Santissima Incarnazione del Verbo Divino

Santissima Incarnazione del Verbo Divino, conhecida também como Santa Maria Maddalena dei Pazzi[1], era uma igreja localizada na Strada Pia (moderna Via XX Settembre), no rione Castro Pretorio de Roma. Era dedicada a Encarnação do Verbo Divino e pertencia a um convento de freiras carmelitas da antiga observância conhecidas como "barberinas"[2].

Fachada por Giovanni Battista Cipriani (1785).

HistóriaEditar

 
Posição no Mapa de Nolli (1748).

O convento da Santissima Incarnazione del Verbo Divino foi criado em 1 de agosto de 1639 pelo papa Urbano VIII e as primeiras freiras a se mudarem para lá foram a cunhada do papa, a viúva Costanza Magalotti (1575–1644), e suas duas filhas, Camilla Barberini (1598–1666) e Clarice Barberini (1606–1665)[3]. Antes disto, o local era ocupado por um pequeno convento pertencente a uma congregação eremita dos servitas, fundada em 1615 por Virginio Orsini, cuja igreja era conhecida como Santa Maria Annunziata. A nova igreja foi projetada pelo arquiteto Paolo Pichetti a pedido do cardeal Francesco Barberini, que a consagrou em 23 de outubro de 1670[4]. Em 1759, a igreja foi praticamente reconstruída por Tommaso Bianchi[2] e, a partir do século XVIII, as freiras também passou a cuidar da vizinha igreja de San Caio in Via Porta Pia.

O mosteiro foi confiscado pelo estado italiano e demolido para permitir a construção do Palazzo Esercito, que abrigou primeiro o Ministero della Guerra e, atualmente, o Ministério da Defesa[5][6]. Durante a década de 1870, a igreja e o convento vizinho das carmelitas descalças de Santa Teresa alle Quattro Fontane e a igreja de San Caio foram demolidas nas imediações. No atual palácio foi preservado um mural anônimo do século XVIII da antiga igreja que representa a Virgem e o Menino com oito irmãs carmelitas[3][7].

DescriçãoEditar

 
Posição da igreja segundo Giovanni Battista Falda (1667).

A igreja ficava na extremidade leste da seção central do atual Palazzo Esercito, a que fica projetada na direção da rua. A fileira de postes ligados por correntes logo na frente marca a linha original da fachada[8].

A família Barberini não economizou recursos e o convento original era bem grande. Para leste da igreja ficava o claustro com arcadas e rodeado por edifícios nos quatro lados; a igreja ficava no canto noroeste e uma fonte ficava no centro. Outro claustro, menor e também arcado em todos os lados, ficava par ao sudoeste do claustro principal e havia uma passagem ligando os dois. Um terceiro, ainda menor e sem arcos, ficava para o norte deste segundo e para o sudoeste da igreja. Para o sul do claustro principal ficava um jardim com parterres do lado oposto a partir do qual se chegava a um outro jardim principal, maior, através de um conjunto de degraus semicirculares.

Segundo Filippo Titi, a fachada foi construída com base em desenhos de Gianlorenzo Bernini[9]. A partir da entrada estava uma lógia e, depois, uma nave retangular seguida de uma abside retangular transversa separada por um arco triunfal. Nas laterais do transepto, completando o desenho no formato de uma cruz grega, ficavam dois alteres laterais. A peça de altar principal era uma "Anunciação" de Giacinto Brandi, uma lembrança da dedicação original. Na capela da direita, dedicada a Santa Maria Maddalena dei Pazzi, estava um "Casamento místico de Santa Maria Maddalena dei Pazzi", e, na da esquerda, dedicada a Nossa Senhora do Carmo, uma outra imagem da santa[3].

Referências

  1. Sturm 2015 , p. 158
  2. a b «Santissima Incarnazione del Divino Verbo» (em italiano). InfoRoma 
  3. a b c Santini 2000 , p. 7
  4. Nibby 1839 , p. 288
  5. Armellini 1982 , p. 818
  6. Lombardi 1998 , p. 67
  7. «Open day del Ministero della Difesa» (em italiano). Ministero della Difesa. 7 de dezembro de 2012 
  8. «Mapa da região (nº 192)» (em inglês). Mapa de Nolli (1748) 
  9. Titi 1793 , p. 299

BibliografiaEditar