim do século VI
Morte Clynnog Fawr 
21 de abril de 640
Veneração por Igreja Ortodoxa
Igreja Católica da Inglaterra e Gales
Igreja de Gales
Canonização Pré-congregação
Principal templo Clynnog Fawr
Festa litúrgica 20 de abril (tradicionalmente)
21 de abril (catolicismo)
Padroeiro das crianças doentes, de gado doente
Gloriole.svg Portal dos Santos

NomeEditar

Seu nome foi reconstruído como *Bou[g]nou em galês antigo, com uma derivação proposta do celta *Bou[o]-gnāw-, com um significado relacionado a "gado esperto".[3]

VidaEditar

É atribuído a Berriew, em Powys, como local de nascimento do santo, sendo ele neto de um príncipe da dinastia local, que descendeu de Vortigern, rei da Bretanha. Depois da educação e ordenação no mosteiro de Bangor no norte do País de Gales, ele se tornou um missionário ativo com o apoio de Catamano de Venedócia. O filho de Catamano e successor, Cadwallon, enganou Beuno sobre alguma terra e, quando o santo pediu justiça, demonstrou antipatia. Em consequência disso, o primo de Cadwallon, Gwyddaint, "deu a Deus e a Beuno para sempre" sua terra em Clynnog Fawr, na península de Llŷn. Beuno estabeleceu seu próprio mosteiro neste lugar e ele morreu ali, pacificamente, "no sétimo dia da Páscoa".[4]

MilagresEditar

Foi atribuído a Beuno a elevação de sete pessoas da morte, incluindo sua sobrinha, a virgem Santa Vinifrida (Gwenffrewi), e seu discípulo e primo, São Aelhaiarn. Ele disse que teve uma "visão maravilhosa" antes de sua morte.[4]

LegadoEditar

Onze igrejas carregando o nome de São Beuno são testemunhas de longo alcance de seu zelo missionário, incluindo seu mosteiro em Clynnog Fawr, e uma longínqua, como a de Culbone na costa de Somerset. Embora seu estabelecimento em Clynnog esteja destruído, as ruínas de sua capela sobrevivem. O Centro de Espiritualidade Ignaciana de São Beuno, uma casa de jesuítas em Tremeirchion, próximo a São Asaph, no princípio,era um colégio teológico e agora um Centro de Espiritualidade de jornada jesuíta/retiro,[5] é nomeado São Beuno.

IgrejasEditar

Ligações externasEditar

ReferênciasEditar

  1. a b Baring-Gould & Fisher, "Lives of the British Saints" (1907), quoted at St. Beuno Gasulsych, Early British Kingdoms website by David Nash Ford
  2. National Calendar for Wales, accessado em 6 de fevereiro de 2012
  3. Koch, John T. (ed.), Celtic Culture, ABC-CLIO, 2006, p. 206.
  4. a b Ryan, Patrick W.F. "St. Beuno." The Catholic Encyclopedia. Vol. 2. New York: Robert Appleton Company, 1907. 12 de maio de 2013
  5. [1]

Este artigo incorpora texto da Catholic Encyclopedia, publicação de 1913 em domínio público.