Safed,[carece de fontes?] Sáfad[1] ou Sáfed[1] (Hebreu צְפַת Tzfat) é uma cidade do distrito Norte, na província da Galileia, em Israel. Situada a uma altitude de 800 metros acima do nível do mar, Safed é a cidade mais alta da Galileia. Em 2007, a população era de 28.500 habitantes. Praticamente toda a população da cidade é judia e uma grande porcentagem dela é religiosa. Safed é bem conhecida pela sua importância na mística judaica chamada Cabala.

Safed

Brasão de armas de Safed
Hebraico צְפַת
Árabe صفد
Significado Vigia (da raiz hebraica tzafa)
Governo Cidade
Também grafada Tsfat, Tzefat, Zfat, Ẕefat (oficialmente)
Distrito Norte
Coordenadas 32° 57′ N, 35° 29′ L
População 28.500 (2007)
Jurisdição 40.000 dunans (40 km²)
Prefeito Shuki Ohana
Website www.safed.co.il

Conflito israelo-árabe editar

 
Monumento aos soldados que lutaram na Guerra da Independência de Israel

Vinte residentes judeus de Safed foram mortos no massacre de 1929. Em 1948, Safed era residência de 12 000 árabes. Os 1 700 judeus da cidade eram maioritariamente religiosos e velhos.[2] Na Guerra da Independência de Israel, os habitantes árabes fugiram em massa, entre eles a família do presidente da Autoridade Palestiniana Mahmoud Abbas. [3] A cidade foi conquistada pelas forças israelitas em 11 de maio de 1948.[2] Em 1974, 102 jovens judeus israelitas de Safed, durante uma viagem de estudo, foram feitos reféns de um grupo terrorista palestiniano Frente Democrática para a Libertação da Palestina (FDLP) enquanto dormiam numa escola em Maalot e 21 deles foram mortos.[4] Durante a Segunda Guerra do Líbano, em julho de 2006, mísseis Katyusha disparados pelo Hezbollah do Sul do Líbano atingiram Safed, matando um homem e ferindo outros. A 14 de Julho, mísseis mataram um rapaz de 5 anos e a sua avó. Muitos residentes abandonaram a cidade. Em 22 de julho, quatro pessoas ficaram feridas num ataque com mísseis.

Colônia de Artistas editar

Nas décadas de 1950 e 1960, Safed era conhecida como a capital da arte de Israel. Uma colônia de artistas estabelecida no antigo bairro árabe foi um centro de criatividade que atraiu artistas de todo o país, entre eles Isaac Frenkel Frenel, Yosl Bergner, Moshe Castel, Menachem Shemi, Shimshon Holzman e Rolly Schaffer[5][6][7]. Hoje a área contém um grande número de galerias e oficinas dirigidas por artistas individuais e vendedores de arte. Existem vários museus e galerias que funcionam nas casas históricas de grandes artistas israelenses, como o Museu Frenkel Frenel e a galeria Beit Castel (na antiga casa de Moshe Castel)[8][9].

Geminações editar

Safed possui as seguintes cidades-gémeas:

Referências

  1. a b Machado, José Pedro. Dicionário Onomástico Etimológico da Língua Portuguesa. 3.º N-Z 2.ª ed. [S.l.]: Livros Horizonte/Editorial Confluência. ISBN 972-24-0845-3 
  2. a b Zeev Vilnay, A Guide to Israel, HaMakor Press, Jerusalém, Israel, 1972, pp. 522–532
  3. More Israelis Are Killed as Rain of Rockets From Lebanon Pushes Thousands South, New York Times, 2006-07-15, verificada 2008-10-25 (em inglês) Greg Myre]
  4. [1] Arafat the Monster, por Jeff Jacoby. The Boston Globe, 2004-11-11, acedida em 2008-10-25
  5. «artnet Galleries: A House in Safed by Yitzhak Frenkel-Frenel from Jordan-Delhaise Gallery». web.archive.org. 3 de dezembro de 2013. Consultado em 25 de agosto de 2023 
  6. «Alexandre FRENEL». Bureau d’art Ecole de Paris (em inglês). 2 de janeiro de 2019. Consultado em 25 de agosto de 2023 
  7. Ruthie. «אסכולת פריז בקריית האמנים צפת - שנות ה-50 וה-60 של המאה העשרים». mushecht.haifa.ac.il (em hebraico). Consultado em 25 de agosto de 2023 
  8. «Frenkel Frenel Museum, Safed». Frenel Museum (em inglês). Consultado em 25 de agosto de 2023 
  9. «Spotlight - A Spiritual Journey of Safed | ITN - Israel Travel News» (em inglês). Consultado em 25 de agosto de 2023 

Ligações externas editar

  Este artigo sobre Geografia de Israel é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.