Sudiți

categoria ou estatuto social dos Principados do Danúbio
Disambig grey.svg Nota: Para a comuna romena, veja Sudiți (comuna).

Os sudiți (plural de sudit, uma palavra romena derivada do italiano suddito, que significa sujeito ou cidadão), eram habitantes dos Principados do Danúbio (Moldávia e Valáquia) que, durante o final do século XVIII e grande parte do século XIX (durante e depois do chamado período fanariota), estiveram sob a proteção de estados estrangeiros (geralmente a Monarquia de Habsburgo, Rússia e França) como recompensa por determinados serviços ou em troca de pagamento.

Habitantes de Bucareste numa gravura de 1825

A proteção incluía imunidade a serem perseguidos, tanto pelos governantes locais (hospodars) como pela potência suserana, o Império Otomano. Além de proteção, gozavam também de alguns privilégios, como isenção de impostos. Os interesses concorrentes das nações envolvidas permitiam aos cônsules estrangeiros nos principados o tráfico de favores e títulos sudiți.

HistóriaEditar

 
O cônsul francês em Bucareste, Adolphe Billecoq, em 1843

O estatuto de sudit foi estabelecido em 1774 pelo Tratado de Küçük-Kainarji, que pôs fim à guerra russo-turca 1768–1774, na qual o Império Otomano foi derrotado. O tratado abriu caminho à criação de consulados estrangeiros em Iași e em Bucareste.

Durante as várias guerras russo-turcas, que afetaram o território dos principados, os sudiți foram um grupo social influente e poderoso. Muitos deles era negociantes grossitas que formaram guildas (em romeno: bresle ou isnafuri), que concorreram com sucesso com os romenos em várias áreas de negócio. Após o Tratado de Adrianópolis de 1829, o Império Otomano foi obrigado a autorizar o comércio externo nos dois principados, que cresceria ainda mais durante a administração russa (1828–1857)

Entre os sudiți que se notabilizaram podem citar-se, por exemplo, Tudor Vladimirescu e Dimitrie Macedonski, líderes da revolta de 1821.

Muitos sudiți eram judeus asquenazes que abandonaram vária regiões da Rússia e do Reino da Galícia e Lodoméria (vassalo do Império Austríaco).

O estatuto de sudiți desapareceu após a guerra de independência da Roménia (1877–1878).

NotasEditar

BibliografiaEditar