Abrir menu principal

Separatismo Paulista de 1887

Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde fevereiro de 2019). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.

O Separatismo Paulista de 1887 deveu-se a perda da coalizão do Império brasileiro. Em convenção do Partido Republicano Paulista, o PRP, foi apresentada uma moção separatista. Tal expressão, referia-se a sentimentos crescentes no estado de São Paulo.

Três forças fizeram surgir o movimento:

  • Parte do exército, influenciado pelo pensamento positivista e imbuída da ideia de "salvar a pátria";
  • Os fazendeiros do oeste paulista que desejavam realizar suas aspirações[quais?];
  • Representantes das classes médias urbanas antiescravistas e que pretendia maior participação política.

Os tempos eram de agonia do império. Havia desprestígio da monarquia e o enfraquecimento das oligarquias tradicionais. A Lei do Ventre Livre antecipava o fim da escravatura negra, que ocorreria no ano seguinte, para desgosto dos cafeicultores paulistas. De fato, o Império cairia no ano seguinte à libertação dos escravos.

ReferênciasEditar