Sudoeste (revista)

Sudoeste : cadernos de Almada Negreiros resultou de um projeto individualista levado a cabo por Almada Negreiros (como sugere o subtítulo da revista), em colaboração com Dário Martins, que coloca os seus conhecimentos nas várias formas de intervenção direta, contatos e influencias nesta publicação periódica. Dos três números publicados, os dois primeiros refletem o seu pensamento através de ensaios e textos que partem dos mesmos pressupostos teóricos: a Vida entendida como união construtiva entre todos os indivíduos. Exacerba também o valor da Criatividade como valência indispensável em todas as áreas de atuação, da arte à economia e política, condenando, de forma menos objetiva, qualquer elemento castrador que anule tal potencial. Já o seu terceiro número varia relativamente aos primeiros na medida em que adopta os colaboradores da revista Presença e da extinta Orpheu, nomeadamente: Fernando Pessoa, Mário de Sá-Carneiro, Luís de Montalvor, Raul Leal, Alfredo Guisado, Alvaro de Campos, João Gaspar Simões, José Régio, Adolfo Casais Monteiro, Saúl Dias, Carlos Queirós, Carlos Ramos, Pardal Monteiro, Mário Saa; além de duas ilustrações de Sara Afonso e Mário Eloy. Não chegou a publicar-se o quarto número.[1]

Sudoeste: cadernos de Almada Negreiros
Formato (25 cm)
Sede Lisboa Portugal Portugal
Fundação 1935
Director Almada Negreiros
Idioma Português europeu

Ver tambémEditar

Lista de publicações disponíveis na Hemeroteca Municipal de Lisboa em formato digital

Referências

  1. Rita Correia (18 de maio de 2011). «Ficha histórica: Sudoeste : cadernos de Almada Negreiros (1935)» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 5 de novembro de 2015 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre meios de comunicação é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.