Tânia Caldas

modelo brasileira

Tânia Caldas (Rio de Janeiro, 1947) é uma promotora de eventos e socialite brasileira, que já foi atriz e modelo, e mais conhecida por ter sido esposa do playboy Jorge Guinle e do ator Raul Cortez, com quem teve uma filha.

Tânia Caldas
'
Nascimento 1947
Rio de Janeiro
Cidadania Brasil
Ocupação modelo,

BiografiaEditar

Tânia figurava as colunas sociais de Zózimo; em 1971 ele dava a seguinte nota: "Tânia Caldas será a estrela do filme que Bruno Barreto (filho de Luís Carlos) vai fazer sobre a peça de Antônio Bivar, Longe Daqui, Aqui Mesmo".[1]

Zózimo ainda conta que ela, em dezembro de 1973, protagonizou numa festa um grande susto: seu vestido pegou fogo e não havia extintores à mão para apagar; o incidente não rendeu maiores consequências além do registro do colunista.[2]

Em abril de 1977 viajou com Jorginho para Nova York, onde se encontraram com amigos brasileiros no bar do hotel Sherry Netherland; enquanto ela ficava na cidade e Guinle ia a Hollywood para a festa do Oscar, Tânia teve todas as joias que levara roubadas no quarto do hotel.[3] Em dezembro desse mesmo ano ela ilustrou a capa da primeira edição da revista masculina Interview, onde a manchete dizia: "Eu nunca fui uma cortesã de Jorge Guinle nem de ninguém. Serei Tânia Caldas forever!"[4]

Caldas e Raul assumiram seu relacionamento em 1978 e foram morar num apartamento no Leblon, à rua Visconde Albuquerque (perto da praia, bastante amplo e confortável e decorado por Tânia num jeito tropical, arrojado);[5] no ano seguinte nasceu a filha do casal, Maria,[6] no Hospital São Silvestre; isto pra o ator teve grande importância, pois o quarto do hospital em que a filha nascera fora o mesmo em que morrera, cinco anos antes, o dramaturgo Oduvaldo Vianna Filho - autor da peça que ele encenava naquele período e que marcava o início do chamado processo de abertura da ditadura militar.[5] No apartamento do casal a sala era decorada com um grande quadro da atriz com a matéria que fizera na Interview; Cortez estrearia na televisão no ano seguinte, 1980, tornando-se um ator popular.[5]

O casal não era avesso à badalação e mesmo Raul gravando novela durante o dia e apresentando-se no teatro à noite, iam sempre à Hippopotamus e a fama repentina do ator, que fazia um cirurgião plástico playboy na novela Água Viva, repentinamente o fez cobiçado pelas mulheres que o assediavam; numa pizzaria, certa feita, Tânia quase bateu numa fã, indo para cima dela dizendo: "Tira a mão dele!".[5]

Com a morte da cunhada Regina, o casal se mudou em 1984 para São Paulo, pois Cortez queria ficar perto da família; compraram uma velha mansão no Morumbi que a filha deles, Maria, chamava de "casa de bruxa";[5] A casa seria mal-assombrada e diziam que os casais que ali viveram se separavam; o mesmo aconteceu a Tânia e Raul, que logo terminaram a união, em 1987; Maria ficou com o pai.[7]

Caldas voltou para o Rio, onde trabalha como promoter.[8]

FilmografiaEditar

Referências

  1. Zózimo (22 de setembro de 1971). Disponível em Google News. «Ponto Final». Rio de Janeiro. Jornal do Brasil: 3, Caderno B 
  2. Zózimo (17 de dezembro de 1973). Disponível em Google News. «Hollywood 1950». Rio de Janeiro. Jornal do Brasil: 3, Caderno B 
  3. Zózimo (11 de abril de 1977). Disponível em Google News. «Roubo em Nova Iorque" e "Roda-Vida». Rio de Janeiro. Jornal do Brasil: 3, Caderno B 
  4. S/a (dezembro de 1977). «Capa». Rio de Janeiro. Interview (1): capa 
  5. a b c d e Juliana Lopes (15 de março de 2004). «Um ídolo popular (Raul Cortez, cap. 2, parte 1)». IstoÉ Gente, ed. 240. Consultado em 6 de abril de 2016 
  6. Juliana Lopes (8 de março de 2004). «O Senhor dos Palcos (Raul Cortez, cap. 1, parte 2)». IstoÉ Gente, ed. 239. Consultado em 6 de abril de 2016 
  7. Juliana Lopes (15 de março de 2004). «Um ídolo popular (Raul Cortez, cap. 2, parte 2)». IstoÉ Gente, ed. 240. Consultado em 6 de abril de 2016 
  8. Thales Sabino (10 de fevereiro de 2012). «Atriz Sheron Menezes é escolhida para brilhar no Baile do Copa 2012». Finíssimo. Consultado em 6 de abril de 2016 

Ligações externasEditar