Sholom Aleichem

(Redirecionado de Sholem Aleichem)

Sholom Aleichem (também: Scholem Alechem / Schalom Alechem / Shalom Aleichem / Schulem Aleichem / etc.) = hebreu "a paz esteja convosco", pseudônimo de Schalom Yakov Rabinowitsch (também: Schalom ben Menachem Nachum Rabbinowicz / Shalom Rabinovitz / etc.), Pereiaslave, 18 de fevereiro de 1859Nova Iorque, 13 de maio de 1916) foi um escritor iídiche nascido no território hoje pertencente à Ucrânia. Foi um dos grandes escritores e promotores da literatura iídiche, sendo suas obras uma das mais importantes da literatura europeia.[1] O dia do seu funeral em 1916 cerca de 100 000 enlutados atendeu seu cortejo fúnebre em Nova Iorque,[2][3] e a maioria de lugares de trabalho judeus na cidade fechou.[4]

Sholom Aleichem
Nome completo Solomon Naumovich Rabinovich
Nascimento 2 de março de 1859
Pereiaslave, Império Russo (atualmente Ucrânia)
Morte 13 de maio de 1916 (57 anos)
Nova Iorque
Ocupação Escritor
Principais trabalhos Stempenyu: Um romance judaico

BiografiaEditar

Sholom Aleichem nasceu em 1859 numa família Hassídica em Pereiaslave e cresceu no shtetl próximo de Voronko (atual Kiev Oblast, Ucrânia). Seu pai, Menachem-Nukhem Rabinovich, era um rico comerciante da época,[5] porém que veio a falecer posteriormente durante a infância de Sholem Aleichem, que assim cresceu em condições materiais limitadas. Quando ele tinha 13 anos sua mãe faleceu de cólera. Aos 15 anos de idade, inspirado por Robison Crusoe, ele compôs uma versão judaica da obra, adotando o pseudônimo Sholem Aleichem, variante em Yidishe da expressão em hebraico shalom aleichem (que significa "a paz esteja com você/olá). Em 1876, depois de se graduar numa escola em Pereyaslav, ele foi tutor durante 3 anos da filha de um rico fazendeiro, Olga Golde Loev, com quem viria a se casar, contra a vontade dos pais dela. Eles tiveram seis filhos. Um de seus filhos, Norman Raeben, se tornou um pintor e influente professor de arte, enquanto uma de suas filhas, Lyalya Kaufman, se tornou uma escritora de Yidishe. Em 1905, em meio a pogroms constantes no sul da Rússia, ele se mudou para Nova York, enquanto sua família permaneceu em Genebra. Nao podendo sustentar duas casas, ele passa a morar na Suíça com a família. Em 1914 a família se muda para Lower East Side em Manhattan. Seu filho Misha, doente de tuberculose, não é admitido pelas leis de imigração americanas, e assim permanece na Suíça com a irmã Emma, falecendo em 1915.

Carreira literáriaEditar

Primeiramente Sholem Aleichem escreveu em russo e hebraico. De 1883 em diante ele escreveu quarenta obras em Yidishe, tornando-se a figura central da literatura yidishe em 1890. A esse tempo o yidishe era a língua vernacular de praticamente todos os judeus do leste e centro europeus.

Além da sua extensa produção literária em iídiche, Sholem Aleichem usou seus próprios recursos financeiros para promover outros escritores yidishes. Em 1890 Sholem Aleichem perde sua fortuna com a especulação na bolsa de valores, o que comprometeu o financiamento de obras em iídiche. Ele escreveu a famosa peça Fiddler on the Roof (no Brasil, Um Violinista No Telhado), que depois foi transformado num filme que ganhou um Oscar e um Globo de Ouro.

Referências

  1. World Authors 1900–1950, redatores Martin Seymour-Smith e Andrew C. Kimmens, vol. 3, H. W. Wilson Company, 1996, pp. 2124-2125:
    "'RABINOWITZ, SOLOMON J. (pseudonym 'SHALOM ALEICHEM') (February 18, 1859 - May 13, 1916)...novelist, short story writer, and playwright, (his name is variously transliterated), became the most widely read of writers in Yiddish,...he raised the standards of Yiddish as a literary language. Rabinowitz was born in the village of Pereyaslev in the Ukraine...He died in New York...After his death his popularity increased and spread by means of translation into most major and some minor European languages."
    ("RABINOWITZ, SOLOMON J. (pseudônimo 'SHALOM ALEICHEM') (18 de fevereiro de 1859 - 13 de maio de 1916)...romancista, contista e dramaturgo (seu nome é transliterado de várias maneiras), tornou-se o escritor mais lido em iídiche, ele elevou os padrões do iídiche como língua literária. Rabinowitz nasceu na aldeia de Pereyaslev na Ucrânia...Ele morreu em Nova Iorque...Após sua morte, sua popularidade aumentou e se espalhou por meio da tradução para a maioria das principais e algumas línguas europeias menores.")
  2. «Papers of Sholom Aleichem to Get a Home in Israel». The New York Times (em inglês). 15 de março de 1964. ISSN 0362-4331. Consultado em 13 de maio de 2022 
  3. Irving Howe, World of Our Fathers, Harcourt Brace Jovanovich, New York e Londres, 1976, p. 441:
    "when Sholom Aleichem died in New York in 1916, some 100,000 people came to his apartment house in the east Bronx to share in the mourning, a tribute no other Western writer of comparable stature could expect in the twentieth century."
    ("quando Sholom Aleichem morreu em Nova Iorque em 1916, cerca de 100.000 pessoas foram ao seu prédio no leste do Bronx para participar no luto, uma homenagem que nenhum outro escritor ocidental de estatura comparável poderia esperar no século XX.")
  4. World Authors 1900–1950, redatores Martin Seymour-Smith e Andrew C. Kimmens, vol. 3, H. W. Wilson Company, 1996, p. 2125:
    "On the day of his funeral, most Jewish work places closed and thousands of people lined the streets to pay their respects."
    ("No dia de seu funeral, a maioria dos locais de trabalho judeus fechou e milhares de pessoas fizeram fila nas ruas para prestar suas homenagens.")
  5. «Aleichem», Jewish virtual library (biography) .
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.