Abrir menu principal

A serra do Tumucumaque é uma pequena cadeia montanhosa sul-americana localizada no planalto das Guianas, estendendo-se por cerca de 320 quilômetros (75 milhas) no sentido leste-oeste, na área de fronteira entre o norte do Brasil, e na região sul do Suriname e da Guiana Francesa[1]. A região da Serra do Tumucumaque é considerada muito remota e quase inacessível[2].

Na linguagem dos povos aparaí e uaianas que habitam estas montanhas, Tumucumaque significa "a pedra da montanha" e simboliza "a luta entre o xamã e os espíritos"[3]

Tanto o rio Maroni como o rio Oiapoque tem sua origem na serra do Tumucumaque. O Maroni (em neerlandês: Marowijne) forma toda a fronteira (em litígio) entre o Suriname e a Guiana Francesa, e o Oiapoque forma a maior parte da fronteira entre a Guiana Francesa e o Brasil[4]

Parque nacionalEditar

Na parte brasileira das cordilheiras há o Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque que cobre toda a seção serrana da cordilheira. Ele fica localizado nos estados do Pará e Amapá. Possui uma área de 3.882.120,00 ha (38.821,20 km²). O perímetro do parque é de 1.724.575,857 metros. É administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). É o maior parque nacional do Brasil e a maior floresta tropical protegida do mundo[5].

Referências

  1. «Learn more about... The Eco-Region». GSI Website. Consultado em 6 de agosto de 2011. Arquivado do original em 4 de maio de 2012 
  2. «O maior parque de floresta tropical do mundo». EcoViagem 
  3. «Feasibility of a Monitoring Programme for the Guiana Shield Initiative». GSI Website [ligação inativa]
  4. «Parque Nacional das Montanhas do Tumucumaque». Rota Brasil Oeste. Consultado em 6 de agosto de 2011. Arquivado do original em 22 de abril de 2009 
  5. «Parque Nacional das Montanhas do Tumucumaque». Ambiente Brasil 
  Este artigo sobre Geografia do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.