Abrir menu principal

Subak

sistema de irrigação de Bali, Indonésia
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde abril de 2017). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.

Subak é um sistema de irrigação para campos alagados na ilha de Bali, Indonésia, que foi desenvolvido há mais de mil anos. Para os balineses, a irrigação não se constitui do simples ato de molhar as plantas, mas sim da construção de um complexo ecossistemas artificial.[1] Os campos alagados em Bali foram construídos ao redor de templos de água e a localização da água é feita por um pastor.

Pix.gif Paisagem Cultural da Província de Bali: o sistema Subak como manifestação da filosofia Tri Hita Karana *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Bali panorama.jpg
Irrigação Subak em plantações de arroz
País Indonésia
Tipo Cultural
Critérios ii, iii, v, vi
Referência 1194 en fr es
Região** Ásia e Oceania
Histórico de inscrição
Inscrição 2012  (36ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.
** Região, segundo a classificação pela UNESCO.

SistemaEditar

Subak é um sistema de irrigação tradicional ecologicamente sustentável[2] que liga a região agrária de Bali ao centro da comunidade de Bale Banjar e aos templos balineses. O manejo da água é feito sob a égide de pastores em templos de água sem esquecer a filosofia Tri Hita Karana que mostra a relação entre os humanos, a terra e os deuses; um antigo método do hinduísmo.

AmeaçaEditar

Desde a década de 1960 que o Bali vem atraindo muitos aventureiros e turistas do mundo todo.[3] Estimativas indicam que cerca de mil hectares de campos alagados foram convertidos em construções turísticas, o que ameaça este antigo sistema de irrigação.[2]

MuseuEditar

Em 1981, o Museu Subak foi aberto com poucos itens.[4]

UNESCOEditar

A UNESCO inscreveu a "Paisagem Cultural da Província de Bali: o sistema Subak como manifestação da filosofia Tri Hita Karana" como Patrimônio Mundial por "ser um sistema democrático e igualitário de prática de cultivo criado pelos balineses a fim de tornar mais prolífico o cultivo de arroz no arquipélago desafiando a grande densidade populacional da região"[5]

ReferênciasEditar

  1. Lansing, J.S. (1987). «Balinese "Water Temples" and the Management of Irrigation». American Anthropologist. 89 (2): 326–341. JSTOR 677758. doi:10.1525/aa.1987.89.2.02a00030 
  2. a b «'Subak' farming world-heritage listed». 21 de maio de 2012 
  3. http://blogs.aljazeera.com/blog/asia/balis-ancient-irrigation-system
  4. «A thousand years on, can 'subak' survive?». 18 de abril de 2013 
  5. Cultural Landscape of Bali Province: the Subak System as a Manifestation of the Tri Hita Karana Philosophy. UNESCO World Heritage Centre - World Heritage List (whc.unesco.org). Em inglês ; em francês ; em espanhol. Páginas visitadas em 24/12/2013.
  • J. Stephen Lansing, Priests and Programmers: Technology of Power in the Engineered Landscape of Bali Princeton University Press.
  • "Balinese Water Temples Withstand Tests of Time and Technology" - National Science Foundation
  • Simulation Modeling of Balinese Irrigation (extract) by J. Stephen Lansing (1996)
  • "The Impact of the Green Revolution and Capitalized Farming on the Balinese Water Temple System" by Jonathan Sepe (2000). Literature review.
  • Direct Water Democracy in Bali. [1]