Abrir menu principal
Um sweatshop moderno

Sweatshop (ou fábrica de suor)[1] é um termo pejorativo para um local de trabalho que tem condições muito precárias e socialmente inaceitáveis  O trabalho pode ser difícil, perigoso, climaticamente impróprio ou o mal pago. Trabalhadores em Sweatshops podem ter de trabalhar longas horas, com baixa remuneração, independentemente de leis que obriguem de pagamento de horas extras ou um salário mínimo; leis contra o trabalho infantil leis também podem ser violadas. Os produtos que geralmente são fabricados nessas fábricas são sapatos, vestuário, brinquedos, chocolate e café.[1]

Multinacionais que foram acusadas de fazer uso dessa forma de trabalho incluem Levi’s, Nike, Tommy Hilfiger, Calvin Klein, Ralph Lauren, Zara[2] entre outras.[1] Marcas de luxo, como Armani, Gucci, Prada, Dolce & Gabbana, Burberry; também foram acusadas.[3]

Ver tambémEditar

Referências