Shunt cerebral

Um shunt cerebral é um dispositivo médico usado principalmente no tratamento de hidrocefalia, o inchaço do cérebro causado pela acumulação excessiva de líquido cefalorraquidiano (LCR).[1] A maioria dos shunts consistem numa válvula ligada a um cateter, cuja extremidade é geralmente colocada na cavidade peritoneal. As principais diferenças entre os vários tipos de shunts são o material, os tipos de válvula e se a válvula é ou não programável.[2]

Ilustração de um shunt cerebral comum

Referências

  1. Hlatky, Roman; Valadka, Alex B.; Robertson, Claudia S. (2003). «Intracranial hypertension and cerebral ischemia after severe traumatic brain injury». Neurosurgical Focus. 14 (4): e2. PMID 15679301. doi:10.3171/foc.2003.14.4.2 
  2. Bradley, William G.; Bahl, Gautam; Alksne, John F. (2006). «Idiopathic normal pressure hydrocephalus may be a 'Two Hit' disease: Benign external hydrocephalus in infancy followed by deep white matter ischemia in late adulthood». Journal of Magnetic Resonance Imaging. 24 (4): 747–55. PMID 16958056. doi:10.1002/jmri.20684 


  Este artigo sobre medicina é um esboço relacionado ao Projeto Saúde. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.